Se você ainda não sabe como funciona a Bolsa de Valores, está na hora de mudar essa realidade e conhecer um dos investimentos mais rentáveis do mercado. Todo mundo sabe que os grandes investidores estão nesse mercado, mas o que é a Bolsa e como ela funciona?

Nesse artigo, você entenderá como tudo começou e como investir na Bolsa de Valores é uma grande oportunidade.

O que é Bolsa de Valores?


Bolsa de Valores: o que é e o local de negociaçõesO papel da Bolsa de Valores é servir como um ambiente seguro para as negociações de ações, títulos e outros ativos.

A Bolsa de Valores é o mercado onde são negociadas ações de empresas, títulos de renda fixa, commodities e outros ativos. Quando um investidor decide comprar uma ação e existe outro investidor querendo vendê-la, a Bolsa é o ponto de encontro entre eles e onde é realizado o negócio.

O papel da Bolsa nessas negociações é servir como um ambiente seguro para que elas aconteçam, além de garantir que:

  • O investidor que vende uma ação receba por elas.
  • As ações vendidas vão para o investidor que as comprou.
  • As ações fiquem guardadas em um espaço seguro, a CBLC, companhia que faz parte do grupo BM&F Bovespa.

Ou seja, é a Bolsa de Valores que garante que o mercado funcione de uma forma eficiente, justa e segura.

Antigamente, participar desse mercado era muito difícil e complicado, apenas os grandes investidores entendiam como investir e tinham acesso à Bolsa de Valores. Mas hoje, aprender como funciona esse investimento é muito mais fácil, gratuito, e você já pode começar a investir a partir de R$200,00.

Aprenda a investir na Bolsa de Valores em menos de 1 hora. Assista grátis

Como funciona a Bolsa de Valores?

Para entender como funciona a Bolsa de Valores, temos que compreender desde o momento em que uma empresa abre capital, ou seja, começa a vender suas ações no mercado, até o momento em que os investidores negociam essas ações entre si.

Veja no infográfico abaixo como isso acontece:

Como funciona a bolsa de valores - Mercado Primário
Uma empresa lança ações na Bolsa através de um processo chamado IPO.

Primeiro, uma empresa realiza o IPO e lança suas ações na Bolsa de Valores. As corretoras de valores então organizam a venda dessas ações para os primeiros investidores e a empresa recebe o dinheiro por elas. Isso é chamado de mercado primário.

Como funciona a Bolsa de Valores - Mercado SecundárioTodas as negociações acontecem pela internet, através de plataformas online.

Depois do IPO, as ações passam a ser negociadas na Bolsa entre os próprios investidores. Dessa vez o dinheiro vai de um investidor para outro, e não para a empresa. Isso é chamado de mercado secundário.

A partir daí, um investidor que possui ações envia uma ordem de venda na sua corretora por um determinado preço, e essa ordem é registrada automaticamente na Bolsa.

Se outro investidor, que deseja comprar ações, envia uma ordem de compra no mesmo valor, a negociação acontece. Então, a Bolsa garante que o primeiro investidor receba o dinheiro por suas ações, e o segundo investidor fique com as ações negociadas. Veja o vídeo abaixo e entenda melhor como a Bolsa de Valores funciona:

Aprenda a investir na Bolsa de Valores em menos de 1 hora. Assista grátis

Se você imagina que isso acontece numa gritaria de pessoas ao telefone, saiba que isso não tem nada a ver com o que é Bolsa de Valores hoje. Todas as negociações acontecem pela internet, através de plataformas online. Cada corretora possui sua própria plataforma, algumas delas são conhecidas como Home Broker.

No entanto, a Toro fez diferente e revolucionou a forma de fazer investimentos. Nossa plataforma é muito simples de usar e permite que mesmo os investidores iniciantes consigam investir e ter ótimos resultados. Veja como.

Vale a pena investir na Bolsa?

A principal razão para ter medo deste mercado é porque as pessoas ainda não sabem ao certo como investir na Bolsa de Valores e, principalmente, como fazer isso de forma correta e segura.

