Cadastre-se grátis

Como investir em criptomoedas na Bolsa de Valores? Guia completo!

O pedido de muitos investidores foi atendido: já é possível investir em criptoativos na Bolsa de Valores do Brasil.

Se esse cenário era impossível há algum tempo, hoje é fácil aproveitar o mercado de criptomoedas de um jeito mais seguro. Por isso, neste conteúdo você descobre como investir em criptomoedas na B3.

Já podemos dizer que criptomoedas é um dos caminhos preferidos de investidores na hora de decidir onde aplicar dinheiro. Afinal, nos últimos anos, os criptoativos ganharam relevância no mercado e entraram no radar de muitas pessoas ao redor do mundo.

Segundo pesquisa recente, em 2024, a parcela de pessoas, no Brasil, que investem nesse tipo de ativo subiu de 14% em 2023 para 24% no ano seguinte. 

Por outro lado, esse mercado ainda é considerado complexo. Porém, como uma forma de facilitar este caminho para muitos brasileiros, em 2021, o primeiro ETF referenciado a criptomoedas estreou na B3: o ETF HASH11. Depois disso, outros ETFs de criptoativos também estrearam no Brasil.

Para simplificar e te mostrar como investir em criptomoedas, nesse conteúdo você vai entender desde o conceito até os passos necessários para realizar esse investimento. 

O que você vai encontrar ao longo desse conteúdo:

  • O que são criptomoedas.
  • Quais são as criptomoedas mais valorizadas do mercado.
  • Como funciona o ETF de criptomoedas.
  • Qual o valor mínimo para investir em criptomoedas.
  • Como investir em criptomoedasna Bolsa de Valores: passo a passo.
  • Riscos de investir em criptomoedas.

Mas antes de apresentarmos o passo a passo para você entender como investir em criptomoedas na Bolsa, é necessário apresentar os conceitos por trás dessas moedas. Veja a seguir.

O que são criptomoedas?

Criptomoedas são ativos digitais comercializados e produzidos a partir de criptografia. A tecnologia por trás do comércio desse dinheiro virtual é chamada de Blockchain, que consiste em um banco de dados onde ficam armazenados os detalhes sobre as transações que envolvem esses criptoativos. 

Antes de continuar, tenha atenção que a terminologia “criptomoeda” é apenas uma generalização informal e pode ser inadequada, pois sugere que todos os ativos virtuais funcionam como dinheiro, enquanto muitos têm funções diversas e não necessariamente são usados como meio de troca.

O termo “ativos virtuais” é mais preciso e abrangente, refletindo essa diversidade de usos.

As criptomoedas surgiram para serem um dinheiro virtual descentralizado, isto é, sem ligação com instituições financeira e Banco Central. A popularização desses ativos está relacionada com a capacidade das transações acontecerem de forma instantânea e sem intermediários.

Inclusive, em dezembro de 2022, a regulamentação do mercado de criptomoedas foi sancionada. 

Segundo a Agência Câmara de Notícias, a Lei 14.478/22 considera ativo virtual a representação digital de valor que pode ser negociada ou transferida por meios eletrônicos e utilizada para realização de pagamentos ou com propósito de investimento. 

Caberá ao Banco Central estabelecer as condições e prazos, não inferiores a seis meses, para a adequação às novas regras por parte das prestadoras de serviços de ativos virtuais.

Porém, como essa regulamentação ainda é muito recente, muitos investidores preferem contar com o mercado de ETFs de criptomoedas, já que é uma aplicação mais fácil de fazer. 

Quais são as criptomoedas mais valorizadas do mercado?

Quando falamos em criptomoedas, o primeiro nome que passa pela cabeça dos investidores é Bitcoin. Porém, existem outras alternativas também populares e valorizadas no mercado de moedas virtuais. 

  • Bitcoin: essa criptomoeda foi criada em 2008 de uma forma considerada misteriosa. O que é certo afirmar é que se trata de um programador, ou grupo de programadores, que utiliza o pseudônimo de Satoshi Nakamoto. 
  • Ethereum ou Ether: essa é a criptomoeda da plataforma Ethereum, fundada em 2013 pelo programador Vitalik Buterin. É considerada a segunda maior moeda virtual do mundo, atrás apenas do Bitcoin.
  • Tether: o Tether (USDT) é uma criptomoeda com lastro em uma moeda física (stablecoin) que foi lançada em 2014 com uma proposta de paridade com o dólar dos Estados Unidos. O principal objetivo deste criptoativo é servir como uma ponte entre o setor financeiro tradicional e o criptomercado.

