O CDI é o Certificado de Depósito Interbancário, isto é, um título emitido para que os bancos façam empréstimos entre si a uma taxa, também chamada de "taxa DI" que acompanha de perto a Selic do período. Esse número também funciona como balizador de investimentos de Renda Fixa.

Você provavelmente, ao procurar por novos tipos de investimentos, já se cansou de se deparar com a frase "rende 100% do CDI", "valorize seu dinheiro a 120% CDI" ou "rentabilidade de 90% do CDI garantida", não é mesmo? 

A taxa do CDI é a mais elementar referência para medida de rentabilidade em investimentos de Renda Fixa.

Essa taxa segue de perto a taxa básica de juros da economia (Selic) e é uma das mais relevantes do mercado, não só para os investimentos, mas também para entender o cenário macroeconômico do país. 

No artigo de hoje, você vai entender o que é o CDI, qual é e como é determinada a rentabilidade das diferentes taxas do CDI (90%, 100% ou 120%, por exemplo), bem como se dá esse cálculo na prática. Vamos lá?

Simulador de Renda FixaAproveite o jeito mais fácil de investir agora mesmo Faça seu cadastro grátis na Toro

O que é o CDI?

Antes de explicar o que significa a rentabilidade de 100% do CDI, precisamos compreender o que é de fato o CDI, uma das siglas mais importantes do mundo dos investimentos.

CDI significa Certificado de Depósito Interbancário. Em outras palavras, é um título emitido pelos bancos no curtíssimo prazo para emprestarem dinheiro uns aos outros a determinada taxa de juros.

Ora, se os bancos têm tanto dinheiro, por que precisam fazer empréstimos entre si? Isso acontece porque a regulação do Sistema Financeiro Nacional exige, como regra de segurança e estabilidade, que os bancos terminem todos os dias com saldo positivo no caixa.

Porém, isso nem sempre é possível no decorrer das atividades do banco, pois ele pode registrar mais saques do que depósitos ou realizar um investimento muito alto que consuma parte de suas reservas, por exemplo.

Assim sendo, o banco pode emitir um CDI que será adquirido por outra instituição bancária em necessidade de caixa para fechar o balanço conforme as regras. Nos dias seguintes, ele paga esse empréstimo e fica tudo certo.

Perceba, então, que somente os bancos, tanto públicos quanto privados, adquirem CDIs. Essas modalidades não estão disponíveis para investidores em geral.

O que é a taxa DI e sua relação com a Selic?

Ademais, é claro que esse empréstimo entre bancos não sai de graça, mas segue uma taxa de juros. A garantia dada nesses empréstimos são títulos públicos e, por isso, a taxa Selic é tão importante.

Todas as operações desse tipo ficam registradas na B3 − a nossa Bolsa de Valores − que também é responsável por calcular a taxa média dos juros que estão em prática nos CDIs do mercado como um todo.

Essa taxa é conhecida como "taxa DI" e representa os juros médios dos empréstimos entre os bancos, assim como é uma referência diária para rentabilidade dos investimentos de Renda Fixa.

Portanto, a "taxa DI" é a que usamos como referência para a "taxa do CDI". Então, os dois termos significam a mesma coisa. Você pode consultar essa taxa todos os dias no site da Toro.

Mas como é determinado o valor dessa taxa? Basicamente, a taxa do CDI segue de perto a taxa Selic, a taxa básica de juros da economia. Ou seja, se a Selic é de 7% ao ano, a taxa DI estará bem próximo disso. Apesar de elas não serem exatamente a mesma, elas andam na mesma direção.

Para manter a taxa do CDI perto da Selic, o Bacen entra na rodada de empréstimos dos demais bancos vendendo ou comprando CDIs a diferentes taxas, de modo que a média fique próxima do valor desejado. Por isso, a taxa DI se altera levemente todos os dias.

Então, a Selic serve para ser um guia e um ponto de equilíbrio pelo qual os empréstimos bancários vão ocorrer por meio de CDIs.

A Selic é revista a cada 45 dias nas reuniões do Conselho de Política Monetária (Copom), de acordo com as necessidades da economia. Confira abaixo o histórico de variação da Selic na última década:

 

No gráfico acima é possível notar que a taxa Selic foi reduzida em valores históricos em 2020 e 2021, sobretudo em função da pandemia, como uma medida de aumentar a circulação de dinheiro e baratear os empréstimos.

Porém, isso não significa que será sempre assim. A taxa Selic também é uma importante medida adotada na contenção da inflação, uma vez que torna o acesso ao crédito mais caro.

Em períodos de inflação elevada, é de se esperar que o Copom opte por aumentar o valor da Selic, elevando, em paralelo, a atratividade da Renda Fixa. 

Assim sendo, nos momentos que a taxa Selic estiver mais alta, os 100% do CDI vão render mais nominalmente. Por fim, antes de passar ao próximo tópico, confira um vídeo especial sobre como você pode começar a realizar investimentos hoje mesmo:

Qual o investimento em Renda Fixa mais seguro e rentável de hoje? Acesse grátis  e descubra em poucos segundos

Quanto é 100% do CDI hoje?

Agora que você compreende o que é o CDI e como ele se altera, já pode entender facilmente o que quer dizer 100% do CDI.

Um investimento rende 100% do CDI quando ele resulta no mesmo valor da rentabilidade da taxa DI durante o período e que, por consequência, será bem semelhante ao valor da Selic em vigência.

Isso significa dizer que render 100% do CDI é alcançar a variação da taxa DI enquanto o seu dinheiro estiver investido em uma aplicação que segue a totalidade do CDI. Portanto, se a Selic é 7% ao ano, por exemplo, para alcançar os 7%, você precisa ficar o ano inteiro com aquele investimento, pelo menos.

É claro que as empresas de investimentos do mercado pode oferecer títulos e outros investimentos a diferentes taxas do CDI para torná-los mais atrativos, como 110%, 120%, 200% do CDI ou mais, de acordo com o a taxa Selic à época e o nível de risco envolvido.

Quanto maior for a taxa Selic, mais atrativos ficam os investimentos de Renda Fixa.

Tome como exemplo a compra de um título que renda 100% do CDI no primeiro dia do ano e imagine que você se desfaça dele no último dia do mesmo ano. Então, você terá o rendimento total da taxa DI que, mais uma vez, segue de perto a Selic daquele ano de referência.

Se, durante esse período, a variação dessa taxa foi de 7%, por exemplo, seu rendimento será bem próximo disso, a descontar também as taxas administrativas e Imposto de Renda que possam ser aplicados.

Por falar em Renda Fixa, assista ao vídeo abaixo e veja como é simples realizar os seus primeiros investimentos nessa modalidade pela Toro:

Qual o investimento em Renda Fixa mais seguro e rentável de hoje? Acesse grátis  e descubra em poucos segundos

Simulador de 100% CDI: como calcular a taxa DI?

Então, saber quanto é 100% do CDI ficou muito fácil agora. O cálculo é feito observando o valor da  taxa do CDI durante o período da aplicação.

Agora, se o investimento oferece 120% do CDI, basta considerar o total da taxa DI mais 20% dela, por exemplo. Caso seja 150% do CDI, o resultado será uma vez e meia o valor da taxa DI do período e assim por diante.

Para facilitar a sua vida, você pode usar a calculadora do Banco Central, uma ferramenta que possibilita fazer correções pelo CDI desde 1986. 

Nesta calculadora do CDI, basta inserir a data de início e término do investimento, o valor e a percentagem da taxa DI (100%, por exemplo) para descobrir o quanto rendeu neste período.

Simulador e calculadora de rendimento do CDIFonte: Banco Central

Quanto rendeu 100% do CDI nos últimos anos?

Antes de terminar o artigo, é possível que você esteja curioso se os 100% do CDI nos últimos anos foram ou não um bom resultado de investimento. 

Confira abaixo a variação mensal da taxa do CDI, o que representa também um rendimento igual a 100% do CDI nos últimos anos:

Perceba que o rendimento do CDI desde 2015 vem caindo em virtude das reduções históricas na taxa Selic no período.

Além disso, realizamos uma apuração de quanto os 100% do CDI representaram em rendimento bruto desde 2011. 

Confira abaixo um exemplo de rentabilidade considerando uma aplicação hipotética de R$10 mil em um investimento que rende 100% do CDI.

O exercício foi feito pensando em realizar o investimento no primeiro dia do ano e o finalizar ao último dia útil do mesmo ano, ou seja, não cumulativo. 

Ano Valor investido Valor final a
100% do CDI*
Rentabilidade
(sem descontar a inflação)
2011 R$ 10.000 R$ 11.159,53 11,59%
2012 R$ 10.000 R$ 10.836,89 8,37%
2013 R$ 10.000 R$ 10.802,47 8,02%
2014 R$ 10.000 R$ 11.076,59 10,76%
2015 R$ 10.000 R$ 11.317,97 13,18%
2016 R$ 10.000 R$ 11.399,91 13,99%
2017 R$ 10.000 R$ 10.992,55 9,92%
2018 R$ 10.000 R$ 10.639,52 6,39%
2019 R$ 10.000 R$ 10.594,18 5,94%
2020 R$ 10.000 R$ 10.275,01 2,75%
2021
(janeiro a agosto)
R$ 10.000 R$ 10.205,24 2,05%

* Fonte: calculadora do cidadão do Banco Central

Importante: a rentabilidade do exemplo acima é bruta, isto é, não considera o impacto do  IPCA. Ao descontar a inflação do ano, você chega á rentabilidade real do investimento.

Quais investimentos seguem a taxa do CDI?

Como dissemos no decorrer do artigo, o CDI e, portanto, a Selic são principais referências de rendimento de aplicações de Renda Fixa.

Além disso, essa taxa pode servir para medir o desempenho geral de uma carteira em relação à variação do CDI. 

Alguns investimentos que seguem o CDI como referência são:

  • CDBs (Certificados de Depósito Bancários).
  • Contas e carteiras digitais remuneradas.
  • LCIs e LCAs.
  • Fundos de Investimentos.
  • Debêntures.
  • CRIs e CRAs.
  • Entre outros.

Para terminar, confira um vídeo especial e aprenda como investir na Renda Fixa e Fundos de Investimentos com a Toro:

Invista nos melhores investimentos da Renda Fixa com poucos cliques Veja qual é  o título mais rentável agora