Cadastre-se grátis

Quais são os melhores investimentos de baixo risco? Veja 4 opções!

Encontrar os melhores investimentos de baixo risco pode ser um desafio, mas com a orientação certa, é possível tomar decisões que condizem com seus objetivos financeiros.

Investir em opções de baixo risco é uma estratégia interessante para quem busca estabilidade e segurança nos investimentos. São ideais para pessoas que não querem correr grandes riscos e preferem ter a garantia de retorno sem muitos imprevistos.

Além disso, investimentos de baixo risco são uma ótima maneira de começar a investir e construir uma base sólida para o seu portfólio. Portanto, se você está procurando por alternativas que ofereçam segurança e estabilidade, a melhor alternativa são os investimentos de Renda Fixa.

Neste artigo, vamos mostrar como você pode investir com segurança sem precisar abrir mão de uma boa rentabilidade. Vamos lá?

O que são riscos nos investimentos?

Antes de começar, é importante ressaltar que investir dinheiro é uma estratégia inteligente e eficaz para fazer seu patrimônio crescer ao longo do tempo, mas todos os investimentos vêm com uma realidade incontornável: os riscos.

Compreender esses riscos é fundamental para tomar decisões informadas e proteger seu dinheiro, mantendo a segurança em primeiro lugar.

Risco, no contexto dos investimentos, se refere à possibilidade de perder parte ou a totalidade do dinheiro investido.

Existem vários tipos de riscos que investidores podem enfrentar, como:

Risco de oscilações no mercado: este é o risco associado às flutuações no mercado financeiro. Os preços dos ativos, como ações e títulos, podem subir ou cair devido a uma variedade de fatores, incluindo eventos econômicos, políticos e globais. Geralmente os investimentos de Renda Variável são mais arriscados.

Risco de crédito: está ligado à capacidade de pagamento do emissor do investimento. Se uma empresa ou entidade que emitiu um título de dívida, como um CDB, entrar em falência, o investidor pode perder parte ou todo o valor do investimento.

Risco de liquidez: refere-se à capacidade de vender um investimento rapidamente sem afetar seu preço. Imóveis, por exemplo, podem ter baixa liquidez, o que significa que pode ser difícil vendê-los rapidamente.

Risco inflacionário: quando a taxa de inflação é alta, o poder de compra do seu dinheiro diminui. Investimentos que não superam a inflação podem resultar em perda de valor real ao longo do tempo, como é o caso da Poupança.

Embora não seja possível eliminar completamente os riscos nos investimentos, é possível reduzi-los com algumas estratégias, como diversificar sua carteira, conhecer seu perfil de investidor,  manter seu dinheiro investido por mais tempo, criar uma reserva de emergência, educar-se sobre o tema, acompanhar o mercado e contar com ajuda de uma Assessoria de Investimentos.

Antes de vermos quais são os melhores investimentos de baixo risco, saiba como um Assessor de Investimentos pode te ajudar a conquistar melhores resultados no mercado financeiro, com segurança e eficiência:

Quais são os melhores investimentos de baixo risco?

Quando falamos em investimentos de baixo risco, provavelmente você lembrou da caderneta de Poupança. Entretanto, apesar de ser uma opção segura e fácil de gerenciar, o rendimento é muito inferior a outros investimentos de Renda Fixa, que também são seguros.

Para exemplificar, veja o gráfico abaixo que mostra o rendimento real da Poupança descontando a inflação do ano:

Então, colocando seu dinheiro na Poupança, o rendimento será tão baixo que ficará cada vez mais difícil alcançar um patamar interessante para multiplicar seus ganhos.

Existem opções muito mais rentáveis se você busca segurança e bons retornos. Listamos abaixo os melhores investimentos sem grandes riscos para você começar a aplicar dinheiro hoje mesmo.

1. Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um programa do governo que permite investir em títulos públicos. Eles são considerados de baixo risco porque contam com a solidez do governo.

