Como você realiza o seu Planejamento Financeiro Pessoal? Apesar de ser um dos passos básicos para quem deseja investir bem, muitas vezes essa etapa é deixada de lado e acaba impactando nos resultados dos seus investimentos. Por isso, nesse conteúdo você encontra dicas essenciais para fazer seu planejamento financeiro agora mesmo. 

A educação financeira não é um tema muito discutido nas escolas por aqui. No nosso país, ainda existe o velho hábito de não ensinar desde cedo como o dinheiro funciona e, principalmente, as formas mais indicadas de administrá-lo.

Por isso, é muito comum que as pessoas cheguem à idade adulta sem saber exatamente como lidar com suas finanças. Entretanto, gestão financeira é uma habilidade que pode ser aprendida em qualquer fase da vida.

Neste artigo, vamos mostrar para você como desenvolver esse hábito e, principalmente, como aplicá-lo em seu dia a dia com passos simples e práticos. Você vai aprender:

  • O que é planejamento financeiro.
  • Qual a importância dessa gestão financeira.
  • Como fazer um planejamento financeiro em 4 passos. 

O que é planejamento financeiro pessoal?

O planejamento financeiro é um hábito de gestão do dinheiro por uma pessoa, por exemplo, mas também pode ser aplicado a uma empresa.

Basicamente, ele analisa e ajuda a fazer um controle de gastos e ganhos em um determinado período, além de possibilitar definir algumas previsões de custos no futuro.

Esse conceito voltado para o lado pessoal, ou seja, aplicado às pessoas de modo geral, pode ser entendido como uma estratégia para organizar suas finanças pessoais, conhecer suas despesas e receitas. Além disso, é possível traçar metas para daqui algumas semanas, meses e até anos.

Quem faz um bom planejamento financeiro adapta a renda aos gastos, não passa apertos financeiro, realiza investimentos e se protege contra situações negativas, como o endividamento sem controle.

Um erro bem comum é acreditar que a gestão financeira pessoal é algo voltado apenas para pessoas que têm uma renda mais alta, como empresários, celebridades ou outras pessoas que ganham salários altíssimos.

Na verdade, qualquer pessoa, independentemente do nível salarial ou profissão que exerce, pode e deve aprender sobre educação financeira pessoal e, principalmente, aplicá-la em seu dia a dia.

E, claro, sempre que falamos em educação financeira, precisamos destacar que aqui na Toro você conta com ajuda de profissionais realmente competentes para esse objetivo. Além de oferecer conteúdos, como curso de Bolsa de Valores, você também ver vídeos, aulas e e-books para investir melhor seu dinheiro. 

Cursos, e-books, vídeos, relatórios… tudo isso grátis para você Acesse agora

Qual é a importância do planejamento financeiro?

O planejamento financeiro pessoal é muito mais que simplesmente saber se você tem dinheiro suficiente para pagar um determinado valor ou, somente, economizar e ter uma conta bancária positiva. Ele vai muito além disso.

O planejamento financeiro permite que você ganhe mais qualidade de vida e também abre caminho para que você conquistar a independência financeira.

A maior parte dos problemas financeiros existentes na vida de uma pessoa ou família ocorre pelo simples fato de não se saber exatamente quanto se ganha e quanto se gasta.

Existem muitas despesas que são ignoradas devido ao valor bem baixo, mas que, quando ocorrem com muita frequência, acabam atrapalhando (e muito) o equilíbrio das suas finanças.

Ao conhecer exatamente o que entra e sai da sua conta todos os meses, você pode recuperar as rédeas da sua vida financeira e poderá ter mais segurança no futuro.

Esse controle vai te permitir ter uma visão melhor das suas finanças e se preparar para realizar investimentos, fazer aquela viagem dos sonhos, comprar um apartamento ou qualquer outra coisa que desejar.

Quem tem uma boa gestão financeira vive com mais tranquilidade e segurança, sem aquela preocupação de saber se a conta bancária vai fechar no vermelho ou se sobrará algum dinheiro no final do mês. Sem contar que, quando as finanças estão em ordem, é possível criar uma reserva para começar a investir.

