Que tal conhecer um investimento de renda fixa que pode gerar uma boa rentabilidade? As debêntures podem ser uma excelente opção, principalmente para quem deseja ter uma carteira diversificada, ou seja, ter várias aplicações diferentes e ter mais segurança em seus investimentos.

Neste artigo, vamos explicar em detalhes o que são debêntures e você, ao final dessa leitura, terá mais clareza se esse tipo de investimento se encaixa ao seu perfil. Confira o que mais você vai aprender:

  • O que são debêntures.
  • Quais são os tipos de debêntures.
  • Como comprar debêntures.

Entenda o que são debêntures

Uma debênture é um título de dívida. Em outras palavras, funciona da seguinte forma: uma empresa necessita de uma quantidade de dinheiro para fazer algum investimento de expansão dos negócios ou, até mesmo, pagar débitos. Dessa forma, em vez de procurar um empréstimo no banco (que costuma ter custos mais altos), ela lança debêntures no mercado para captar recursos.

Assim, uma pessoa que estiver interessada, pode comprar uma debênture e, em contrapartida, receber os juros sobre o dinheiro que investiu na empresa. Basicamente, é como se a pessoa que investisse se tornasse um credor da empresa, ou seja, ela teria uma dívida com ele.

Quer aprender tudo sobre renda fixa e Tesouro? Curso grátis

Conheça os tipos de debêntures

Vamos conhecer um pouco mais sobre as debêntures. Agora que você já sabe o conceito e que trata-se de um título de dívida, vamos mostrar quais são os tipos existentes no mercado atual. Veja só:

Debêntures Conversíveis

Esse tipo de debênture pode ser convertido em ações em um determinado prazo ou no final do período de validade do título, por isso o nome conversíveis. Ainda, é possível que o título tenha uma cláusula que permita a troca por ativos ou ações de terceiros. Entretanto, todas essas condições devem constar na escritura de compra do título.

A conversão de uma debênture em ações ocorrerá no dia estabelecido previamente, ou quando vencer a aplicação.

Debêntures não conversíveis ou simples

As debêntures não conversíveis ou simples são aquelas que não podem ser convertidas em ações. Ou seja, quem compra um desses títulos receberá a rentabilidade do investimento direto na sua conta do banco ou da corretora de valores.

Algumas pagam juros periódicos e, no vencimento, há o recebimento do valor total somado aos juros. 

Debêntures Permutáveis

As debêntures permutáveis são aquelas em que a pessoa que investe escolhe por receber ações ou ativos da empresa como forma de pagamento. Por exemplo, quem investe pode optar por adquirir uma quantidade de ações, correspondente ao valor do seu investimento em debêntures acrescido dos juros.

Contudo, só é possível trocar as debentures permutáveis por ações ou títulos da mesma empresa que a emitiu, e não de terceiros.

Debêntures Incentivadas

As debêntures incentivadas são aquelas em que a empresa que lança os títulos utiliza o dinheiro para a execução de alguma obra de infraestrutura. Elas são muito utilizadas por empresas que prestam serviços para o governo.

Por exemplo, suponhamos que uma companhia trabalhará na construção de uma ferrovia federal. Assim, ela pode lançar debêntures no mercado para levantar recursos suficientes para fazer a obra.

O ponto positivo desse tipo de debênture é que elas são isentas de Imposto de Renda.

Quer descobrir se esse é o momento de investir em Debêntures? Veja se nossos analistas estão recomendando investir nesse tipo de título para seus objetivos.

Invista nos melhores investimentos da Renda Fixa com um clique. Veja agora

O rendimento das debêntures

Agora que você já sabe o que é debênture e os tipos disponíveis no mercado, vamos entender melhor como funciona o rendimento desse investimento. Basicamente, existem 3 tipos. Entenda melhor cada um deles:

Prefixado

Nas debêntures prefixadas, como o próprio nome sugere, a taxa de juros anual é definida no momento da compra, ou seja, ao comprar o título você saberá exatamente quanto de dinheiro terá ao final do vencimento do título.