Durante muito tempo o brasileiro esteve acostumado à Poupança, preso ao conceito de “investimento seguro”. Mas você já deve saber que o rendimento da Poupança é tão baixo que mal pode ser considerado um investimento. Por isso é importante buscar maiores rentabilidades.

E é aí que entra a Bolsa de Valores.

Investir na Bolsa de Valores tem alto potencial de retorno A Bolsa é o investimento com maior potencial de retorno do mercado

Investir na Bolsa é uma forma de buscar sonhos maiores, aceitando mais riscos pela possibilidade de ganhos mais expressivos. É sair da zona de conforto e se tornar, de fato, um investidor de sucesso.

E as vantagens de investir em ações são inúmeras:

  • É o investimento com maior potencial de retorno do mercado.
  • É uma forma emocionante de aplicar seu dinheiro.
  • Não tem carência. Você pode resgatar seu dinheiro a qualquer momento.
  • Possibilidade de receber dividendos de uma empresa.
  • Não precisa de muito dinheiro para começar.
  • Você pode alugar suas ações para ter um rendimento extra.
  • Isenção de Imposto de Renda se você vender menos de R$20.000 no mês.
  • Prejuízos podem ser deduzidos do Imposto de Renda.

Aprenda a criar o seu futuro com investimentos. Curso grátis

Como começar a investir na Bolsa de Valores?

Curtiu ver tantas vantagens de aplicar dinheiro na Bolsa? Pois saiba que dar os primeiros passos não é nada difícil como algumas pessoas imaginam. A tecnologia é sua maior aliada nessa história, pois agora você pode comprar ações e outros ativos sem sair de casa e com poucos cliques.

Quer entender melhor esse processo? Veja como é fácil investir na Bolsa com a Toro:

 Invista nas melhores oportunidades da Bolsa com um clique. Veja agora

História da Bolsa de Valores - como tudo começou

Apesar de diferentes histórias quanto ao seu local de origem, a motivação desse mercado surgiu de maneira bastante natural: comerciantes que se reuniam para tratar de negócios, comprar e vender moedas, metais preciosos, cartas de crédito e notas promissórias.

O termo “Bolsa” começou a definir este mercado na Bélgica, em 1487, quando os comerciantes e mercadores se reuniam para essas negociações na casa de um homem chamado Van der Burse. O brasão da família de Burse possuía a figura de três bolsas, e foi daí que o termo ganhou significado no mercado financeiro.

Então vieram as Bolsas de Valores da Antuérpia, Amsterdam, Londres, Paris e o todo o mercado de Bolsas de Valores que conhecemos hoje. No próximo tópico, aprenda mais sobre a história da Bolsa de Valores no Brasil e veja também sobre as principais Bolsas mundiais no tópico seguinte.

A Bolsa no Brasil

A Bolsa de Valores no Brasil é a B3 - Brasil, Bolsa, BalcãoA Bolsa de Valores no Brasil hoje é conhecida como B3 - Brasil, Bolsa, Balcão.

Embora a história desse mercado tenha começado séculos atrás, a história da Bolsa de Valores no Brasil começou a ser notada no ano de 1820, com negociações não oficiais realizadas pela Bolsa do Rio de Janeiro, uma das primeiras do país.

Foram criadas várias outras, mas o grande destaque do mercado no Brasil foi a Bolsa de São Paulo, criada em 1890 com o nome de Bolsa Livre. Ela incorporou todas as outras bolsas, passou por diversas fusões, até se tornar a única Bolsa de Ações no Brasil em 2000, já conhecida como Bovespa.

O nome BM&F Bovespa surgiu apenas em 2008, na fusão com a Bolsa de Mercadorias e Futuros, onde eram negociadas ativos diferentes de ações, como commodities, índices, moedas e metais.

Hoje a Bolsa brasileira é conhecida como B3 - Brasil, Bolsa, Balcão, após fusão da BM&F Bovespa com a Cetip - Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos, responsável por grande parte da integração do mercado financeiro.