Portanto, o entendimento sobre os investimentos disponíveis no mercado pode ser um dos primeiros passos para conquistar uma vida financeira mais tranquila, e futuramente até conseguir alcançar os seus sonhos.

Já que falamos em futuro tranquilo, vamos deixar uma grande oportunidade para quem quer saber onde investir dinheiro pensando no longo prazo. Trata-se de aulas pensadas em ajudar a construir uma carteira com ativos que podem valorizar seu investimento e permitir que você colha bons resultados daqui uns anos. 

Seu futuro tranquilo está mais perto do que imagina Comece grátis e pegue seu Mapa do Investidor de Sucesso

Como fazer o seu planejamento financeiro pessoal?

Até agora, nós mostramos o que é o planejamento financeiro e a sua importância, mas muitas pessoas chegam até esse ponto, entendem que precisam desenvolver esse conceito, mas quando chega na hora de colocar em prática, simplesmente, travam.

Para isso não acontecer com você, veja um passo a passo para começar a fazer seu planejamento financeiro e cuidar melhor do seu dinheiro:

1. Conheça suas receitas e despesas

Antes de qualquer coisa, lembre-se que já falamos sobre a importância de entender tudo que entra e sai do seu bolso. Portanto, o primeiro passo é fazer uma espécie de inventário de tudo o que você recebe e gasta durante um mês.

Nesse levantamento, é importante que tudo seja incluído, até mesmo aquelas despesas mais baratas que, aparentemente, não interferem em nada em seu orçamento mensal. Em muitos casos, são elas as responsáveis pela falta de controle financeiro.

Quer exemplos de coisas baratinhas que podem atrapalhar suas finanças? Aquele cafezinho, os deslocamentos por Uber, doces depois do almoço podem ser os grandes vilões do seu orçamento. Eles às vezes valem menos de 1 real, mas se fizer as contas de quanto isso custa no fim do mês, você pode ter uma surpresa.

2. Negocie e elimine as dívidas

Um dos entraves que pode fazer com que o planejamento financeiro não tenha sucesso ou sequer seja realizado é o endividamento.

Por isso, ao elaborar e pensar nas suas finanças pessoais, mensure e coloque as dívidas em perspectivas, independentemente do tamanho: o financiamento do carro, aquela viagem parcelada, os juros do cartão de crédito, os empréstimos, etc. Enfim, tudo aquilo que configura um débito que você ainda deve pagar.

Então, trace planos para quitar essas dívidas e verifique as possibilidades de renegociação, que muita diferença podem fazer para a sua organização financeira. 

Com as dívidas equilibradas e até mesmo quitadas, você terá mais espaço para equilibrar suas finanças e realizar investimentos para o futuro, visando a liberdade financeira

3. Defina metas e objetivos

Acredite, você terá sérias dificuldades para fazer um planejamento financeiro pessoal se não tiver em mente um objetivo maior a ser alcançado. Pode ser qualquer coisa: comprar um carro, fazer um curso fora do país, abrir seu próprio negócio, matricular seus filhos em um excelente colégio, etc.

É importante que você tenha em mente um objetivo e trace um plano que te leve até o ponto desejado. Isso servirá como um estímulo para a sua mente na hora de se manter fiel ao seu planejamento financeiro e fugir dos gastos desnecessários.

4. Aprenda a economizar dinheiro

Outro ponto de extrema importância na gestão financeira pessoal é economizar dinheiro. Afinal, seus objetivos serão atingidos somente se você souber reservar parte dos recursos que entram na sua conta bancária.

Para começar, uma boa ideia é economizar, no mínimo, 10% do que recebe mensalmente. Você pode aumentar esse percentual caso seu orçamento permita. O mais importante é manter a disciplina de reservar um valor todos os meses.

Outra dica é: não deixe para fazer sua reserva no fim do mês. Senão você corre sérios riscos de gastar o dinheiro com o que não deve.

