Cadastre-se grátis

Quais são as moedas mais valorizadas e caras do mundo hoje?

Hoje, as moedas mais caras e valorizadas do mundo, se tomarmos seu valor em relação ao dólar americano, são: dinar do Kuwait, dinar do Bahrein, rial de Omã, dinar da Jordânia, libra esterlina, libra de Gibraltar, dólar das Ilhas Cayman, franco Suíço, euro e o dólar dos EUA. Nas Américas do Sul e Latina, destacam-se o novo sol do Peru, os pesos de Colômbia e México e o real brasileiro.


Saber quais são as moedas mais valorizadas e caras do mundo é entender uma parte do complexo cenário financeiro global.

Este artigo, portanto, busca mostrar os fatores que impulsionam a valorização monetária e quais são as moedas que se destacam nesse cenário competitivo.

Das razões econômicas às influências geopolíticas, cada divisa reflete não apenas o poder financeiro de um país, mas também sua posição no mercado internacional. Vamos lá?

Por que algumas moedas são mais fortes do que outras?

Uma moeda forte é aquela que mantém um valor robusto em relação a outras moedas, sendo capaz de comprar mais bens e serviços, além de funcionar como um porto seguro.

Assim, a força de uma moeda está associada a vários fatores econômicos, como estabilidade política, fundamentos econômicos, baixa inflação, desempenho do mercado de trabalho e reservas cambiais.

Por fim, a confiança dos investidores e a demanda global por uma moeda também desempenham papéis fundamentais.

Moedas mais fortes oferecem benefícios como menor inflação e maior poder de compra, impulsionando a atratividade internacional e influenciando positivamente o comércio e investimento.

SAIBA MAIS:
➡️ Euro ou dólar: qual é mais forte e melhor protege sua carteira?
➡️ Como investir em dólar? Conheça as 6 melhores alternativas do mercado!

Quais são as moedas mais valorizadas e caras do mundo hoje?

Quando pensamos em moedas fortes, naturalmente o dólar estadunidense, o euro ou a libra vêm a nossa mente. De fato, elas estão entre as moedas mais poderosas do mundo hoje, sendo as mais negociadas no mercado internacional.

Contudo, se observamos o valor das moedas de 180 países em relação ao dólar americano (principal moeda comercial do mundo hoje), vermos que algumas são mais “valorizadas”.

Anualmente, a revista Forbes faz esse levantamento com base na taxa de câmbio versus o dólar. Então, segundo os dados de 2024 da pesquisa Top 10 Strongest Currencies In The World da revista, temos:

1. Dinar do Kuwait (KWD)

O dinar do Kuwait é a moeda mais cara do mundo. A unidade dessa moeda é capaz de comprar cerca de US$3,25, segundo a Forbes. O Kuwait, uma nação situada no Golfo Pérsico, destaca-se pela sua riqueza proveniente das reservas de petróleo.

A força do KWD é inextricavelmente ligada às vastas reservas de petróleo do país, que sustentam a economia e garantem uma posição financeira sólida.

Além disso, o Kuwait adota políticas econômicas prudentes, promovendo a estabilidade monetária, o que torna a sua moeda uma das mais valorizadas do mundo.

2. Dinar do Bahrein (BHD)

Em seguida, um dinar do Bahrein equivale a US$2,65 e sua moeda oficial entrou em circulação em 1965. O Bahrein é um centro financeiro importante, caracterizado pela diversificação econômica e pela presença de setores como bancário e de serviços financeiros.

Além disso, o país possui grandes reservas de petróleo e gás, contribuindo para sua base econômica sólida.

As políticas monetárias prudentes e a estabilidade política também desempenham um papel essencial na valorização do Dinar do Bahrein, tornando-o uma das moedas mais caras do mundo.

3. Rial de Omã (OMR)

Em 3º lugar, com 1 rial de Omã é possível comprar cerca de US$2,60. Omã, situada estrategicamente na região do Golfo Pérsico, tem se destacado pela gestão eficiente de suas receitas provenientes do petróleo, assim como os dois primeiros do ranking.

Além disso, a diversificação de setores econômicos, como o turismo e as infraestruturas, contribui para a resiliência do rial de Omã, em circulação desde 1970.

4. Dinar da Jordânia (JOD)

Apesar de enfrentar um crescimento econômico lento e alto endividamento, a Jordânia segue bem posicionada no ranking de moedas mais valorizadas do mundo.

Um dinar jordaniano equivale a US$1,41. Igualmente beneficiado pelas exportações de petróleo e gás, depende menos dessas commodities.

Sua moeda entrou em circulação em 1950 e, apesar de se situar no Oriente Médio, sofre menos com os conflitos na região, como seus vizinhos continentais Israel, Iraque e Síria.

5. Libra esterlina (GBP)

A força da Libra Esterlina (GBP) em relação ao dólar norte-americano (cerca de £1,30 para cada dólar) é fundamentada em diversos fatores.

O Reino Unido possui uma das maiores economias do mundo, impulsionada por setores como serviços financeiros, com destaque para Londres.

A estabilidade política do país e sua reputação como centro financeiro global contribuem para a confiança nos mercados.

Além disso, a independência do Banco da Inglaterra permite a implementação de políticas monetárias eficazes. A libra também beneficia-se de sua história como uma moeda de reserva internacional.

6. Libra de Gibraltar (GIP)

O pequeno país ao sul da Espanha tem uma moeda cuja unidade tem valor superior a US$1,20. A força da moeda, criada na década de 1920, se explica pela indexação à moeda britânica. Ou seja, uma libra de Gibraltar é equivalente a uma libra esterlina.

