Para quem escolheu mudar o rumo das suas finanças e destinar seu dinheiro para investimentos mais inteligentes, a poupança vem deixando de ser a protagonista do mercado financeiro.

Muitas pessoas optam, cada dia mais, por investir em modalidades mais rentáveis e com a mesma garantia de segurança da caderneta. E, nesse quesito, o CDB é um dos primeiros colocados da lista.

CDB é a sigla para Certificado de Depósito Bancário, e é um título de renda fixa emitido por bancos para captar recursos.

Na prática, é como se você emprestasse o seu dinheiro para o banco e, em troca, ele lhe pagasse juros ao final do período combinado. E esse é um investimento seguro, garantido pelo FGC (Fundo Garantidor de Créditos), mesmo órgão que garante as aplicações na poupança.

Que tal assistir o vídeo abaixo e entender como funciona o investimento em Certificados de Depósito Bancário em 2 minutos?



Continue a leitura e você entenderá melhor o que é CDB, quais são suas vantagens, suas desvantagens e como começar a investir neste tipo de título.

Invista nos melhores CDBs com poucos cliques
Acesse grátis

Investimento em CDB: o que é como funciona

Como falamos, CDB é um título privado de renda fixa. Você sabe o que isso significa? Um título de renda fixa - seja ele privado ou público - pode ser entendido da seguinte maneira:

  • Uma instituição (A) emite títulos que representam “pequenos” empréstimos.
  • Investidores (B), como você, compram esses títulos como uma promessa de pagamento no futuro.
  • Então, a instituição emissora usa o dinheiro para suas atividades e, no vencimento do título, devolve o valor emprestado somado a uma taxa combinada na compra.

Sim, os investimentos de renda fixa são como empréstimos ao contrário. Ao invés de você pegar um empréstimo com o banco, é o banco que pega um empréstimo com você. Veja só essa dinâmica no esquema a seguir:

Esquema-renda-fixa

Essa dinâmica funciona para a grande maioria de títulos de renda fixa. O que varia entre os diversos investimentos disponíveis no mercado são as instituições que emitem esses títulos e a forma que são acordados o pagamento e a taxa de juros, o que você poderá entender melhor a seguir.

No caso do investimento em CDB, o emissor é o banco. Ou seja, o banco emite um título e você empresta o seu dinheiro pra ele. Recebendo o dinheiro corrigido por uma taxa de juros ao final do período acordado. Entenda na ilustração:

 esquema-cdb

A única diferença está no "emissor" do título, percebeu? Quando você investe em Certificados de Depósito Bancário está emprestando dinheiro para financiar as atividades do banco que escolheu investir, em troca da promessa de pagamento com juros na data combinada.

E não são apenas os grandes bancos que utilizam essa forma de financiamento.

Você pode investir em títulos emitidos por bancos menores, que talvez você nem conheça, e que oferecem uma rentabilidade muito melhor do que os mais conhecidos. E o melhor: sem abrir mão da segurança, já que os bancos menores contam com a mesma segurança dos grandes bancos.

É por isso que na hora de investir é tão importante saber quais detalhes são essenciais e pesquisar bastante. Dessa forma, fica mais fácil encontrar as melhores oportunidades para valorizar seu dinheiro de verdade e facilitar seu caminho rumo ao sucesso.

Encontre oportunidades para valorizar seu dinheiro
Teste grátis

Investir em CDB é seguro?

Muitas pessoas dizem que preferem a poupança por questões de segurança. O que muita gente não sabe é que há investimentos de Renda Fixa que possuem a mesma garantia de segurança da caderneta.

Se antes não sabia, agora você sabe:
o CDB é um investimento muito seguro.

Você pode estar pensando “e se o banco emprestar meu dinheiro para um cliente inadimplente e eu ficar sem meu dinheiro?”. Não se preocupe, esse risco não existe. O seu dinheiro não fica preso a um destino específico, e sim a uma conta muito maior do banco.

“Mas e se o banco quebrar?” O risco de crédito, que é o que ocorre nesses casos, é garantido por um órgão muito importante do mercado: o Fundo Garantidor de Créditos, ou FGC. É ele que pode devolver seu dinheiro em uma situação crítica.

