O recibo do IRPF é o documento emitido após você declarar o Imposto de Renda. Esse documento é o que comprova que o seu documento foi enviado à Receita Federal.

Além disso, ele é essencial para aqueles contribuintes que gostam de acompanhar a situação da sua declaração por meio da internet. Se você perdeu ou esqueceu de salvar seu recibo, veja agora como você pode recuperar esse documento.

Como recuperar recibo do Imposto de Renda (IRPF)

Como você já sabe, o recibo de entrega da declaração do Imposto de Renda é um documento que comprova que seus dados foram enviados à Receita Federal. A principal informação desse recibo é o seu número de identificação.

Por meio dele, o contribuinte poderá acompanhar o andamento da sua declaração no site da Receita e, até mesmo, retificar o documento, caso seja necessário. Esse número de identificação é composto por 12 dígitos.

Quando o contribuinte perde o recibo, fica muito difícil saber qual era o número de acompanhamento da sua declaração.

Pensando nisso, a Receita Federal criou alguns mecanismos para que o contribuinte possa recuperar o recibo e, assim, ter acesso ao seu código e aos dados da sua declaração.

Basicamente, temos três formas distintas de fazer isso. Vamos passar por cada uma delas detalhadamente. Veja só:

Recuperar recibo IRPF no portal e-CAC

O portal e-CAC é uma página administrada pela Receita Federal e disponibilizada para toda pessoa física ou jurídica que possua CPF ou CNPJ. Nesse local, é possível realizar uma série de consultas sobre a vida de uma pessoa com relação à Receita: seus débitos fiscais, declarações enviadas, processos, parcelamentos, entre outros.

Além dessas opções, também é possível recuperar o número do recibo das declarações do Imposto de Renda que foram transmitidas pelo contribuinte. O acesso no Portal e-CAC pode ser feito de duas formas:

  1. Primeiro, você pode acessar a página utilizando um certificado digital de sua titularidade. Assim, basta entrar na página e clicar nesta opção.
  2. A outra forma, é com o código de acesso que, caso você não possua, pode gerar um facilmente na própria página. Após acessar o portal e-CAC, é necessário clicar no menu “Certidões e Demonstrativos”.
    Dentro dessa opção, clique no link “DIRPF declaração do Imposto de Renda Pessoa Física. Abrirá uma nova página e, no segundo grupo de opções, você verá a possibilidade de reimprimir o seu recibo de transmissão.

Imposto de Renda descomplicado: veja o guia gratuito
Baixe grátis

Recuperar recibo IRPF no computador utilizado para enviar a declaração

Uma das formas mais simples de recuperar o recibo de transmissão da sua declaração é por meio do computador utilizado para transmiti-la. Quando o arquivo produzido pelo programa que gera a declaração é salvo no disco rígido do seu equipamento, basta abri-lo e solicitar a impressão.

Para fazer isso, abra o programa da Receita usado para envio da declaração e selecione o menu superior “Declaração” em seguida, “Imprimir” e depois, “Recibo”.

Abrirá uma página com todos os recibos de declarações transmitidas. Assim, basta selecionar aquele do seu interesse e fazer o download.

Entretanto, para que isso funcione de forma correta, é preciso que a declaração anterior esteja devidamente salva em uma pasta específica dentro do seu computador. O programa fará a localização desse documento, caso ele não encontre, não será possível restaurar o recibo dessa forma.

Recuperar recibo IRPF no celular utilizado para enviar a declaração

Desde o ano de 2013, é possível preencher e transmitir a sua declaração do Imposto de Renda por meio de um dispositivo móvel, ou seja, tablets ou celulares. Assim, nesses casos, também é possível recuperar o recibo de transmissão.

No caso de smartphones equipados com sistema operacional Android, basta acessar a pasta de downloads do seu aparelho e clicar sobre o arquivo do recibo que ficou salvo neste diretório.

Para os aparelhos que contam com o sistema iOS, os arquivos poderão ser encontrados dentro da pasta em que o programa está instalado. Sendo assim, para localizar o recibo é necessário utilizar o Itunes, programa que explora os dados instalados nos aparelhos com esse sistema operacional.

Independentemente do aparelho, é necessário que você tenha instalado em seu celular o app IRPF e tenha a cópia da declaração enviada e o recibo baixados em seu smartphone.

Recuperar recibo IRPF em uma unidade da Receita Federal

Por fim, se nenhuma das opções que mencionamos funcionar, você ainda tem uma última oportunidade de recuperar o recibo da sua declaração do Imposto de Renda. Basta dirigir-se a uma unidade da Receita Federal do Brasil espalhadas pelos quatro cantos do país.

Sendo assim, você precisará agendar um horário por meio do portal e-CAC e dirigir-se à agência no dia e hora marcados para receber o atendimento de um especialista.

Também é importante levar os seus documentos pessoais para comprovar a sua titularidade.

Como a declaração do IR é um documento sigiloso e que carrega alguns dados muito íntimos do contribuinte, somente ele ou alguém com uma procuração pode dirigir-se à Receita para emitir uma 2ª via do recibo da declaração.

Confira os documentos para guardar do Imposto de Renda

A declaração do Imposto de Renda é um documento que precisa ser armazenado por, no mínimo, 5 anos após a sua transmissão. Sendo assim, além do recibo que comprova o envio do documento, é necessário que você armazene os documentos que comprovam os dados que constam em sua declaração.

O Informe de Rendimentos é o principal deles.

Com ele, é possível comprovar que as receitas que foram informadas, bem como os descontos para contribuição do INSS e para o próprio Imposto de Renda, estão corretos e conferem com o documento oficial.

Além disso, é importante armazenar uma cópia de segurança, gerada no próprio programa da declaração, e salvar em, no mínimo, dois dispositivos. Pode ser no seu computador e em um HD externo, por exemplo.

Dessa forma, caso você precise recuperar o recibo de transmissão, pode seguir as dicas que mencionamos nos tópicos anteriores deste artigo. Por fim, é necessário guardar todos os documentos que comprovam as despesas informadas, tais como: gastos com saúde e educação.

Esses documentos poderão servir para comprovar a veracidade dos dados informados na sua declaração do IR, caso você venha a cair na malha fina.

Por exemplo, caso você tenha passado por um procedimento cirúrgico em hospital particular, deve guardar todas as notas fiscais e laudos. Isso porque um fiscal da Receita pode achar estranho aquela grande movimentação de despesas médicas e solicitar os documentos que comprovem que você, efetivamente, passou pelo tratamento.

Por isso, é muito importante checar se todas as informações foram inseridas da forma correta e guardar os comprovantes. Caso contrário, você poderá receber um convite para prestar esclarecimentos, e isso pode atrasar o pagamento da sua restituição de IR e também seus planos para o futuro.

Saiba onde investir sua restituição do Imposto de Renda
Simule e compare

Não caia na malha fina do Imposto de Renda 2019

A malha fina é um problema que afeta muitas pessoas e, acredite, a grande maioria dos casos é devido a questões simples que poderiam ter sido facilmente evitadas, caso o contribuinte tomasse cuidado com alguns pontos.

O que mais gera incidência desse problema está ligado aos rendimentos. Muitas pessoas acabam omitindo, mesmo que inconscientemente, algumas das suas fontes de renda.

Como a Receita Federal tem acesso a outras informações de suas fontes pagadoras, ela consegue identificar automaticamente que foram omitidos valores da sua declaração.

É importante ter cuidado também com os rendimentos das pessoas que você adiciona como dependentes.

Em alguns casos, quando essas pessoas trabalham com carteira assinada, a Receita Federal tem acesso aos dados dos salários recebidos ao longo do ano.

Sendo assim, o fisco pode solicitar que você informe os rendimentos corretamente ou até mesmo concluir que determinada pessoa não poderia ter sido incluída em sua declaração como dependente.

Com isso, pode te obrigar a retificar a declaração, excluir o dependente e pagar a diferença de imposto. O mesmo ocorre com pessoas que colocam aposentados e pensionistas como dependentes.

Além disso, é preciso ter atenção aos valores retidos para Imposto de Renda durante todo o ano.

Esse montante precisa ser devidamente informado na sua declaração. Um simples erro de digitação pode fazer com que você caia na malha fina.

Também é importante verificar as despesas com saúde. Nesse caso, tenha cuidado para não inserir um valor acima do que realmente gastou. A Receita Federal tem mecanismos extremamente avançados para encontrar diferenças entre o que você declarou e os planos de saúde ou médicos que você consultou declararam.

Os aluguéis pagos e, principalmente, os recebidos, precisam ser registrados em sua declaração do Imposto de Renda. Principalmente, se você é o locador de imóveis. Isso porque, esse valor compõe os seus rendimentos no cálculo do Imposto de Renda e, mesmo que não ultrapassem o limite para gerar o imposto devido, devem ser registradas.

As despesas com o cartão de crédito e movimentação bancária também precisam ser avaliadas com muito cuidado. 

Existem pessoas que emprestam suas contas e cartão de crédito para terceiros utilizar. Do ponto de vista da pessoa, talvez não haja problema algum. Entretanto, a Receita Federal pode avaliar essa movimentação como incomum e notificar você para prestar esclarecimentos sobre os valores. Em muitos casos, o contribuinte vai direto para a malha fina.

Além desses pontos, é necessário avaliar outros detalhes que podem causar dor de cabeça se não forem feitos da forma correta:

Agora que você já sabe como recuperar recibo IRPF, é só escolher uma alternativa que mostramos aqui e retirar o seu o quanto antes. Afinal, ele também é utilizado na declaração deste ano e você não pode perder o prazo de envio.

Se tiver alguma dúvida sobre o IR, vale pedir ajuda a um profissional de contabilidade da sua confiança. Assim, você pode declarar tudo certinho e foge da malha fina.



Quer saber mais sobre o Imposto de Renda? Baixe grátis o guia descomplicado:

Imposto-de-Renda-declaracao