Gibraltar, como território britânico ultramarino, mantém uma relação próxima com o Reino Unido, usufruindo da estabilidade econômica e institucional proporcionada por essa associação.

A economia diversificada, com ênfase em setores como turismo e serviços financeiros, contribui para a robustez da moeda.

7. Dólar das Ilhas Cayman (KYD)

Reconhecida por ser um centro financeiro offshore, o dólar das Ilhas Cayman equivale a US$1,20, aproximadamente. Além disso, o território é conhecido por sua economia diversificada, incluindo setores como serviços financeiros e turismo.

Ademais, a vinculação à libra esterlina britânica também desempenha um papel na estabilidade do dólar das Ilhas Cayman.

A confiança internacional na jurisdição como um local seguro para investimentos contribui para a força contínua da moeda em relação ao dólar.

8. Franco Suíço (CHF)

A força do Franco Suíço em relação ao dólar norte-americano é atribuída à estabilidade política e econômica da Suíça, suas políticas fiscais prudentes, qualidade dos serviços financeiros e neutralidade em conflitos internacionais.

Além disso, o Franco Suíço é respaldado por uma sólida infraestrutura bancária e pela tradição suíça de inovação e excelência em setores como farmacêutico e tecnologia, o que o torna uma das moedas mais sólidas e seguras no cenário financeiro global.

9. Euro (EUR)

O euro é a moeda oficial utilizada na Zona Euro, abrangendo 20 dos 27 países que compõem a União Europeia. A introdução da moeda física ocorreu em 2002 e seu valor é variável, o que permite sua flutuação no mercado.

A força do Euro em relação ao dólar é impulsionada por diversos fatores, como a política monetária coordenada pelo Banco Central Europeu, a diversificação econômica e o peso de países como Alemanha e França.

10. Dólar americano (USD)

Por fim, nenhuma outra moeda no mundo vale mais do que uma unidade de dólar. Então, ela é a próxima do ranking.

Criado em 1700, é a moeda comercial mais relevante do mundo e todas as outras moedas fiduciárias do restante do mundo valem menos do que ele.

Os EUA são a maior economia do mundo e também tem a sua moeda como a mais utilizada como reserva mundial, isto é, a mais presente nos cofres dos Bancos Centrais mundo afora.

Além disso, a maioria das commodities e outros serviços internacionais são cotados em dólar, dada a sua importância financeira.

Lembrando ainda que as cotações das moedas mudam todos os dias e estão sujeitas a uma enormidade de fatores políticos e econômicos que alteram o seu valor.

Assim sendo, para consultar a taxa de câmbio de qualquer divisa, utilize o Conversor de Moedas da Mobills:

Qual é a moeda mais forte das Américas do Sul e Latina?

Agora, se colocarmos em perspectiva das moedas mais fortes das Américas do Sul e Latina, teremos surpresas para quem imagina que seria o real brasileiro.

Igualmente, as moedas mais valorizadas são aquelas que têm um menor valor em dólares, o que significa que têm mais poder de compra.

O novo sol peruano é a moeda mais forte da América Latina. Essa moeda se fortaleceu nos últimos meses devido a uma série de fatores, incluindo o aumento das exportações, a redução da inflação e a estabilidade política.

Os pesos colombiano e mexicano também são moedas fortes. Eles ganharam valor recentemente pelo aumento das exportações, a redução da inflação e a estabilidade política.

Desse modo, hoje, as moedas mais fortes das Américas Latina e do Sul são, conforme o valor em janeiro de 2024 ante o dólar:

MoedaPaísCotação (/US$)
Novo solPeru3,75
PesoColômbia3.915
Peso México17
Real Brasil4,92
Colón Costa Rica512
Peso Chile909
BalboaPanamá1
Guarani Paraguai7.300
PesoUruguai39
Peso Argentina822
Tabela das moedas mais fortes da América Latina

É importante ressaltar que o ranking das moedas pode variar de acordo com a cotação do dólar e com outros fatores econômicos. Então, sempre consulte a cotação do dia.

Quais são as melhores moedas para alocação de investimentos?

A escolha das moedas mais valorizadas do mundo para alocação de investimentos e diversificação internacional depende dos objetivos, horizonte temporal e perfil de risco do investidor.

No entanto, algumas moedas frequentemente consideradas para diversificação incluem:

  1. Dólar americano (USD): como moeda de reserva global, o dólar é amplamente aceito e oferece estabilidade.
  2. Euro (EUR): representando a zona do euro, o euro é uma moeda principal em transações internacionais, proporcionando diversificação na Europa.
  3. Franco suíço (CHF): conhecido pela estabilidade e segurança, o franco suíço é uma escolha para investidores que buscam refúgio.
  4. Iene japonês (JPY): o iene é considerado uma moeda segura e é valioso em estratégias de diversificação.
  5. Dólares canadense (CAD) e australiano (AUD): moedas ligadas a commodities, são escolhas para exposição a setores específicos, como recursos naturais.

A alocação ideal dependerá da análise cuidadosa do contexto econômico global, metas de investimento e preferências individuais. Por isso, é importante consultar um Assessor de Investimentos para uma estratégia personalizada.

Muitas dessas moedas fazem parte do índice DXY, que mede o desempenho do dólar em relação a uma cesta de divisas estrangeiras e fornece informações sobre sua força ou fraqueza.

Ele é utilizado por traders e investidores para avaliar tendências e identificar oportunidades no mercado financeiro global. Veja sua variação histórica:

Agora que você conhece as moedas mais caras do mundo, que tal contar com a ajuda de uma Assessoria de Investimentos para ajudar você a montar uma carteira estratégica de acordo com seus objetivos? É só preencher os campos abaixo e entrar em contato conosco agora mesmo:

fundo-lp-assessoria-100k-blog