O Bitcoin e a Ethereum se destacaram recentemente por sua exponencial valorização. Confira:

Lembrando que o retorno do passado não garante em nada que o mesmo vai ocorrer nos próximos meses e anos.

Em qual criptomoeda investir hoje?

Acompanhar as principais criptomoedas em valor de mercado é um primeiro passo importante para começar a investir nesses ativos por várias razões:

  1. Visibilidade e conhecimento: observar as principais criptomoedas ajuda os investidores a entenderem melhor o mercado, os diferentes tipos, suas tecnologias subjacentes e seus casos de uso.
  2. Indicador de tendências: o valor de mercado das principais criptomoedas pode indicar tendências de mercado mais amplas.
  3. Liquidez e acesso: as principais criptomoedas geralmente têm maior liquidez, o que facilita a compra e venda desses ativos.
  4. Diversificação: acompanhar uma variedade de criptomoedas permite aos investidores diversificar seu portfólio e reduzir o risco.
  5. Base para análise: o valor de mercado das criptomoedas pode servir como base para análises mais aprofundadas, comparar o desempenho ao longo do tempo e tomar decisões de investimento mais informadas.

Em resumo, acompanhar as principais criptomoedas em valor de mercado fornece aos investidores uma base sólida para começar a entender e potencialmente investir nesse mercado emergente.

Atualmente, as 10 criptomoedas com a maior capitalização de mercado são:

Nome (Código)Capitalização
Bitcoin (BTC)US$ 1,31 trilhão
Ethereum (ETH)US$ 415,14 bilhões
Tether USDt (USDT)US$ 112,44 bilhões
BNB (BNB)US$ 88,71 bilhões
Solana (SOL)US$ 67,70 bilhões
USDC (USDC)US$ 31,94 bilhões
Lido Staked ETH (STETH)US$ 28,81 bilhões
XRP (XRP)US$ 26,35 bilhões
Dogecoin (DOGE)US$ 19,59 bilhões
Toncoin (TON)US$ 16,64 bilhões
Cardano (ADA)US$ 14,92 bilhões
Fonte: Investing – Dados de junho de 2024

Lembrando que os ativos citados nesse conteúdo não são recomendações de compra nem necessariamente expressam a opinião dos nossos Analistas ou da Toro.

As criptomoedas também carregam mais risco e volatilidade que os demais ativos de renda variável. Por isso, são recomendados apenas para investidores do perfil arrojado.

Como escolher a melhor criptomoeda para comprar?

Quando falamos em criptoativos, nos lembramos sempre de Bitcoin e Ethereum. Mas, o investidor deve se ater somente a elas? Como é o processo de decisão do que comprar.

Escolher a melhor criptomoeda para comprar envolve considerar vários fatores:

  1. Pesquisa: faça uma pesquisa completa sobre as diferentes criptomoedas disponíveis. Entenda seus casos de uso, tecnologia subjacente, equipe de desenvolvimento e roadmap futuro.
  2. Mercado e tendências: analise o mercado de criptomoedas e as tendências atuais. Observe como diferentes criptomoedas estão se comportando em termos de valor de mercado, volume de negociação e adoção.
  3. Risco e retorno: avalie o risco e o potencial de retorno de cada criptomoeda. Considere a volatilidade do mercado, eventos passados e futuros, e o histórico de desempenho da criptomoeda.
  4. Diversificação: diversifique seu portfólio de criptomoedas para reduzir o risco. Não coloque todos os seus recursos em uma única criptomoeda, espalhe seus investimentos por várias opções.
  5. Assessoria profissional: busque a ajuda de um profissional financeiro especializado. Um profissional experiente pode fornecer insights valiosos, orientação personalizada e ajudá-lo a tomar decisões de investimento.
  6. Plataformas e ferramentas: utilize plataformas e ferramentas de análise de mercado, como gráficos de preços, indicadores técnicos e análises fundamentais.
  7. Avaliação contínua: continue avaliando suas escolhas de investimento regularmente. O mercado de criptomoedas é dinâmico e em constante mudança, portanto, ajuste sua estratégia de acordo com as condições do mercado e as novas informações disponíveis.

Em resumo, escolher a melhor criptomoeda para comprar requer uma abordagem cuidadosa e informada.

Ao realizar uma pesquisa minuciosa, avaliar o risco e o potencial de retorno, diversificar seu portfólio e buscar orientação profissional, os investidores podem aumentar suas chances de sucesso no mercado de criptomoedas.

O que são e como funcionam os ETFs de criptomoedas?