Portanto, assim que seu salário for depositado, já guarde o percentual planejado longe da sua conta corrente.

Esse objetivo pode parecer mais difícil do que imaginamos, uma vez que é preciso pagar os boletos e manter a casa em ordem. Mas, como todos os hábitos, ele precisa de frequência para se estabelecer.

Por isso, mesmo que encontre dificuldades no início, não mude o hábito, especialmente quando houver tentações como as compras por impulsos ou pagamentos parcelados.

5. Estabeleça uma reserva de emergência

Assim como pagar as dívidas e criar o hábito de economizar antes de gastar, é preciso também criar uma reserva de emergência, aquele valor que estará disponível em caso de necessidades financeiras imprevistas, como desemprego, gastos com saúde não cobertos, manutenção do carro, etc.

A reserva de emergência varia entre 6 e 18 meses dos seus gastos pessoais guardados em uma aplicação de alta liquidez, isto é, que você pode retirar a qualquer momento.

O número de meses cobertos pela reserva de emergência varia de acordo com alguns fatores, tais como: estabilidade no trabalho, tratamentos de saúde atuais, número de filhos, dívidas a pagar, entre outros.

Ter uma reserva de emergência lhe dará mais tranquilidade para planejar o restante das suas finanças, uma vez que você saberá que estará coberto em caso de uma necessidade imprevista.

6. Comece pela Renda Fixa

Quando se menciona o termo “poupar”, o que vem imediatamente à mente das pessoas é a boa e velha conta Poupança que quase todos os bancos situados no Brasil oferecem. Entretanto, não é exatamente sobre isso que estamos tratando.

Manter seu dinheiro parado em uma Poupança pode não ser a atitude mais inteligente a ser tomada, isso porque esse tipo de aplicação não gera um retorno muito interessante. Atualmente, existem opções que são tão seguras quanto ela e que podem proporcionar uma rentabilidade bem maior.

Portanto, além de poupar o seu dinheiro é muito interessante conhecer algumas opções de investimento para aplicar os valores que você economizou.

Uma boa ideia para dar um passo além da Poupança é conhecer outros tipos de investimentos de Renda Fixa, que são seguros e mais rentáveis que a caderneta. Algumas boas opções são:

  • Tesouro Direto (TD).
  • Certificados de Depósito Bancário (CDB).
  • Letras de Crédito Imobiliário (LCI).
  • Letras de Créditos do Agronegócio (LCA).
  • Fundos de Renda Fixa

Conhecendo outras possibilidades, seu dinheiro pode render de verdade com o passar do tempo, deixando você ainda mais perto dos seus sonhos. Para facilitar, aqui na Toro você encontra as melhores alternativas de Renda Fixa de um jeito bem simples e gratuito. Com as informações que você coletou para realizar seu planejamento é possível saber quais os ativos mais combinam com seu objetivo. 

Simulador de Renda Fixa

Veja quais são as melhores oportunidades de Renda Fixa em segundos Simule e compare grátis

 

7. Diversifique seus investimentos

Uma vez que você começa a investir pela Renda Fixa, vai também aprendendo mais sobre o mundo dos investimentos para ampliar as suas possibilidades.

De acordo com o seu perfil de investidor e apetite por risco, você também pode diversificar sua carteira de investimentos com aplicações de Renda Variável, tais como: ações de empresas, Fundos Imobiliários (FIIs), Fundos de Investimentos, ETFs, BDRs, entre outros.

Com essa diversificação, você não só aumenta as possibilidades de ganho no longo prazo como também reduz o risco geral da carteira.

Agora que você sabe o que é planejamento financeiro, antes de fechar essa página, confira um vídeo especial do Head de Assessoria aqui da Toro, Felipe Borges, e aprenda a fazer seu planejamento e conquistar sua tão sonhada independência financeira.

Cursos, e-books, vídeos, relatórios… tudo isso grátis para você Acesse agora


Artigos relacionados: