Se você está começando a investir, ou já investe há algum tempo, provavelmente já ouviu alguns termos curiosos. Um deles é o tal “operar vendido”. Você sabe o que isso significa?

É exatamente sobre esse termo que vamos falar neste artigo. Aprenda como operar vendido e descubra uma possibilidade de investir e ter bons resultados com ações que estão caindo.

O que significa operar vendido?

Muitas pessoas não sabem, mas ao investir na Bolsa de Valores, além de lucrar com a valorização do preço das ações, também é possível ganhar quando o preço dessa ação está em queda. E é aí que a ideia de operar vendido entra.

Você pode vender uma determinada ação por um preço mais alto para depois comprá-la por um preço mais baixo.

Mas como isso é possível? Para lucrar com essa desvalorização, você faz a venda da ação e depois compra por um preço menor, mesmo se não a tiver em carteira. Essa estratégia é chamada de operação vendida, de venda a descoberto ou também pelo termo em inglês short selling.

Como é possível ter lucro ao operar vendido?

Como falamos, quando você opera vendido significa que vendeu uma ação acreditando na queda do seu preço. Assim, na hora de encerrar sua operação, você comprará as mesmas ações a um preço mais baixo no mercado e ganhará com essa diferença de preços.

Vale lembrar que a tendência de uma ação (de subir ou cair) pode ser observada a partir de gráficos e dados que o próprio mercado oferece. Isso significa que suas decisões ao operar vendido devem ser sempre baseadas em informações concretas.

Está tudo ainda um pouco confuso sobre como operar vendido? Que tal ver um exemplo prático de como você pode ter ganhos com operações vendidas:

Vamos imaginar que os analistas da Toro, se baseando em um cenário favorável para a queda de preços da ação da empresa A, enviam uma recomendação de venda na nossa plataforma.

Você, como investidor, quer lucrar com essa desvalorização e entra nessa recomendação. Dessa forma, a Bolsa de Valores permite que você faça a venda de ações, mesmo sem tê-las em carteira, para depois recomprá-las por um preço menor e obter lucro nesta movimentação.

Seguindo nesse exemplo, digamos que você vendeu 200 ações da empresa A pelo valor de R$24,30. Após algumas horas, no mesmo dia, o preço das ações caiu para R$23,92. Você, então, realiza a compra das mesmas 200 ações pelo preço mais baixo, encerrando assim sua operação.

Com isso, seu lucro foi de R$0,38 por ação, considerando que você comprou a um preço mais baixo do que você vendeu inicialmente. Multiplicando pela quantidade de ações que você negociou, seu lucro nesse exemplo seria de R$76.

Vale lembrar um detalhe importante:
a venda e a compra das ações ocorreram
no mesmo dia.

É por isso que você consegue negociar ações que nem estão em sua carteira, já que ainda não houve o fechamento do mercado. Logo mais, vamos mostrar como é possível operar vendido por mais de um dia com ações que não estão em sua carteira.

Aprenda como se tornar um investidor de sucesso na Bolsa

Acesse o curso gratuito

Como funciona o manejo de risco ao operar vendido?

O manejo de risco é essencial para quem quer investir no mercado de renda variável, ou seja, na Bolsa de Valores. Ter em mente o quanto você pretende obter de lucro e o quanto tem disposição para se expor em uma operação é uma maneira de controlar seu risco na Bolsa e construir uma estratégia sólida.

Como as operações de venda focam na queda de preços de uma ação, e o mercado nem sempre corresponde ao que é esperado devido à sua volatilidade, é possível que haja uma mudança de cenário e durante a operação de venda o ativo tenha uma alta de preço em vez de cair.

Quando isso acontece, o investidor que decide operar vendido pode comprar de volta as ações pelo novo preço (mais alto), e suportar as perdas financeiras dessa operação. Parece ruim aceitar perder, certo? Porém, essa atitude diante de uma operação que não deu certo é importante para que você entenda que o mercado é bastante dinâmico.

Daí a importância de investir com estratégia e controlar os riscos, assim você tem mais preparo para os cenários de lucro ou perda.