Funciona assim: você empresta dinheiro para o governo e, em troca, recebe juros. É possível investir em diferentes modalidades do Tesouro Direto, como:

  • Tesouro Selic: o rendimento está atrelado à taxa Selic, sendo uma opção de baixo risco, pois é influenciado pela taxa básica de juros do país.
  • Tesouro IPCA+: o rendimento é composto por uma taxa fixa + a variação do IPCA, garantindo proteção contra a inflação.
  • Tesouro prefixado: nessa modalidade, você sabe exatamente quanto irá receber no vencimento, independentemente das oscilações de mercado.
  • Tesouro RendA+: funciona como uma espécie de previdência privada. Ele oferece uma rentabilidade mais alta do que a Poupança, ganhos reais (inflação + taxa real contratada) e paga uma renda extra na terceira idade.
  • Tesouro Educa+: título público cujo propósito é auxiliar famílias a investirem no futuro educacional de seus filhos. Funciona como uma Poupança, mas proporciona uma remuneração associada ao IPCA, assegurando proteção contra a inflação.

Investir no Tesouro é uma alternativa segura e muito simples também. Veja o passo a passo abaixo para adquirir esses títulos públicos:

2. CDB

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é uma opção oferecida pelos bancos. Esses investimentos também são considerados de baixo risco, pois contam com a proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante até R$ 250.000 por CPF e por instituição financeira.

Funciona como um empréstimo ao banco, onde o investidor recebe juros em troca do valor investido.

Os CDBs podem ter diferentes prazos de vencimento e oferecem rentabilidade pós-fixada (ligada ao CDI) ou prefixada.

Entre as vantagens do CDB, podemos ressaltar a diversificação de investimentos, liquidez em opções de CDB com resgate a qualquer momento e rentabilidade competitiva, dependendo do emissor e do mercado.

Entretanto, como a rentabilidade varia, e é essencial comparar ofertas e entender os termos antes de aplicar seu dinheiro. Você pode, por exemplo, ler o nosso artigo completo sobre como escolher o melhor CDB para comparar com outras possibilidades e investir melhor.

Antes de partir para o próximo tópico, veja um comparativo entre investir R$10 mil na Poupança e em um CDB que rende 100% do CDI:

3. Fundos de Renda Fixa

Os Fundos de Renda Fixa são uma opção vantajosa para quem busca investimentos seguros.

São investimentos coletivos administrados por gestores financeiros. Funcionam reunindo o dinheiro de diversos investidores e aplicando-o em diferentes ativos de Renda Fixa, como títulos públicos, CDBs, debêntures e outros instrumentos financeiros de baixo risco.

A rentabilidade desses fundos está diretamente ligada ao desempenho dos ativos em que investem. Consequentemente, quando os ativos da carteira se valorizam, os cotistas do fundo também ganham dinheiro.

Uma das principais vantagens desse investimento é a diversificação, uma vez que os gestores investem em vários ativos, reduzindo o risco em comparação com investir em um único título.

Além disso, muitos Fundos oferecem liquidez diária, o que significa que você pode resgatar seu dinheiro a qualquer momento.

Veja no vídeo abaixo como funcionam os Fundos de Investimentos e tire suas dúvidas:

Contudo, é importante estar ciente das taxas associadas aos Fundos, como a taxa de administração e a taxa de performance, que podem reduzir sua rentabilidade.

Ademais, a rentabilidade está sujeita às oscilações do mercado e às decisões do gestor do fundo. Portanto, antes de investir nessa categoria, é aconselhável ler o regulamento do Fundo escolhido, entender suas políticas de investimento e considerar suas tolerância ao risco.

4. Fundos DI

Outra possibilidade de investimento sem risco alto e com rendimento interessante são os Fundos DI.

Em resumo, os Fundos DI, ou Fundos de Investimento Referenciados DI, são um tipo de Fundo de Investimento que têm como principal característica a alocação majoritária em títulos de Renda Fixa pós-fixados, normalmente atrelados à taxa de juros básica da economia brasileira, o CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

Nessa modalidade, o gestor do Fundo investe o dinheiro dos cotistas principalmente em títulos públicos, como Tesouro Selic, ou em aplicações de Renda Fixa de baixo risco, com remuneração pós-fixada vinculada ao CDI.

