Cadastre-se grátis

Onde investir R$ 400 mil em 2024? Veja os ativos mais rentáveis!

Saber onde investir R$ 400 mil hoje com inteligência e rentabilidade é um exercício que pode lhe levar ao enriquecimento e à aposentadoria de modo mais rápido e com risco manejado.

Essa quantia já é capaz de criar uma carteira altamente diversificada e/ou suficiente para gerar renda passiva de bom volume mensal.

Neste artigo, você vai saber quanto rendem R$ 400 mil na Poupança, aplicações que seguem o CDI, Tesouro Direto, Bolsa de Valores e outras aplicações nas quais pode alocar essa quantia para fazer o dinheiro trabalhar para você. Vamos lá?

Quanto rendem R$ 400 mil na Poupança por mês e por ano?

Quando falamos em investir, é natural que, no Brasil, as pessoas pensem imediatamente na caderneta de Poupança pela questão cultural e desconhecimento de outras alternativas.

A Poupança no Brasil tem um rendimento composto por duas partes: uma taxa de juros em 70% da taxa Selic quando esta é igual ou menor a 8,5% ao ano, e a Taxa Referencial (TR). Quando a Selic for maior que esse patamar, ela rende 0,5% ao mês + TR.

Atualmente, a TR tem se mantido próxima a zero ou pouco acima disso.

Portanto, para calcular a rentabilidade anual ou mensal da Poupança com um retorno de, por exemplo, 0,65% ao mês (considerando já a TR), basta aplicar esse valor ao montante do investimento.

Assim, para R$ 400 mil investidos na caderneta temos:

  • Rentabilidade mensal: 0,0065 × 400.000 = R$ 2.600
  • Rentabilidade anual: retorno mensal × 12 = R$ 31.200

Lembrando que os cálculos acima e no decorrer do artigo não consideram os efeitos dos juros compostos. Ou seja, deixando o dinheiro investido, o retorno seria maior.

Além disso, é essencial levar em conta o impacto da inflação, ou seja, descontar a perda do poder de compra do dinheiro na sua análise de lucratividade.

Veja, no gráfico abaixo, o rendimento ano a ano da caderneta e seu retorno real, isto é, calculando o impacto da inflação:

Quanto rendem R$ 400 mil em 100% do CDI?

Ao observarmos o gráfico acima, também podemos perceber a relevância do rendimento do CDI – Certificado de Depósito Interbancário, conhecido como “Taxa DI”. Essa medida de rentabilidade é extremamente importante em investimentos de Renda Fixa.

Hoje, considerando a taxa Selic em 11,25% ao ano e o CDI em torno de 11,15% ao ano, o rendimento de R$ 400 mil em uma aplicação de 100% do CDI seria:

  • Rendimento anual: 0,1115 × 400.000 = R$ 44.600
  • Rendimento mensal: retorno anual ÷ 12 = R$ 3.716,33

Lembrando que esses valores ainda passam pela tributação do Imposto de Renda, ou seja, esses são os valores brutos.

Daí, podemos concluir que as aplicações que acompanham a Selic e/ou o CDI tem retorno acima da Poupança na atualidade.

Além disso, você consegue um alto nível de segurança semelhantes à Poupança em investimentos mais conservadores, como o Tesouro Direto.

Quanto rendem R$ 400 mil no Tesouro Direto?

Nos títulos públicos do Tesouro Nacional, você consegue diversificar com 3 tipos de rentabilidade: prefixada (juros fixos anuais), atrelada à Selic (taxa básica de juros + juros fixos) ou atrelada à inflação (IPCA + juros fixos).

Desse modo, você pode criar estratégias para aumentar a rentabilidade quando a Selic estiver elevada e usar o IPCA como indexador para se proteger da inflação.

No Tesouro Selic, por exemplo, dado que esta taxa está no patamar de 11,75% ao ano, teríamos:

  • Rendimento anual: 0,1125 × 400.000 = R$ 45.000
  • Rendimento mensal: retorno anual ÷ 12 = R$ 3.750,00

SAIBA MAIS:
➡️ Descubra quanto rendem 300 mil reais no Tesouro Direto hoje
➡️ Quanto rende R$ 100, 200, 300, 400 e 500 mil no Tesouro Selic por ano e por mês?

Confira, na tabela abaixo, o retorno anual da Selic nos últimos anos:

AnoRetorno anual da Selic
202313,04%
202212,39%
20212,94%
20202,11%
20194,26%
20184,62%
20176,61%
20168,30%
20158,15%
201410,86%
20138,18%
20128,46%

Ademais, para os títulos atrelados à inflação, você deve considerar o fechamento do IPCA do período em que está investindo. Para isso, pode usar a calculadora do IBGE. Além disso, veja como a inflação tem se comportado nos últimos anos:

Quanto rende R$ 400 mil na Bolsa de Valores e ativos pagadores de dividendos?

Na Renda Variável, ao investir nos produtos disponíveis na Bolsa de Valores, você poderá obter ganhos de unicamente duas maneiras:

  • Aumento na cotação nos preços dos ativos da sua carteira (ações, Fundos Imobiliários, ETFs, BDRs).
  • Ganhos em dividendos e rendimentos (parcela do lucro pago por empresas e FIIs).

Como as cotações mudam todos os dias, diferentemente da Renda Fixa, não é possível determinar o rendimento anual e mensal dos ativos da Bolsa, ou seja, desconfie de quem lhe promete rentabilidade garantida nesses investimentos.

Por outro lado, se você montar uma carteira de ações e/ou FIIs que segue de perto as oscilações do Ibovespa (índice do mercado acionário) ou do IFIX (índice dos Fundos Imobiliários), terá uma rentabilidade parecida.