Para fazer esse manejo de risco na prática, seu planejamento de ganho ou de perda deve se basear no preço de venda das ações. Dessa maneira, seu objetivo de ganho deve ser um valor abaixo do seu preço de venda e seu limite de perda (quanto você aceita perder, caso haja uma mudança de cenário) deve ser um valor acima do preço de venda definido nessa operação.

Veja só um exemplo para entender como funciona o manejo de risco para uma operação vendida:

Digamos que você vendeu 100 ações pelo preço médio de R$10,00 e pretende encerrar sua operação com um ganho aproximado de R$150,00. Sendo assim o seu planejamento de lucro irá considerar uma queda de R$1,50 no preço de cada ação.

Para esse mesmo exemplo, digamos que você aceita perder aproximadamente o mesmo valor de R$150,00. Então seu planejamento de perda deverá considerar uma alta de R$1,50 no preço de cada ação. Veja essa dinâmica na imagem a seguir:


operar-vendido2

Descubra as ações mais interessantes do momento

Explore o mercado

O que acontece se você permanecer com as ações vendidas por mais de um dia?

Lembra quando falamos sobre operar vendido, vendendo e comprando as ações que estão fora da sua carteira no mesmo dia? Bem, existem situações em que o investidor fica com as ações vendidas de um dia para o outro.

Isso acontece quando você vende as ações que não estão na sua carteira e não as compra de volta no mesmo dia.

Se você fica com as ações vendidas mais de um dia, é necessário alugá-las de quem possua essas ações compradas em carteira.

Parece estranho falar em aluguel de ações, certo? Mas a ideia é essa mesmo, algo parecido a um empréstimo, por exemplo. Se isso acontecer com você, não precisa se preocupar. Na prática, quem busca essas ações no mercado para você alugar é sua própria corretora de valores.

Ao enviar a ordem de venda das ações, automaticamente a equipe responsável da sua corretora faz a busca da quantidade que você quer vender, para que você possa tomar as ações emprestadas e realizar seu investimento.

Vale lembrar que, nesse processo
de aluguel de ações, há um custo:
o chamado “custo de aluguel”.

A taxa desse aluguel é definida pelo investidor que coloca as ações disponíveis para alugar no mercado, por isso ele costuma ser identificado como o “doador”. E você, que aluga as ações, é chamado de “tomador”.

Conheça as melhores oportunidades da Bolsa agora

Explore o mercado

Como funciona a margem de garantia para operar vendido?

Ao realizar uma venda a descoberto, ou seja, vender um ativo que você não possui em carteira, é exigido somente uma garantia para iniciar esse investimento. Isso permite que você invista sem ter o valor integral em conta. Veja um exemplo:

Digamos que você decidiu realizar a venda de 100 ações da empresa B pelo preço de R$27,96 cada uma. Nesse caso, seria necessário uma garantia de somente R$699,00 para realizar o investimento, e não do valor total que seria de R$2.796,00. Veja na imagem abaixo:


operar-vendido1

Após realizar a venda, ocorre a entrada de um crédito em sua conta no valor de R$2.796,00 no 3º dia útil, que é o prazo da liquidação financeira do mercado de ações.

No mesmo dia da liquidação financeira desta venda, a Bolsa de Valores irá solicitar um valor na sua conta, mais conhecido como requerimento de garantia ou chamada de margem, referente a essa venda a descoberto

O valor retido será o preço de cada ação vezes a quantidade de ações vendidas mais o valor necessário para iniciar o investimento, que neste exemplo é de R$699,00.

É importante dizer que fica retido somente um valor que a própria Bolsa de Valores solicita. E essa solicitação é feita por ela para garantir que você tem recurso suficiente para recomprar as ações que você vendeu anteriormente e encerrar o seu investimento de venda a descoberto.

Vale ressaltar que, de acordo com as oscilações do mercado e as suas demais operações, a Bolsa pode solicitar mais margem de garantia, fazendo com que seja necessário que você envie mais recursos para sua conta ou então encerre sua posição.

Você pode ver esses novos débitos no extrato de sua corretora, que aparecem como “requerimento de garantia” da Bolsa.

Precisamos te lembrar também que é muito importante dar uma atenção especial a todos esses lançamentos na sua conta, pois ao realizar a operação vendida, sua corretora considera seu fluxo projetado para os próximos dias.