Antes de falar sobre os ETFs de criptomoedas, vamos explicar rapidamente o que é um ETF. Os Exchange Traded Funds (ETFs) são Fundos de Investimento que possuem carteiras que seguem algum índice de referência, como o Ibovespa e o S&P 500. No caso do HASH11, por exemplo, o Fundo escolhido é o NCI, ou Nasdaq Crypto Index.

Outros ETFs de criptomoedas disponíveis na B3 são:

  • BITH11: Fundo listado na B3 que replica o desempenho de um índice composto por criptomoedas, oferecendo aos investidores exposição diversificada ao mercado de ativos digitais.
  • ETHE11: é um ETF que acompanha o desempenho do Ethereum, uma das principais criptomoedas do mercado, permitindo aos investidores acessarem essa classe de ativos de forma simplificada e diversificada.
  • QBTC11: segue o desempenho do Bitcoin, a criptomoeda pioneira e mais amplamente reconhecida, oferecendo aos investidores uma maneira fácil de investir nesse ativo digital.
  • QETH11: espelha o desempenho do Ethereum, a segunda maior criptomoeda em termos de capitalização de mercado, permitindo aos investidores se exporem a essa classe de ativos de forma eficiente.
  • HASH11: rastreia o desempenho de empresas do setor de criptomoedas, como mineradoras e empresas ligadas à infraestrutura e tecnologia blockchain, oferecendo aos investidores uma maneira diversificada de investir nesse mercado em expansão.

Confira a oscilação mensal desses Fundos desde agosto de 2021:

Dessa forma, investir nesse ETF é uma forma de investir nas principais criptomoedas do mercado. Para facilitar ainda mais, todo esse processo é realizado através da Bolsa de Valores.

Um ETF permite diversificar em criptoativos com mais segurança e facilidade porque ele é um fundo de investimento que acompanha o desempenho de um determinado índice ou ativo subjacente, como Bitcoin ou Ethereum.

Ao investir em um ETF de criptoativos, os investidores obtêm exposição a uma cesta diversificada de criptomoedas ou a um único ativo digital, sem a necessidade de comprar e armazenar cada criptoativo individualmente.

Assim, isso reduz os riscos associados à volatilidade e à segurança, ao mesmo tempo em que oferece uma maneira conveniente de investir nesse mercado emergente.

Quais são as outras formas de investir em criptomoedas?

Além dos ETFs, existem outras formas de investir em criptomoedas, incluindo:

  1. Compra direta: os investidores podem comprar criptomoedas em plataformas (exchanges) especializadas. Eles podem armazenar suas criptomoedas em carteiras digitais próprias ou na carteira oferecida pela exchange.
  2. Negociação em corretoras: plataformas de negociação online permitem que os investidores comprem e vendam criptomoedas de forma semelhante ao mercado de ações.
  3. Mineração: alguns investidores optam por minerar criptomoedas, que envolve a validação de transações na blockchain e a criação de novas moedas como recompensa. No entanto, a mineração requer hardware especializado e alto consumo de energia.
  4. Contratos de futuros: investidores podem negociar contratos de futuros de criptomoedas em Bolsas de derivativos, permitindo que especulem sobre o preço futuro das moedas digitais sem possuí-las diretamente.
  5. Fundos de Investimento: além dos ETFs, existem Fundos de Investimento tradicionais que incluem criptomoedas em sua carteira. Eles são gerenciados por profissionais e oferecem diversificação e gestão ativa dos ativos.
  6. ICOs e STOs: investidores também podem participar de ofertas iniciais de moedas (ICOs) ou ofertas de tokens de segurança (STOs), onde adquirem tokens de novos projetos de criptomoedas em fase inicial. Essa forma de investimento é de alto risco e requer uma pesquisa cuidadosa.

Qual é o valor mínimo para investir em criptomoedas?

Assim como outros investimentos, não existe um valor mínimo detalhado para realizar esse investimento. No caso do investimento direto, via exchanges, algumas determinam valores mínimos, porém, não há uma regra.

Já para o investimento em criptomoedas por meio do ETF, o valor mínimo depende do preço e negociação deste ativo.

Criptomoedas pagam dividendos?

Ativos virtuais como as criptomoedas, por sua natureza, não pagam dividendos como ações de empresas tradicionais.

No entanto, existem algumas maneiras pelas quais os investidores podem obter rendimentos passivos com criptoativos:

  1. Staking: alguns deles, como Ethereum 2.0 e Cardano, permitem que os detentores bloqueiem suas moedas em um processo chamado staking, ajudando a validar transações na rede e, em troca, recebendo recompensas.
  2. Yield Farming: em finanças descentralizadas (DeFi), os investidores podem fornecer liquidez a protocolos e, em troca, ganhar juros ou recompensas na forma de tokens adicionais.
  3. Masternodes: outras, como Dash, permitem que os investidores operem masternodes, que são servidores completos que mantêm a rede segura e, em troca, recebem recompensas.
  4. Dividendos de tokens específicos: alguns projetos emitem tokens que pagam dividendos aos detentores, geralmente em tokens nativos ou em outros ativos virtuais, com base nos lucros gerados pelo projeto.

Essas alternativas não são garantidas e envolvem riscos significativos e perdas financeiras podem ocorrer. Então, os investidores devem fazer uma pesquisa cuidadosa antes de participar.

Como investir em criptomoedas com segurança?

Agora que os conceitos sobre criptoativos estão esclarecidos, podemos avançar à próxima etapa e apresentar o passo a passo para você saber como investir em criptomoedas com segurança.

É necessário destacar que esse tipo de investimento apresenta riscos, afinal, trata-se de Renda Variável. No entanto, o fato de a Bolsa de Valores oferecer um ETF de criptomoedas já há alguns anos possibilita uma alternativa mais segura, afinal, conta com toda a segurança da B3, além dos órgãos responsáveis por regularizar esse mercado.

Além disso, mesmo com toda visão otimista do mercado em relação ao mercado de moedas virtuais e também com a performance bastante positiva de criptomoedas como o Bitcoin, vale a máxima que sempre repetimos:

Rentabilidade passada não é garantia de rendimentos futuros.

Por isso, antes de investir em criptomoedas, ou em qualquer outro ativo, entenda qual é o seu perfil de investidor, faça um bom planejamento e busque conhecimento para que você saiba exatamente o que está fazendo. 

Passo a passo de como investir em criptomoedas

A notícia boa é que para investir em criptomoedas na Bolsa é preciso seguir basicamente os mesmos passos necessários para investir em ações. Veja como é fácil:

Passo 1: abra sua conta em uma corretora de valores

O primeiro passo para investir no ETF de criptomoedas na Bolsa de Valores é abrir uma conta em uma corretora de valores. A única observação necessária é escolher uma instituição que permita o investimento nesses ativos. 

Além disso, vale a pena considerar aquela que oferece uma experiência boa de investimento, seja em relação à facilidade para investir ou mesmo em relação aos custos para realizar esse investimento.

Aqui na Toro, você conta com o jeito mais simples para investir na Bolsa e também não paga taxa de corretagem para investir nesse mercado. 

Passo 2: Envie dinheiro para sua conta

Com sua conta aberta, o segundo passo é enviar dinheiro para que você possa escolher os ativos para investir seu capital. Hoje em dia, é possível realizar esse processo através de transferência bancária, via PIX, o que contribui para a agilidade do processo.

Passo 3: Escolha o ETF de criptomoedas

Depois de seguir os dois passos anteriores, basta acessar a plataforma da sua corretora de valores, escolher o ativo do seu interesse e definir quantos ativos você vai comprar.

Aqui na Toro, você realiza todo esse processo com apenas poucos cliques e tem acesso às informações detalhadas sobre seu investimento.

Para facilitar ainda mais esse investimento, veja o vídeo que preparamos mostrando como investir em ETF aqui na Toro:

Qual a importância da diversificação na hora de investir em criptomoedas?

O último tópico deste artigo talvez seja um dos mais importantes. É aqui que você encontra uma informação que ninguém costuma contar, mas que, na prática, é responsável por deixar você mais perto do resultado que espera. 

Trata-se da necessidade de diversificar seus investimentos. Na prática, podemos dizer que é não colocar todos seus ovos em uma mesma cesta e assim assegurar que, caso ela caia, você perca tudo que possui. 

Essa metáfora serve para que você entenda como é importante ter ativos diferentes e de setores diferentes em sua carteira. 

Sobretudo quando olhamos para todas as possibilidades que a Bolsa de Valores oferece, definitivamente é possível encontrar mais de uma alternativa para investir seu dinheiro e construir uma carteira diversificada que não dependa de um único ativo. 

Portanto, podemos dizer que um ETF de criptomoedas permite que você invista no mercado de moedas virtuais e consiga balancear com outros ativos.

Gostou dessa forma de investir em criptomoedas? Então clique no link abaixo, abra sua conta totalmente grátis e comece agora a explorar essa e outras oportunidades disponíveis na Bolsa. 

Deixe um comentário

Gostou do artigo? Deixe um comentário sobre o que achou do conteúdo!