Para entender melhor como isso tudo aconteceu, veja uma linha do tempo com a história da Bolsa no Brasil. 

Histórico da Bolsa de Valores no Brasil
1820 Foi criada a BVRJ - Bolsa de Valores do Rio de Janeiro.
1845 Foi inaugurada a primeira sede da BVJR, quando as atividades desse mercado começaram a ser regulamentadas no Brasil. 
1890 Foi criada a Bolsa Livre, no estado de São Paulo. Futuramente ela se tornaria a Bovespa. 
1891 Bolsa Livre fecha por surto especulativo, com ações de empresas fantasmas sendo negociadas.
1895 A Bolsa Livre reabre com o nome Bolsa de Fundos Públicos de São Paulo.
1917  Foi criada a BMSP - Bolsa de Mercadorias de São Paulo.
1967  A Bolsa de Fundos Públicos muda seu nome para Bovespa - Bolsa de Valores de São Paulo.
1968  Foi criado o principal índice da Bovespa, o Ibovespa, representando o desempenho das ações com maior volume negociado da bolsa.
1971 Quebra da Bolsa do Rio de Janeiro, com grande aumento na demanda por ações, e saída dos investidores logo em seguida.
1983 Foi criada a BBF - Bolsa Brasileira de Futuros, no Rio de Janeiro.
1986 Foi criada a BM&F - Bolsa Mercantil de Futuros, com o mesmo objetivo da BMSP.
1989 Nova quebra da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro, marcada pela acusação do investidor libanês Naji Nahas como o responsável.
1991 A BMSP e a Bolsa Mercantil de Futuros unem suas atividades, com o nome de BM&F - Bolsa de Mercadorias e Futuros.
1997 A BM&F realiza nova fusão, com a Bolsa Brasileira de Futuros, se tornando o principal centro de negociações de derivativos do Mercosul.
1999 Criação do Home Broker, plataforma que viabilizou a negociação de ações pelos investidores diretamente na internet.
2000 A Bolsa do Rio de Janeiro passa a negociação de ações para a Bovespa, se restringindo a negociação de títulos públicos. A Bovespa se torna a única Bolsa do Brasil a negociar ações.
2002 A BM&F incorpora operações restantes da Bolsa do Rio de Janeiro e adquire a CBLC - Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia.
2005 Fim do pregão viva-voz na Bovespa.
2007 Bovespa passa de entidade sem fins lucrativos para empresa privada e lança IPO de suas próprias ações.
2008 BM&F e Bovespa se fundem, na criação da BM&F Bovespa - Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros.
2009 Fim do pregão viva-voz na BM&F.
2017 A BM&F Bovespa se funde com a Cetip, na criação da B3 - Brasil, Bolsa, Balcão, atual organização da Bolsa de Valores no Brasil.

 

IBOV - Índice Bovespa


O Índice Bovespa é o índice mais importante da Bolsa brasileira, também chamado Ibovespa (IBOV). Ele atua como um termômetro do mercado, uma carteira teórica composta pelas ações com maior volume financeiro negociado na nossa Bolsa.

O Índice Bovespa é composto pelas
ações que movimentam as maiores quantidades de dinheiro na B3.

Sendo assim, ele representa a maior parte, em dinheiro, das negociações realizadas na Bolsa. Por isso, se o Índice Bovespa cai, isso quer dizer que a bolsa como um todo está caindo, assim como suas principais ações.

Além de medir as flutuações do mercado, o Índice Bovespa serve também como investimento. Para isso, é possível investir em Fundos de Investimento que reproduzem a carteira do índice ou contratos de índice futuro.

O Índice Bovespa não é o único. Existem vários outros índices, e você pode conhecê-los no próprio site da B3. Três deles, no entanto, merecem a sua atenção:

  • SMLL - Índice Small Cap: O índice funciona como uma carteira teórica composta pelas ações de menor valor de mercado.
  • IBrX 100 - Índice Brasil 100: Também conhecido como IBrX ou Índice Brasil, ele é composto pelas 100 ações mais negociadas (líquidas) do mercado.
  • IBrX 50 - Índice Brasil 50: Semelhante ao índice anterior, o IBrX 50 mede o desempenho das 50 ações mais negociadas (líquidas) do mercado.

