Cadastre-se grátis

Estratégia de investimentos: aprenda o que é, os tipos e como montar

Uma estratégia de investimentos é um plano deliberado e bem pensado que define como você vai alocar seu dinheiro em diferentes ativos financeiros visando alcançar metas de vida específicas. Ter uma estratégia é fundamental antes de investir, sobretudo para escolher os ativos corretos, mais rentáveis e compatíveis com seu nível de risco e metas financeiras.


Investir seu dinheiro pode ser um passo significativo para alcançar suas metas financeiras. No entanto, essa jornada exige mais do que apenas economizar e aplicar dinheiro aleatoriamente.

Uma estratégia de investimentos sólida e bem montada é a chave para o sucesso financeiro e para a mitigação dos riscos.

Neste conteúdo, conheceremos a fundo as principais estratégias de investimento. Vamos explorar o que são, os diversos tipos disponíveis, e o processo para criar sua própria estratégia personalizada.

Seja você um investidor iniciante ou experiente, dominar essa arte é essencial para tomar decisões financeiras sólidas e alcançar seus objetivos. Vamos lá?

O que é uma estratégia de investimentos?

Uma estratégia de investimentos é um plano organizado e deliberado que define como você pretende investir seu dinheiro para alcançar seus objetivos financeiros.

Ela envolve a alocação de recursos em diferentes tipos de ativos, como ações, títulos, imóveis ou outros investimentos, com base em considerações como seus objetivos financeiros, horizonte de tempo, tolerância ao risco, expectativas de retorno, metodologias e filosofias de investimentos.

Por que ter uma estratégia antes de investir?

Existem várias abordagens para criar uma estratégia fundamentada, cada uma adaptada a metas específicas. 

Em resumo, ter uma estratégia de investimentos é crucial para orientar suas decisões financeiras, maximizar o potencial de crescimento de seus ativos e proteger seu capital contra riscos desnecessários

Via de regra, uma estratégia de investimentos ajuda a:

  • Objetivos claros: definir metas financeiras específicas e racionais. Isso mantém seu investimento alinhado com seus objetivos.
  • Gerenciamento de risco: o plano considera sua tolerância ao risco, garantindo que você escolha investimentos adequados, reduzindo a exposição a perdas indesejadas.
  • Diversificação: uma estratégia bem planejada inclui a diversificação de ativos, o que ajuda a espalhar os riscos e aumentar as chances de retornos consistentes.
  • Decisões racionais: evita decisões impulsivas baseadas em emoções, mantendo você no caminho certo, mesmo quando os mercados são voláteis.
  • Avaliação de desempenho: você pode acompanhar o desempenho de seus investimentos e fazer ajustes conforme necessário.

 

Quais são os tipos de estratégia de investimentos?

Em relação aos tipos de estratégias de investimentos, podemos dividi-los em relação ao perfil de investidor, prazo de investimento ou filosofia adotada na construção da carteira. Vamos abordar cada uma dessas perspectivas agora.

Perfil de investidor

Primeiro, os portfólios de investimentos podem ser construídos de acordo com o perfil de risco, isto é, o quanto de risco você está disposto a correr em troca de ganhos maiores. Os principais são:

  • Conservador: prioriza a segurança e a preservação do capital. Sua estratégia envolve investimentos de menor risco, como títulos de Renda Fixa e Fundos de Investimentos conservadores. Busca retornos mais estáveis e está disposto a aceitar retornos menores em troca de maior segurança.
  • Moderado: busca um equilíbrio entre segurança e crescimento. Sua estratégia inclui uma mistura de ativos, como ações e títulos para diversificar riscos. Ele aceita um nível moderado de volatilidade em busca de retornos mais substanciais, mas ainda busca proteção contra perdas significativas.
  • Arrojado: está disposto a assumir riscos substanciais em busca de retornos elevados. Sua estratégia envolve investimentos em ações, commodities e outros ativos de maior volatilidade. Busca retornos significativos, mas está ciente de que seu capital está sujeito a flutuações significativas.

Portanto, faça o teste de suitability da Toro e descubra seu perfil antes de começar. 

Prazo ou horizonte de investimento e objetivos

Além do perfil, é preciso também pensar sua estratégia de acordo com o prazo que pretende deixar o dinheiro investido.

Lembrando que as escolhas de ativos e prazos devem estar coerente com os seus objetivos. 

Assim sendo: 

Curto prazo Médio prazo Longo prazo
Até 2 anos.
Visam ganhos rápidos ou proteção de parte do patrimônio para objetivos de curto prazo. Investidores frequentemente utilizam Análise Técnica e operações estruturadas para identificar oportunidades de curto prazo na Bolsa ou títulos de Renda Fixa para preservar o capital. 
De 2 a 10 anos.
Visam objetivos em um prazo mais estendido, mas com uma data definida. Isso inclui investimentos em ações, títulos e imóveis, visando um crescimento moderado e menos volatilidade do que estratégias de curto prazo.
Acima de 10 anos.
Visa metas como aposentadoria, comprar casa, educação dos filhos ou viver de renda passiva. Investimentos incluem ações, títulos e investimentos em previdência, visando crescimento consistente e construção de patrimônio ao longo do tempo. Diversificação é crucial para reduzir riscos.

Métodos ou filosofias de investimento

Com o perfil de risco, prazo e objetivos conhecidos, você pode estudar as filosofias e métodos de investimentos mais usados no mercado. 

Isso se refere ao modo como você vai escolher os ativos e como vai gerenciá-los na sua carteira ao longo do tempo. Eis alguns exemplos: 

  • Buy and hold: estratégia voltada exclusivamente para o longo prazo, onde o investidor adquire boas ações ou outros ativos e os mantém por um período prolongado, desde que continuem sendo bons e mantenham fundamentos sólidos, independentemente das flutuações de curto prazo.
  • Value investing: filosofia ou estratégia de longo prazo que busca identificar ações com alto potencial de valorização, mesmo que estejam sendo negociadas abaixo do seu valor intrínseco (valor justo).
  • Factor investing: se baseia em fatores econômicos e de estilo para escolher os ativos financeiros que têm potencial de rentabilidade acima da média do mercado, visando construir uma carteira diversificada e completa.
  • Renda passiva: construir uma carteira com ativos reconhecidos como bons pagadores de proventos para viver com a renda gerada por eles, tais como FIIs rentáveis e ações de dividendos.
  • Carteira defensiva: inclui investimentos que são considerados mais seguros e estáveis em momentos de incerteza econômica, com o objetivo de reduzir as perdas durante períodos de queda no mercado.
  • High yield x high grade x high quality: high yield é alto retorno com alto risco; high grade é baixo risco com baixo retorno; e high quality é alta qualidade com empresas estabelecidas e rentáveis, com histórico sólido e estável.
  • Gestão e exposição passiva: usar ativos como os ETFs e Fundos de Investimentos para uma exposição passiva à movimentação geral do mercado, eliminando a necessidade de escolher produtos individualmente.

Esses são apenas alguns exemplos e muitas outras táticas podem ser adotadas. Por isso, converse com um Assessor de Investimentos para descobrir aquilo que é mais adequado ao que você almeja. 

Estratégia x oportunidade de investimentos: qual é a diferença?

Em resumo, a estratégia é um plano amplo e de longo prazo que orienta as decisões gerais do investidor, enquanto a oportunidade refere-se a situações específicas que podem surgir, proporcionando ganhos potenciais a curto prazo.

A estratégia de investimento é um plano de longo prazo que orienta as decisões financeiras de um investidor com base em metas específicas, tolerância ao risco e horizonte temporal.

Como vimos, ela inclui alocação de ativos, escolha de classes de investimento (ações, títulos, imóveis), rebalanceamento periódico e considerações fiscais.