Entenda melhor o funcionamento dessa instituição com o vídeo abaixo: 

Se, por um acaso, o banco emissor quebrar, esse órgão sem fins lucrativos protege seu investimento e te restitui o valor investido. Por isso, o FGC funciona como um mecanismo de controle e defesa do mercado.

O FGC garante até R$250 mil por CPF e por instituição financeira, não ultrapassando R$1 milhão por investidor a cada 4 anos.

Vale lembrar que mesmo que o investimento seja garantido, é sempre bom pesquisar e ir a fundo nas informações do banco antes de investir. Você pode até não correr o risco de calote ou de crédito, mas tomar a decisão errada e não escolher o melhor investimento também é um risco.

Ganhe mais sem abrir mão da segurança
Veja opções


Qual é o prazo de um CDB?

Assim como os diversos tipos de CDB, os prazos variam de emissor para emissor e de título para título.

O prazo de carência do CDB é exatamente a junção entre o vencimento do seu título com a sua liquidez. De forma mais simples: representa o prazo que seu dinheiro deve permanecer com o banco.

Se um CDB tem prazo de carência de 3 anos, significa que seu dinheiro precisa ficar aplicado no banco durante todo esse tempo.

Mas como dissemos anteriormente, você consegue encontrar CDB com prazos de acordo com seu objetivo: desde com liquidez diária, para conseguir retirar o seu dinheiro quando bem entender, até com anos de carência, para garantir um futuro tranquilo.

É comum que quanto mais tempo seu dinheiro fique emprestado com o banco, maior será a rentabilidade. Lembre-se sempre dessa lógica e tenha atenção ao prazo de carência exigido quando for planejar seus investimentos.

Veja um plano personalizado para os seus objetivos
Teste grátis


Qual o valor mínimo do CDB?

Um ponto que você deve estar se perguntando é: quanto é preciso ter para aproveitar o investimento em CDB?

Uma boa notícia: existem Certificados de Depósito Bancário para todos os bolsos.

É possível encontrar títulos de bancos menores por menos de R$1.000 até papéis que custam mais de R$30 mil.

Mas, normalmente, quanto maior o valor de entrada, melhor é a rentabilidade entregue aos investidores. Mas até para os pequenos investimentos, as taxas costumam ultrapassar os melhores dias da poupança.

Se você quer começar a investir, mas tem pouco dinheiro no bolso. Sem problemas. Na Toro, você pode começar a investir em CDB e outros títulos de renda fixa a partir de R$100. Tudo isso com rapidez e muita segurança.

Invista nos melhores CDBs com poucos cliques
Acesse grátis

Tipos de CDB: descubra a melhor opção pra você

Agora que você já sabe o que é CDB, é importante entender seus tipos, seus prazos, seus custos e outras informações importantes.

Como já foi dito, existem diferentes tipos de CDB, que são diferentes na forma que entregam o rendimento aos investidores, ou seja, como a taxa de juros incide sobre o título.

Existem três principais tipos de CDB:
o prefixado, o pós-fixado e aqueles
que são híbridos.

CDB Prefixado: conheça o rendimento na hora da compra

Esse título tem seu rendimento preestabelecido ou, como seu próprio nome já diz, prefixado. Isto é, independentemente da taxa Selic - que é a taxa de juros básica da nossa economia - ou da inflação, a rentabilidade será fixa e predeterminada.

É importante comparar diferentes títulos e prazos para aplicar seu dinheiro com consciência de que está fazendo o investimento certo.

Que tal um exemplo para ajudar a entender?

Um CDB prefixado que oferece um rendimento de 11% ao ano paga, diariamente, o equivalente suficiente para cobrir essa taxa no fim do período.

Para ilustrar, suponha que você invista R$5.000 neste título e ele tenha o vencimento em três anos, quanto você teria ganhado nesta aplicação?

R$5.000 x (1 + 11%)³ = R$6.838,16

O valor bruto seria R$ 6.838,16

O cálculo é simples: basta multiplicar o valor investido pelos juros somados a 1 (neste caso 1 +0,11) elevado ao período que ele ficará com o banco.