Na Bolsa, isso pode ser feito com uma estratégia de Fundos passivos, como os ETFs do Ibovespa.

Ao longo dos anos, entre 2002 e 2022, você teria alcançado um ganho médio anual de 10,46% de taxa de crescimento anual composta (CAGR), considerando ainda que o desempenho passado não é garantia de resultados futuros.

Essa análise leva em conta o fechamento do IBOV em 2001, com uma cotação de 13.577 pontos, e o fechamento em 2022, com uma cotação de 109.735 pontos, resultando em uma rentabilidade de incríveis 708,2%.

Então, quem investe na Bolsa deve focar no longo prazo e não se guiar pelas emoções dos movimentos de dias ou meses.

De ano em ano, você estaria cada vez mais perto de alcançar o seguinte rendimento:

AnoVariação do Ibovespa
2023+22,28%
2022+4,69%
2021-11,93%
2020+2,92%
2019+31,58%
2018+15,03%
2017+26,86%
2016+38,94%
2015-13,31%
2014-2,91%
2013-15,5%
2012+7,40%
2011-18,11%
2010+1,04%
2009+82,66%
2008-41,22%
2007+43,65%
2006+32,93%
2005+27,71%
2004+17,81%
2003+97,34%
2002-17,01%

Além disso, investir na Bolsa implica em um nível de risco mais alto, sendo recomendado para investidores com perfil moderado ou arrojado.

R$ 400 mil: quanto recebo em ações de dividendos ou Fundos Imobiliários?

Para quem pensa em alocar os seus R$ 400 mil em uma carteira de dividendos, um portfólio de FIIs ou uma combinação de ambos para obter renda passiva, é preciso fazer cálculos específicos.

O Dividend Yield (DY) é uma métrica que expressa a relação entre os dividendos pagos por uma empresa ou Fundo Imobiliário e seu preço de mercado.

Calculado como a divisão dos dividendos anuais pelo preço da ação ou cota, o DY é uma medida de retorno de investimento em termos percentuais.

Para uma carteira de renda passiva, o DY é crucial, pois indica o potencial de geração de renda recorrente. Quanto mais alto o DY, maior é a proporção dos rendimentos distribuídos em relação ao valor investido, sendo um indicador relevante para investidores que buscam uma fonte estável de renda.

Muitos dos Fundos Imobiliários de destaque costumam pagar, em média, entre 0,5% e 1,5% ao mês do valor da cota como forma de remuneração (o conhecido dividend yield).

Para um exemplo teórico, considere uma carteira de Fundos Imobiliários (FIIs) e ações com um DY combinado de 0,75% ao mês. Se você possui R$ 400 mil investidos:

  • Rendimento mensal: 0,0075 × 400.000 = R$ 3.000
  • Rendimento anual: retorno mensal × 12 = R$ 36.000

Onde investir R$ 400 mil em 2024?

Conforme mencionado anteriormente, no mercado financeiro, diversificar um montante de R$ 400 mil não é uma tarefa difícil, levando em consideração diferentes níveis de risco e objetivos.

Para investimentos com prazos e metas específicas, é recomendado dar prioridade aos produtos de Renda Fixa. Porém, com o foco no longo prazo, a Bolsa de Valores oferece uma ampla gama de possibilidades e retorno consideravelmente maior.

Outra opção vantajosa é investir em Fundos de Investimentos, que permitem uma maior diversificação e contam com a expertise de gestores profissionais para administrar a carteira.

Dessa forma, os melhores investimentos para o montante de R$ 400 mil são:

Renda Fixa

Na Renda Fixa, as principais formas de diversificar sua carteira são:

  • Tesouro Direto: títulos públicos prefixados, Tesouro Selic, Tesouro IPCA, Tesouro RendA+ e Tesouro Educa+.
  • CDBs: emitidos por bancos de diferentes tamanhos e níveis de risco/rentabilidade.
  • LCI/LCA e CRI/CRA: títulos emitidos para financiamento dos setores imobiliário e agropecuário.
  • Debêntures: emitidas por empresas como forma de capitalização de suas operações ou reperfilar suas dívidas.

Renda Variável

Na Bolsa de Valores, você pode recorrer a:

  • Ações: empresas de crescimento ou grandes nomes para ganhar com as cotações e dividendos.
  • Fundos Imobiliários: investimento no setor imobiliário que gera um fluxo constante de renda passiva.
  • BDRs: estratégia de diversificação em empresas estrangeiras.
  • Moedas: exposição cambial para parte do seu patrimônio.

Fundos de Investimentos

Por fim, pode ainda, a fim de ter menos trabalho na escolha, gestão e administração de seus ativos, contar com a experiência dos gestores de Fundos renomados no mercado.

Com diferentes tipos e estratégias, você consegue montar um portfólio vencedor e bem administrado. As principais possibilidades são:

Tipos de Fundos de Investimentos

Melhores investimentos selecionados por especialistas

Para terminar, recomendamos ainda investir nos ativos selecionados e recomendados pelo time de Análise da Toro.

Todos os anos, nossos experts fazem uma leitura do mercado e cenário econômico para mapear as principais oportunidades em todas as classes de invementos. Confira:

➡️ Os melhores investimentos para 2024, segundo os experts da Toro

Além disso, lembre-se sempre de consultar um Assessor de Investimentos para criar e administrar seu plano de alocação da melhor forma. Aqui na Toro, ao investir acima de R$ 100 mil, você ganha esse benefício exclusivo:

fundo-lp-assessoria-100k-blog