Procura otimizar o retorno ao longo do tempo, levando em conta metas de aposentadoria, educação dos filhos, entre outros.

Uma oportunidade de investimento refere-se a uma situação específica, muitas vezes de curto prazo, que surge no mercado e oferece potencial de ganhos. Assim sendo, pode envolver a compra ou venda de um ativo específico com base em condições de mercado, eventos econômicos ou outros fatores temporários.

Então, a oportunidade é mais tática, explorando brechas de curto prazo no mercado para obter lucros rápidos.

Como montar uma estratégia de investimentos?

Montar uma estratégia de investimentos envolve vários passos e considerações. Aqui estão algumas dicas e elementos-chave:

Passo O que fazer
Defina objetivos financeiros Determine seus objetivos financeiros de curto, médio e longo prazo, como aposentadoria, educação dos filhos ou compra de imóveis.
Avalie sua tolerância ao risco Considere quanto risco você está disposto a aceitar. Isso ajudará a determinar sua alocação de ativos.
Escolha Ativos de acordo com seu perfil (macroalocação) Com base em seus objetivos e tolerância ao risco, decida qual proporção investir em diferentes classes de ativos, como ações, títulos, imóveis, Fundos, etc.
Diversifique sua carteira Distribua seu dinheiro em diferentes tipos de ativos e setores para reduzir riscos.
Seleção específica (microalocação): Escolha investimentos específicos, como ações individuais, Fundos, títulos, BDRs, ETFs, dentro de cada classe de ativos em em proporções equilibradas.
 Rebalanceie regularmente Ajuste sua carteira ao longo do tempo para manter suas alocações de ativos em linha com seus objetivos originais.
Mantenha-se informado Esteja ciente das condições de mercado, notícias econômicas e eventos que possam afetar seus investimentos.
Evite decisões emocionais Mantenha a disciplina e evite tomar decisões baseadas em emoções ou eventos de curto prazo.
Avalie o desempenho Periodicamente, revise seu progresso em direção aos objetivos e faça ajustes conforme necessário.

Estratégia e horizonte de investimentos: como fazer essa união?

Casar estratégia com horizonte de investimento envolve alinhar o plano de longo prazo do investidor (estratégia) com o período durante o qual ele pretende manter seus investimentos (horizonte de investimento).

Para investimentos de longo prazo, como aposentadoria, a estratégia pode incluir uma alocação diversificada de ativos, visando crescimento consistente ao longo dos anos.

Para objetivos de curto prazo, como a compra de uma casa, a estratégia pode priorizar ativos mais líquidos e estáveis.

Essa sincronia é a base para garantir que os investimentos estejam alinhados com os objetivos financeiros específicos do investidor, considerando fatores como tolerância ao risco e necessidades futuras.

Lembre-se de que uma estratégia de investimentos deve ser personalizada com base em suas circunstâncias individuais e objetivos financeiros.

Buscar orientação de um consultor financeiro pode ser útil para desenvolver uma estratégia adequada ao seu perfil e metas.

Como um Assessor pode melhorar sua estratégia de investimentos?

Um Assessor de Investimentos qualificado e exclusivo pode melhorar sua estratégia de investimentos ao oferecer insights, experiência e conhecimento especializado.

Eles avaliam seu perfil, objetivos e tolerância ao risco para criar uma estratégia personalizada. Além disso, mantêm-se atualizados sobre o mercado e as oportunidades de investimento, adaptando sua estratégia conforme necessário.

Para orientação financeira profissional e melhorias em sua estratégia, fale com um Assessor da Toro Investimentos hoje mesmo e maximize seu potencial de investimento. Seja proativo e conte com a nossa ajuda em direção ao seu sucesso financeiro!

fundo-lp-assessoria-100k-blog

Deixe um comentário

Gostou do artigo? Deixe um comentário sobre o que achou do conteúdo!