 

CDB Pós-fixado: aposte na variação dos juros

A grande maioria dos Certificados ofertados têm essa configuração. É bem comum você se deparar com os termos “CDB DI” ou “CDB CDI” - por isso, e este é outro termo bem importante de conhecer: o Certificado de Depósito Interbancário - ou CDI.

Diariamente, os bancos fazem empréstimos de curtíssima duração entre eles, com a finalidade de fechar o saldo do dia no azul. A lógica é bem parecida com a do Certificado de Depósito Bancário, mas agora não há investidores envolvidos, apenas bancos.

 esquema-cdi-aplicacao.png

Assim, a média das taxas desses tais CDIs acabou se tornando um indicador padrão para taxar diversos serviços financeiros do mercado, inclusive para vários CDBs.

Por isso, bancos utilizam o CDI para determinar quanto irão pagar no futuro para seus investidores. Isto é, estabelecem uma taxa pós-fixada para seus títulos.

Ficará mais fácil de entender após um exemplo.

Quando for investir, você poderá ver algo como “CDB 105% DI a.a.”. Traduzindo: esse título paga 105% da taxa média anual do CDI no período. Supondo que seu vencimento foi após um ano e, nesse período, a taxa DI foi de 10,8%, quanto R$ 5.000 retornaria no resgate?

Para descobrir a taxa, uma regra de três simples resolve:

10,8 x 105 / 100 = 11,34%

Depois disso, basta multiplicar o valor investido pelo fator:

R$5.000 x (1,1134) = R$5.567


Lembrando que esse valor seria bruto, ou seja, antes do Imposto de Renda. Daqui a pouco, você entenderá como esse investimento é tributado, não se preocupe.

CDB Híbrido: se proteja da inflação

Por último, mas não menos importante, existem papéis no mercado que são indexados à inflação. Mas o que isso significa?

Esse tipo de CDB acompanha as variações do IPCA - índice utilizado para medir a inflação no nosso país. Isto é, se o aumento de preço geral do mercado for de 6%, seu investimento pagará essa taxa. Mas por que ele é chamado de híbrido?

Além da variação do IPCA, esses papéis pagam uma taxa fixa determinada antecipadamente, isto é, prefixada.

Para ajudar a entender, siga esses cálculos:

Supondo que você decidiu investir R$5.000 em um CDB que paga IPCA + 5% a.a., isto quer dizer que este título paga a inflação mais 5% ao ano. Imagine que, após 12 meses, a inflação marcou 6,20%. Quanto seu investimento renderia?

É simples: 5.000 x (1 + 0,062) x (1 + 0,05) = 5.000 x 1,1151 = 5575,5

Basta utilizar o mecanismo de juros compostos para combinar o IPCA e a taxa prefixada de 5% ao ano.


Viu só como cada tipo de CDB possui vantagens e desvantagens? Por isso, é fundamental pesquisar bem para saber qual deles é mais vantajoso pra o seu perfil e objetivo em cada momento.

Se for preciso, vale conversar com um profissional da área para tirar dúvidas sobre o assunto. Aqui na Toro estamos sempre dispostos a conversar com você.

Converse com nossos assessores certificados
Tire suas dúvidas agora


Imposto de Renda do CDB

Outro fator que se altera com o tempo que seu investimento fica com o banco é a alíquota de imposto que será incidido sobre ele.

Como vários outros investimentos, o Certificado de Depósito Bancário também está sob a lupa da Receita Federal. Sobre qualquer CDB que você adquirir, terá que pagar uma alíquota do Imposto de Renda.

O IR segue uma regra conhecida como alíquota regressiva, isto é, quanto mais tempo seu dinheiro ficar investido, menor será a porcentagem a ser paga. Veja na tabela:

Tabela Imposto de Renda CDB
Dias investidos Alíquota
Até 180 dias 22,5%
De 181 a 360 dias 20%
De 361 a 720 dias 17,5%
A partir de 721 dias 15%


Mas é importante ressaltar que você não tem que se preocupar com o pagamento, uma vez que esse imposto é recolhido na fonte. Isso significa que, quando decidir fazer o resgate ou chegar o vencimento, o banco já irá separar a parte do governo.

