Na hora de declarar o Imposto de Renda 2019, muitas pessoas ficam com dúvidas sobre quais investimentos são tributáveis e quais são isentos da tributação do IR. Essa dúvida não pode ser levada para o momento do envio da declaração, afinal, é preciso enviar as informações corretas para evitar divergências e complicações com a Receita Federal.

Alguns investimentos, mesmo que isentos, também devem ser informados no momento da declaração, como é caso da LCI e a LCA.

Essas alternativas de títulos de renda fixa, são muito procuradas por não exigir que você pague nenhum tributo no momento do seu resgate, aumentando o lucro sobre o dinheiro aplicado.

Porém, mesmo que isentas do pagamento do tributo relacionado ao IR, é preciso saber como declarar LCI e LCA no Imposto de Renda. Afinal, esse investimento deve entrar no grupo de rendimentos não tributáveis.

Só para lembrar, a declaração do Imposto de Renda é a principal forma do governo controlar os rendimentos, despesas e o pagamento de tributos dos cidadãos brasileiros. Anualmente, você precisa apresentar os comprovantes de seus ganhos e gastos, para que a tributação seja aplicada corretamente.

Como declarar LCI e LCA no Imposto de Renda 2019

Como falamos, apesar da isenção que recai sobre a LCI e LCA, você deve informar à Receita Federal que você possui esses investimentos.

A obrigatoriedade para a informação vale tanto para o investimento em atividade, quanto para os rendimentos que você obteve por meio dessa aplicação.

Como boa parte dos investidores não sabem como declarar LCI e LCA no Imposto de Renda, preparamos um passo a passo bem simples. Todos os passos, servem para as declarações realizadas no programa da Receita e também no aplicativo.

Passo a passo para declarar LCI e LCA no Imposto de Renda 2019

  • 1° passo: baixe o programa ou aplicativo no site Receita Federal.
  • 2° passo: procure a opção “Bens e Direito”
  • 3° passo: selecionar a opção “Novo” para incluir um novo rendimento.
  • 4° passo: inclua o código: 45 - Aplicação de Renda Fixa (CDB, RDB e outros)
  • 5° passo: preencher as informações de localização (país): 105 - Brasil.
  • 6° passo: preencher os dados do CNPJ do banco em que está sua Poupança.
  • 7° passo: em “Discriminação” você deve colocar o nome do banco.
  • 8° passo: preencher o campo “Situação em 31/12/2017” com os valores da sua conta nessa data
  • 9° passo: preencher o campo “Situação em 31/12/2018” com os valores da sua conta nessa data

Passo a passo para declarar o rendimento de LCI e LCA no Imposto de Renda

Além de informar à Receita que você possui investimentos ativos em LCI e LCA, você deve informar também caso tenha resgatado o dinheiro investido de uma aplicação.

Para realizar esse processo, você também deve seguir os passos a seguir, que são um pouco diferentes dos que apresentados acima.

  • 1° passo: ir na aba “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”.
  • 2° passo: clique em “Novo” para incluir um novo rendimento.
  • 3° passo: selecione o item 12: Rendimentos de poupanças, letras hipotecárias, letras de crédito do agronegócio e imobiliário (LCI e LCA) e certificados de recebíveis do agronegócio e imobiliários (CRA e CRI).
  • 4° passo: no campo “Tipo de beneficiário” você deve informar se a Poupança está em nome do titular da declaração ou de seu dependente. Além de informar os dados dessa pessoa.
  • 5° passo: preencher os dados do CNPJ do banco em que está sua Poupança.
  • 6° passo: em “Discriminação” você deve colocar o nome do banco.
  • 7° passo: preencher o campo “valor do rendimento” com o valor do rendimento da Poupança ao longo do ano ou do tempo que você está declarando.

Importância do informe de rendimentos

Falamos sobre o passo a passo e apresentamos a necessidade da informação de algumas informações que você pode achar complicado de encontrar, não é mesmo?

Grande parte dessas informações você consegue encontrar no informe de rendimentos. Neste documento você encontra os investimentos que realizou, de uma forma que determinas as aplicações que são isentas do pagamento do imposto e as aplicações que possuem tributação exclusiva, ou seja, que precisam ser tributadas.

A instituição que possibilitou que você realizasse esse investimento, seja ela uma corretora de valores ou um banco, é obrigada a te enviar este documento.

Ele serve para que você consiga provar o resgate que realizou ou mesmo a vigência do investimento em LCI ou LCA.

Prazo para a declaração do Imposto de Renda 2019

Em 2019, o prazo para realizar a declaração do Imposto de Renda começou no dia 07 de março e vai até às 23 horas, 59 minutos e 59 segundos do dia 30 de abril, de acordo com o horário oficial de Brasília.

Dessa forma, o programa e o aplicativo que você deve usar para enviar a declaração já podem ser baixados diretamente do site da Receita Federal desde a última semana de fevereiro.

Os bancos e as instituições financeiras têm a obrigação de mandar o informe de rendimento até o dia 08 de março de 2019.

Caso você não tenha recebido ainda, é importante entrar em contato com a instituição e solicitar, afinal, o documento será importante para você declarar as informações corretas.

Sobre o prazo para envio da declaração, é importante destacar que é bom você se adiantar e não deixar para a última hora. Além de evitar o risco de encontrar problemas com a lotação do ambiente online da Receita, você ainda tem tempo para reunir todas as informações, documentos e comprovantes e mandar tudo com calma.

Como funciona a LCI e LCA

As Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e as Letras de Crédito do Agronegócio (LCA), são títulos de renda fixa muito conhecidos entre investidores brasileiros. Esses investimentos são emitidos por bancos e tem como objetivo captar recursos que são repassados para financiar o desenvolvimento do agronegócio e do setor imobiliário.

Para contribuir com aquecimento e com o desenvolvimento desses setores, o governo possibilita que esses investimentos sejam isentos da tributação do Imposto de Renda para atrair mais investidores.

Portanto, investir em LCI e LCA é uma alternativa buscada por muita gente, justamente por não ter que pagar tributo do Imposto de Renda. Contudo, é sempre bom lembrar que esses investimentos devem aparecer na sua declaração anual.