Com isso, se você faz uma operação vendida, o valor da venda constará para você como “Dinheiro em conta”. Porém, o valor da cotação atual do ativo mais a garantia necessária para iniciar o investimento será requerido pela Bolsa no prazo de 3 dias úteis após o início da sua operação.

Após encerrar o seu investimento de venda a descoberto, a Bolsa de Valores irá devolver exatamente o mesmo valor que foi retido anteriormente em sua conta. Isso acontece no 3º dia útil após a compra das ações e, portanto, o encerramento do investimento.

Por exemplo, imagine que você possui um valor de R$3.000,00 retido no requerimento de garantia por ter realizado um investimento de venda a descoberto e comprou as ações de volta para encerrar seu investimento no dia 2 do mês de abril de 2019.

Desta forma, o valor de R$3.000,00 irá voltar para você em forma de crédito em sua conta na corretora após três dias úteis. No exemplo que demos aqui em cima, então, você receberia a quantia de volta no dia 05 de abril. No seu extrato, o dinheiro devolvido pode ser identificado como “devolução de margem de garantia”.

Descubra as ações mais interessantes do momento

Explore o mercado

Como interpretar os lançamentos em minha conta de uma operação vendida?

Já que falamos sobre as movimentações de margem e outros valores na sua conta, é interessante mostrarmos como essas quantias podem ser identificadas no seu extrato da corretora.

Lembra do exemplo que demos sobre como operar vendido e sobre a margem de garantia? Veja na tabela abaixo como esses valores se apresentam no seu extrato:

Venda de 100 ações da empresa A por R$27,96 cada
Data da venda das ações Data de liquidação financeira Descrição Valor

11/03

14/03

Nesta data também acontece o requerimento de garantia.

Comprovante de operação do dia 11/03

+R$2.796,00 (crédito)

 

Vejamos as principais informações desse quadro:

  • No 3° dia útil da operação, que nesse exemplo é o dia 14 de março, o valor da venda que você realizou entra em sua conta da corretora, como se você tivesse realmente realizado a venda de algo que possuía. Essa movimentação é chamada de liquidação financeira.
  • No mesmo dia da liquidação financeira, acontece também o requerimento de garantia.
  • O valor do requerimento de garantia feito pela Bolsa de Valores e retido do seu saldo é calculado da seguinte forma:

     

    (valor das ações no mercado X quantidade de ações vendidas) + valor necessário para iniciar o investimento

Agora, vejamos as informações que aparecem no seu extrato, quando você encerra a operação vendida ao comprar ações de volta:

Compra de 100 ações da empresa A por R$26,46 cada
Data da compra das ações Data de liquidação financeira Descrição Valor

12/03

15/03

Nesta data, o valor que está retido como “requerimento de garantia” será liberado da sua conta pois a operação foi encerrada.  

Comprovante de operação do dia 12/03

-R$2.646,00
(débito)

 

  • Quando você encerra o investimento comprando as ações de volta, aparecerá em sua conta um débito do valor total da operação. Mas o valor da venda já tinha entrado em sua conta, lembra?
  • Se o valor da compra for menor, significa que você teve um lucro na operação. No caso do exemplo, você teve um crédito de R$2.796,00 devido à operação vendida e depois um débito de R$2.646,00 após a compra das mesmas ações. Seu resultado, portanto, foi um lucro de R$150,00.

Pode parecer tudo complicado à primeira vista, mas depois que você entende como funcionam os fluxos financeiros e o mecanismo de operar vendido, as dúvidas vão diminuindo e tudo parece bem mais simples.

Agora você já sabe como operar vendido, tem mais uma alternativa em mãos para investir e ter bons resultados mesmo quando o mercado estiver em queda. Lembre-se que você sempre pode contar com a ajuda de um assessor de investimentos, ele é o profissional mais qualificado para te ajudar a investir melhor.

Aqui na Toro, nossa maior missão é ser a ponte entre você e seus sonhos. Por isso, criamos uma plataforma simples e fácil de usar, onde você pode aproveitar as melhores oportunidades da Bolsa investindo com poucos cliques.

Nova call to action