Os índices são importantes para o mercado financeiro pois medem o desempenho médio de um tipo de ação, assim, eles podem ser um indicativo se um determinado setor do mercado está se valorizando ou passando por dificuldades.

Mas é preciso lembrar que avaliar apenas os índices, de forma isolada, não é o suficiente para tomar uma decisão de investimento. É preciso estar atento as análises das ações e acompanhar recomendações dos profissionais do mercado sobre suas tendências, de acordo com o prazo que deseja investir.

Invista nas melhores oportunidades da Bolsa com um clique. Veja agora

Horário de negociação


Apesar das negociações acontecerem pela internet, não é possível comprar e vender ações a qualquer hora do dia. Existem horários específicos para que ações, ou qualquer outro tipo de ativo (como contratos futuros e opções), sejam negociados.

Veja abaixo os horários de negociação:

Ativo Pré-Abertura Negociação Call de Fechamento After Market
Início Fim Início Fim Início Fim Início Fim
Ações 09:45 10:00 10:00 17:00 16:55 17:00 17:30 18:00
Futuros de Commodities - - 09:00 16:00¹ 15:55 16:00 15:30² 18:00
Futuros
de Dólar
08:55 09:00 09:00 18:00 17:55 18:00 - -
Futuros
de Índices
08:55 09:00 09:00 17:55 17:50 17:55 - -
Opções
de ações
09:45 10:00 10:00 16:55 16:50 16:55 - -

¹ Podem variar entre 15:15h e 16:00h.
² Podem variar entre 15:30h e 17:00h, de acordo com o horário de fechamento do mercado.

Para ver o horário de negociação de cada commodity acesse: Commodities - O que são e como investir.

Está se perguntando o que é Pré-Abertura, Call de fechamento e After Market? Calma, a gente explica. Olha só:

➠ Pré-abertura:

É na pré-abertura do mercado que o preço de abertura de um ativo é determinado.

Imagine que algo negativo tenha acontecido com determinada empresa e a expectativa seja que suas ações despenquem. Um investidor que possua ações pode querer vendê-las logo que o mercado abre, no primeiro preço de negociação. Para isso, ele envia uma ordem antecipada, com um valor mais baixo.

A negociação não será fechada, mas isso dá início a uma espécie de leilão, que determina qual será o valor daquele ativo quando o mercado abrir. Uma vez enviada a ordem, ela é precificada na cotação das ações e não pode ser cancelada.

➠ Call de fechamento:

O call de fechamento tem objetivo semelhante ao da pré-abertura: determinar o preço de fechamento de uma ação. A diferença é que isso não ocorre fora do horário de negociação. O call de fechamento ocorre 5 minutos antes do fechamento do mercado.

Outra diferença é que nem todos os ativos possuem call de fechamento, apenas ações que compõem algum índice da B3.

➠ After Market:

O After Market é uma oportunidade para investidores que não conseguem operar no pregão normal ou que precisem realizar algum ajuste em suas ordens, como se fosse um horário extra.

Mas ele possui restrições, como o limite de oscilação de 2% negativo ou 2% positivo e o fato de serem negociadas apenas ações que compõem o Índice Bovespa.


Algo importante para saber sobre os horários alternativos de negociação é que, em determinadas situações, o preço das ações pode sofrer uma oscilação significativa nesses momentos. Nenhum investidor está livre deste tipo de imprevisto, mas escolher boas ações e investir no tempo certo pode te deixar mais preparado para lidar com este cenário.

Veja as ações que podem subir nos próximos minutos. Veja agora

Bolsas mundiais

Agora que você entendeu o que é Bolsa de Valores e como ela funciona, você sabia que muitas bolsas internacionais também influenciam a B3?

