Cadastre-se grátis

Staking de criptomoedas: descubra como é possível ganhar dinheiro com ele

Quem investe ou quer investir em criptomoedas e acha que só é possível ganhar dinheiro com a compra e venda está enganado. É possível lucrar com elas fazendo Staking.

Essa é uma possibilidade disponível para alguns tipos de ativos virtuais, que permite ao investidor ganhar renda passiva.

Apesar dessa possibilidade estar se tornando mais conhecida, muitos investidores de cripto ainda não a conhecem ou não entendem como ela funciona. Por isso, preparamos esse artigo para explicar.

Antes de começar, lembre-se que este conteúdo é apenas educacional e os ativos citados não representam recomendação de compra ou venda.

No mais, a terminologia “criptomoeda” é apenas uma generalização informal e pode ser inadequada porque sugere que todos os ativos virtuais funcionam como dinheiro, enquanto muitos têm funções diversas e não são usados como meio de troca.

Além disso, esse mercado é mais arriscado que os investimentos tradicionais, sendo que perdas financeiras podem ocorrer, e, por isso, são recomendados apenas para investidores com perfil arrojado.

Dito isso, vamos detalhar melhor sobre Staking. Boa leitura!

O que é Staking de criptomoedas?

O Staking é uma forma de conseguir uma espécie de renda passiva com ativos virtuais, usando-as para contribuir para a segurança e credibilidade do protocolo blockchain ao validar novos blocos.

Ou seja, não é apenas comprando e vendendo para lucrar com a oscilação de preços que se pode ganhar. Um usuário também pode receber um valor por emprestar seus ativos à rede para que ela tenha seus dados validados.

Ao contrário da mineração de um ativo virtual, que recompensa o minerador pela emissão de novas unidades, o Staking tem seu foco na validação de transações.

O valor recebido como recompensa obedece um cálculo com base nas regras de recompensa estabelecidas por cada protocolo. Ou seja, é diferente para cada protocolo de blockchain.

Como funciona o Staking?

O Staking é possível para protocolos de ativos virtuais que usam a Prova de Participação (Proof of Stake) em um mecanismo de consenso para verificar e proteger as transações ocorridas na rede sem que haja a necessidade de existir um banco ou processador de pagamentos central.

Para que o investidor possa praticá-lo, é necessário comprar uma certa quantidade de tokens e reservá-los, deixando eles bloqueados, desencorajando a fraude, e remunerando o portador do ativo em troca da sua validação da rede.

Assim, como uma forma de recompensar o investidor que colocou seus ativos virtuais a serviço da blockchain, o protocolo remunera o investidor com uma quantidade de tokens calculada conforme o algoritmo restabelece.

O que é Prova de Participação (Proof of Stake)?

Esse é um mecanismo de validação realizado por pessoas que fizeram Staking de seus próprios tokens e que não consome tanta energia como a mineração realizada no Proof of Work de novas unidades dos ativos virtuais.

Os usuários votam para garantir a segurança do blockchain e, assim, fortalecem as ações de boa fé dentro do protocolo e desencorajam qualquer atividade maliciosa que possa violar as regras do protocolo e colocar em risco o blockchain.

Embora seja uma forma de validação de transações nesse tipo de ativo, não é exclusivamente voltada para validar novos blocos. Esse processo também é utilizado para validar transações e garantir a segurança da rede.

Com quais ativos virtuais posso fazer Staking?

O Staking é possível de ser usado em ativos virtuais que usam o protocolo blockchain baseado em consenso de prova de participação. Ou seja, essa não é uma possibilidade para todos os existentes no mercado.

Alguns deles que permitem a prática do Staking:

  • Ether (ETH)
  • Cardano (ADA)
  • Avalanche (AVAX)
  • Solana (SOL)
  • Polkadot (DOT)
  • Tezos (XTZ)
  • Cosmos (ATOM)

Como visto, existem vários criptoativos que permitem a realização do Staking e a escolha de qual delas investir pode se tornar complicada. 

Contudo, como aprendemos, cada uma tem seus próprios requisitos e regras para staking, e nem todas têm o mesmo retorno.

O Ethereum, por exemplo, é o segundo maior ativo virtual neste segmento atualmente, tendo se consolidado neste mercado há algum tempo e permite que seus investidores realizem Staking.

SAIBA MAIS:
➡️ Como investir em Bitcoin?
➡️ Como investir em criptomoedas na Bolsa de Valores? Guia completo!

Quais são as vantagens de fazer Staking?

Para os investidores que pensam no longo prazo e querem manter as suas posições sem se preocupar tanto com oscilações de curto e médio prazo, o Staking pode ser usado para colocar seus ativos para trabalhar, gerando renda passiva.

Assim, ao invés de deixá-los na carteira sem fazer nada, eles geram algum retorno para o investidor. Além disso, é importante para todo o ecossistema do ativo virtual, uma vez que atua para garantir a segurança e eficácia da blockchain.

Assim, essa prática se torna vantajosa para o protocolo, que ficará mais seguro, e para o investidor, que consegue rentabilizar seus ativos sem precisar vendê-los.

Lembrando ainda que esses ativos são muito mais voláteis do que aplicações tradicionais e aumentam o perfil de risco da carteira.

Quais são os riscos de fazer Staking?

Apesar de ser outra maneira de ganhar dinheiro com ativos virtuais, o Staking de criptomoedas apresenta alguns riscos que devem ser levados em conta antes de escolher por ele:

  • Volatilidade do mercado: o mercado é instável e a queda no preço pode ser maior do que o retorno com o Staking.
  • Período de bloqueio: é preciso analisar por quanto tempo seu ativo ficará bloqueado, sendo impossível retirar seus ativos do Staking para vendê-los.

Então, é possível, ainda, fazer parte de um Fundo de Staking (Staking pool). Essa modalidade é interessante para aquelas pessoas que não possuem a quantidade mínima para fazer Staking sozinha. Assim, se junta a outros investidores e o formam.

Porém, é necessário tomar uma série de cuidados caso essa seja a forma escolhida, uma vez que essa atividade tem riscos que devem ser levados em conta, como:

  • Bloqueio dos ativos.
  • Perder as recompensas se o validador não fizer as tarefas corretamente.
  • Algum hacker invadir o sistema e roubar todo o Fundo.

Invista em criptoativos com a Toro Investimentos

Agora, investidores com perfil adequado podem diversificar sua carteira investindo em criptoativos com a segurança de uma corretora de valores de verdade.

Além de negociar os ativos com maior liquidez do mercado, você contará com o suporte de uma corretora de alto padrão certificada pela B3, Anbima, Banco Central e Comissão de Valores Mobiliários.

Entre na lista de espera para ser um dos primeiros a investir com a Toro.

Este é apenas um conteúdo educacional, não é uma recomendação de compra ou venda de ativos e não representa a opinião da Toro e de seus Analistas de Investimentos.