Outro imposto que pode incidir sobre
seu título é o famoso IOF - Imposto sobre Operações Financeiras.

Mas não se preocupe, se você deixar o dinheiro aplicado por mais de 30 dias, o seu investimento fica isento desta taxa.

Outra tarifa que pode cair sobre seu CDB é a taxa de custódia. Algumas instituições financeiras cobram uma taxa mensal (ou anual) para manter seu CDB em conta, enquanto outras não cobram essa taxa dos investidores.

Na Toro, você não paga taxa de custódia e ainda pode usar nossa ferramenta gratuita para comparar as oportunidades mais interessantes para o seu perfil.

Taxa zero de verdade: saiba como a Toro está mudando o mercado. Veja agora

Como investir em CDB - passo a passo

Agora que você já sabe o que é CDB, já conhece seus tipos, como eles são tributados e também que esses títulos são muito seguros, chegou a hora de aprender como investir em CDB.

Veja abaixo um passo a passo bem simples. Com ele, você saberá como entrar no mundo dos investimentos pela porta da frente e aumentar suas chances de ter ótimos resultados:

1º Passo: abra conta em uma corretora de valores

Para qualquer investimento que você fizer, será necessária uma instituição financeira intermediária. Por isso, o primeiro passo é criar uma conta em uma dessas instituições - seja um banco ou uma corretora.

A vantagem de investir por uma corretora de valores é ter acesso a uma diversidade bem maior de investimentos.

Enquanto os grandes bancos comerciais costumam oferecer os seus próprios títulos como principal investimento, as corretoras oferecem uma variedade de títulos para que você possa escolher o melhor para o seu objetivo.

Por isso, se você deseja buscar os títulos mais vantajosos do mercado, é bem provável que vai encontrá-los nas corretoras de valores. Vale dizer que a escolha de uma corretora também é importante, pois algumas podem oferecer títulos interessantes, mas cobrar taxas abusivas.

Portanto, na hora de escolher a melhor corretora de valores, considere a tecnologia que ela oferece, a qualidade do atendimento e também o custo-benefício. 

2º Passo: defina seus objetivos

Uma vez que está com a sua conta aberta, está na hora de definir seus objetivos. Com eles bem traçados ficará fácil definir qual tipo de CDB você deve investir.

Por exemplo, se seu plano é guardar dinheiro para uma aposentadoria tranquila daqui 10 anos, você não precisa de liquidez diária, ou seja, de poder retirar o dinheiro a qualquer momento. Agora, se você pretende comprar um carro em pouco tempo, seria melhor estar com esse dinheiro disponível em um curto prazo, concorda?

Para cada objetivo que você tem, há um tipo de CDB que é mais adequado.

Portanto, saber onde você quer chegar é uma etapa fundamental para fazer um bom investimento e conquistar o que sempre sonhou.

Veja um plano personalizado para os seus objetivos
Teste grátis

3º Passo: escolha o melhor CDB e invista

Com seu objetivo bem definido, o próximo passo é escolher qual CDB atende suas necessidades. Normalmente, na área logada da sua corretora de valores há uma tabela com todos os produtos disponíveis.

Lembre-se de todos aqueles pontos que passamos durante o texto: preço, rentabilidade, prazo e banco emissor.

Também é muito importante fazer simulações e comparar com outros investimentos.

A boa notícia para quem está começando, ou quer ter uma ajuda na hora de escolher um investimento, é que aqui na Toro temos uma plataforma inteligente. Com ela, você pode ver quais os melhores CDBs do momento e também ver quais outras opções se encaixam às suas necessidades.

Basta colocar quanto dinheiro quer aplicar e em quanto tempo pretende ter o valor de volta. Antes de investir na Toro, você já consegue ver as melhores oportunidades com o prazo mínimo exigido, além da rentabilidade e do saldo final estimado.

E ao clicar em ver mais detalhes, você consegue comparar o rendimento com outros títulos de grandes bancos e até com a poupança. Dessa forma, você investe já sabendo que está fazendo uma boa escolha. Que tal testar essa ferramenta agora gratuitamente?

Invista nos melhores CDBs com poucos cliques
Acesse grátis