Isso porque muitos investidores estrangeiros aplicam na nossa Bolsa e diversas empresas sofrem influência de mercados externos. E, assim como o Ibovespa, elas também têm índices muito importantes para o mercado.

Conheça abaixo as principais Bolsas mundiais, seus horários de negociação no Brasil e principais índices.


7 Mitos sobre a Bolsa de Valores


Antes mesmo de saber o que é a Bolsa de Valores, você provavelmente já ouviu falar muita coisa a respeito desse mercado. Acontece que nem tudo o que se fala sobre a Bolsa é verdade. Pensando nisso, selecionamos alguns dos principais mitos sobre esse mercado.

Veja abaixo e tire essas ideias equivocadas da cabeça de uma vez por todas:

1) É um investimento para ricos

Na verdade, não existe valor mínimo para investir na Bolsa de Valores e existem ações que custam muito pouco. Portanto, qualquer pessoa pode investir, desde que busque por conhecimento e trace uma estratégia. Afinal, com uma boa estratégia é possível ganhar dinheiro mesmo investindo uma pequena quantia.

2) Você vai ficar rico da noite para o dia

É realmente possível ganhar muito dinheiro investindo na Bolsa. Porém, isso raramente acontece da noite para o dia. Como já dissemos, investir em ações é um trabalho de estratégia e persistência, e é preciso planejar resultados a médio e longo prazo.

3) O desempenho das ações reflete o lucro das empresas

Esse é apenas um dos fatores que podem influenciar os preços, mas não é o único. O principal fator, como em qualquer mercado, é a lei da oferta e da demanda. Isto é, quando tem muitas pessoas interessadas em comprar determinada ação, os preços dela tendem a subir. Se tem poucas pessoas demonstrando interesse, então o preço pode cair.

4) É preciso comprar uma ação e esperar por muito tempo

Essa é uma das estratégias utilizadas pelos investidores, mas não é a única. Uma das estratégias mais rentáveis para ganhar muito dinheiro na bolsa é comprando e vendendo ações no mesmo dia (uma modalidade conhecida como Day Trade). Assim, o ganho em cada operação é menor, mas no montante de meses de operação, o ganho pode ser significativamente maior. Lembrando que essa é uma estratégia mais agressiva e que envolve mais riscos, por isso é importante, antes, saber o seu perfil de investidor e se essa estratégia está de acordo com o seu planejamento e objetivo.

5) A hora de comprar ações é quando o mercado está em alta

As maiores oportunidades da Bolsa de Valores surgem quando o mercado está em baixa, quando é possível comprar ações que se encontram desvalorizadas e tendem a se valorizar. Além disso, quando uma ação já está em alta, pode ser difícil ela continuar subindo antes de apresentar uma queda.

6) Não dá para ganhar dinheiro com a Bolsa em queda

Com o mercado em queda, além de poder lucrar com ações que estão desvalorizadas e tendem a se recuperar, você também pode ganhar com a queda das ações, uma estratégia chamada de venda a descoberto.

7) A Bolsa de Valores é uma aposta, como uma loteria

Existe todo um trabalho de análise para identificar oportunidades na Bolsa e isso não é feito por meio de adivinhação. Pensou que tudo acontecia na base da sorte? Nada disso. Uma análise fundamentalista fornece informações sobre a saúde de uma empresa, pensando mais no longo prazo, por exemplo.

Por outro lado, a análise técnica consegue identificar padrões gráficos na oscilação dos preços de uma ação e determinar sua tendência para o curto prazo, nos próximos minutos, horas ou dias, por exemplo.

Como você pode ver, muita coisa é dita sobre esse mercado, principalmente por quem não entende ao certo o que é Bolsa de Valores e como ela funciona. Por isso, buscar conhecimento e contar com a ajuda de quem realmente entende do assunto é a grande chave para conquistar seus maiores sonhos. Conte com a Toro para te guiar nessa jornada.

Aprenda a investir na Bolsa de Valores em menos de 1 hora. Assista grátis