A rentabilidade do fundo acompanha de perto a variação do CDI, o que significa que quando o CDI sobe, a rentabilidade do fundo tende a subir também.

Eles são considerados investimentos de baixo risco, pois a maior parte de sua carteira é composta por títulos de Renda Fixa. Eles também oferecem liquidez diária, o que significa que você pode resgatar seu dinheiro a qualquer momento.

Gostou de saber mais sobre Fundos? Então veja abaixo quais são os principais tipos oferecidos no mercado:

Como começar a investir com segurança?

No tópico anterior, trouxemos os investimentos mais seguros de Renda Fixa. Existem outras opções disponíveis, como LCI e LCA, Letras de Câmbio etc., mas as que citamos são as principais para quem busca riscos mínimos.

Se você quer começar a investir com segurança, temos alguns passos que podem te ajudar nessa jornada. Veja:

1. Estabeleça objetivos claros

Antes de investir, defina metas financeiras claras. Isso pode incluir economizar para a aposentadoria, comprar uma casa, criar um fundo de emergência ou financiar a educação dos filhos.

Ter objetivos claros ajudará a orientar suas escolhas de investimento.

2. Avalie sua tolerância ao risco

Determine qual é sua tolerância ao risco. Isso significa entender quanto risco você está disposto a assumir em seus investimentos em relação à possibilidade de perda.

Seja honesto consigo mesmo sobre sua disposição para lidar com a volatilidade dos mercados. Você pode, por exemplo, fazer o teste de suitability para saber o quanto você está disposto a investir para potencializar seus lucros.

3. Elimine dívidas

Se você tem dívidas a quitar, antes de começar a investir, a melhor alternativa é pagar as contas de juros altos, como cartões de crédito.

As taxas de juros dessas dívidas geralmente superam os ganhos dos investimentos, por isso tome cuidado para sair do vermelho e não gastar demais no cartão.

4. Construa uma reserva de emergência

Antes de se aventurar em investimentos um pouco mais arriscados, como ações, certifique-se de ter uma reserva de emergência em uma conta de fácil acesso.

Isso pode ajudar você a ter uma segurança financeira em caso de despesas imprevistas. Veja no vídeo abaixo qual é a importância de ter uma reserva de emergência e como montar uma de maneira eficiente:

5. Faça cursos sobre investimentos

Aprender sobre os diferentes tipos de investimentos é fundamental para quem deseja ganhar dinheiro com segurança.

Existem muitos recursos disponíveis, incluindo livros sobre investimentoscursos online gratuitos, que podem te auxiliar a entender melhor suas opções.

6. Diversifique

Evite colocar todo o seu dinheiro em um único investimento. A diversificação, ou espalhar seus investimentos por diferentes ativos, reduz o risco geral de sua carteira.

7. Comece com investimentos de baixo risco

Como vimos até aqui, você pode começar com investimentos de baixo risco, como títulos do governo ou Fundos de Renda Fixa. Isso permite que você se familiarize com o funcionamento dos investimentos sem expor seu dinheiro a grandes riscos.

⚠️ Porém, lembre-se de que investir sempre envolve algum grau de risco, e não há garantia de lucro. No entanto, com educação, planejamento e dedicação, você pode começar a investir com segurança e buscar alcançar seus objetivos financeiros.

8. Abra uma conta na Toro

Aqui na Toro, nós temos Assessores de Investimentos que podem ajudar você a tomar as melhores decisões para manter seus investimentos lucrativos com segurança.

Em poucos cliques, você abre uma conta e começa a investir em alternativas rentáveis que podem trazer ótimos retornos no longo prazo.

Faça aqui seu cadastro gratuito e comece a multiplicar seu patrimônio com investimentos inteligentes e de baixo risco.

Deixe um comentário

Gostou do artigo? Deixe um comentário sobre o que achou do conteúdo!