Pós-fixado

Na pós-fixada, ao contrário do exemplo anterior, o rendimento não pode ser previsto com 100% de certeza no momento da aquisição do título. A taxa de rentabilidade da aplicação está diretamente ligada a um indicador chamado de CDI, sigla utilizada para abreviar o termo Certificado de Depósitos Interbancário, que geralmente flutua bem próximo da taxa de juros básica da economia, a Selic.

Então, se o CDI sobe, a rentabilidade desse título aumenta. Mas se o indicador cai, o rendimento também diminui.

Híbrido

O rendimento híbrido, como o próprio nome já indica, é a união das taxas prefixada e pós-fixada. Normalmente, a parte pós-fixada é vinculada ao Índice Geral de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que é usada para medir a taxa de inflação do país.

Dessa forma, ao adquirir uma debênture com rendimento híbrido, você terá a garantia de ter uma rentabilidade sempre superior à inflação. Quer saber se nossos analistas estão recomendando uma debênture para seu perfil? 

Conheça os melhores investimentos do mercado. Simule e compare

Como investir em debêntures?

Comprar debêntures é um procedimento bem simples. Inicialmente, será necessário abrir conta uma corretora de valores, enviar dinheiro para lá e, em seguida, escolher o título que mais se adapta aos seus objetivos e também ao seu perfil de investidor.

A escolha da corretora deve ser feita de forma bem criteriosa.

Além de escolher aquela que oferece a melhor taxa, também é necessário que a empresa tenha um bom atendimento e, se possível, também oriente você na escolha do melhor investimento, de acordo com as suas necessidades.

Prazo do investimento

O investimento em debêntures é considerado de médio a longo prazo. Geralmente, as aplicações duram, no mínimo, 2 anos.

Portanto, antes de comprar um desses títulos, é necessário saber que o dinheiro ficará fora de suas mãos por um bom tempo. Sendo assim, é muito importante que você tenha uma estratégia financeira muito bem definida, para não correr o risco de ficar sem dinheiro por um tempo.

Os riscos de investir em debêntures

Vamos agora tratar de um assunto que muitas pessoas têm dúvidas: os riscos de investir em debêntures. Como você já deve saber, nenhum tipo de aplicação financeira é livre de risco, algumas têm um nível muito elevado, outras bem pequeno. Portanto, com as debêntures não poderia ser diferente.

  • Risco de crédito

O principal risco desse tipo de investimento é que ele não tem a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Ou seja, caso a empresa que lança os títulos entrar em falência, ela pode não conseguir honrar os compromissos com os investidores e você corre o risco de ficar sem seu dinheiro.

  • Risco de Fluxo de Caixa

Além disso, também há chances de a empresa não possuir um fluxo de caixa positivo e suficiente para arcar com o pagamento dos juros. Assim, o investidor pode não conseguir receber todo o dinheiro que é devido no dia combinado. Também temos que considerar a perda da rentabilidade, caso a pessoa que investe faça o resgate antes do tempo.

Se você está pensando em formas de suavizar esses riscos, aqui vão duas dicas:

  1. Leia o prospecto da debênture com atenção. Ele é aquele documento que a empresa divulga sobre o investimento e é muito importante pois nele constam as principais informações.
  2. Outra atitude legal é pedir ajuda a profissionais especializados. Nessas horas, contar com a opinião de um especialista pode ser uma ótima ideia para entender se aquela debênture é, de fato, um bom investimento

Agora ficou mais claro como o investimento em debêntures funciona? Você viu que as debêntures são uma modalidade de investimento com bom potencial de rendimento, mas que também oferece maior risco.

Portanto, o ideal é diversificar sua carteira de investimentos aplicando em diferentes títulos. Dessa forma, além de poder aproveitar outras rentabilidades, você também protege seu dinheiro.

Monte grátis sua carteira de investimentos. Teste grátis