Você costuma investir na Bolsa de Valores? Se sim, já deve saber que, ao comprar ações de uma empresa, você se torna “sócio” daquela companhia. Mas, além de poder lucrar com a variação dos preços dos ativos da empresa, você sabia que existem outras maneiras de lucrar com esse investimento?

Uma delas é o recebimento dos JSCP. Os juros sobre capital próprio são uma das formas mais utilizadas pelas empresas para remunerar os seus investidores. Se você quer saber mais sobre o assunto, continue a leitura e aprenda como aproveitar essa vantagem.

O que são juros sobre capital próprio?

Os juros sobre capital próprio é uma forma de distribuição de lucro bastante comum entre algumas empresas de capital aberto.

A bem da verdade é que os JSCP são uma via de mão dupla: os investidores saem felizes por receberem uma remuneração extra de acordo com o desempenho do seu investimento e as empresas utilizam deles como um artifício contábil para pagar menos impostos.

Isso porque os pagamentos dos juros sobre capital próprio, na linguagem contábil, são considerados como despesa por serem realizados antes do lucro líquido.

Como os lucros da empresa “diminuíram”, o IR vai incidir sobre um valor menor e a companhia pagará menos tributos à Receita Federal.

Entretanto, nem por isso os JSCP passam ilesos da mordida do leão. Assim que são depositados na conta do acionista da empresa, o Imposto de Renda incide sobre o valor com uma taxa de 15%.

Aprenda a investir com quem realmente entende do assunto
Veja cursos gratuitos

Quais as regras para o cálculo dos juros sobre capital próprio?

Para fazer o cálculo dos juros sobre capital próprio, é necessário avaliar alguns documentos e demonstrativos contábeis da empresa.

A maioria dos documentos utilizados são referentes à apuração do lucro durante o ano de exercício da empresa, como a ECF (Escritura Contábil Fiscal), balancetes contábeis, livros razões etc.

Além disso, de acordo com a atual legislação tributária, o cálculo do JSCP também levará em consideração os seguintes tópicos do patrimônio líquido da empresa: capital social, reserva de lucros, reservas de capital, prejuízos acumulados e ações em tesouraria.

Outro ponto importante para o cálculo dos juros sobre capital próprio diz respeito à forma de tributação na qual a empresa se enquadra.

Empresas optantes pelo Simples Nacional, assim como no Lucro Presumido, podem pagar JSCP aos acionistas. Entretanto não terão nenhum benefício fiscal porque esses sistemas de tributação já têm como base o próprio faturamento, e não o resultado do período.

JSCP x dividendos: entenda as diferenças

De acordo com a legislação que rege as Sociedades Anônimas (empresas de capital aberto), toda e qualquer companhia que tenha ações negociadas na Bolsa de Valores deve, obrigatoriamente, distribuir entre os seus acionistas no mínimo 25% do seu lucro líquido na forma de dividendos.

Os dividendos, portanto, são frações dos lucros que a empresa teve durante o ano de exercício. Por se tratar de um resultado positivo líquido sobre o valor, já foram deduzidos os devidos tributos.

Então, o investidor que detém ações de uma empresa que lucrou ao longo do ano, receberá os dividendos referentes à quantidade de papéis que possui já líquido de impostos.

Por outro lado, como falamos, os juros sobre capital próprio são uma espécie de artifício contábil utilizado pelas empresas.

Por serem categorizados como despesa, o valor dos JSCP é deduzido do lucro antes do desconto do IR. Logo, as empresas pagam menos impostos ao remunerar os investidores dessa forma.

Como as empresas não pagam IR sobre esse valor, a tributação ocorre diretamente no depósito da quantia para os investidores, com taxa de 15%.

Por isso, a principal diferença entre juros sobre capital próprio e dividendos é que no primeiro existe o desconto de Imposto de Renda sobre o valor e no segundo você receberá a quantia referente aos lucros da empresa onde investe já líquida de impostos.

Tem mais alguma dúvida quanto a este tema, ou qualquer outro sobre investimentos? Sem problemas. Aqui na Toro você pode conversar diretamente com um assessor e perguntar tudo que tem vontade de saber sobre o universo dos investimentos.

Converse com nossos assessores certificados
Tire suas dúvidas agora

Quais as vantagens do JSCP?

Como já foi dito neste artigo, os juros sobre capital próprio são uma relação ganha-ganha entre as empresas e os investidores.

Imagine que você invista em uma empresa e, além dela ter se valorizado após você comprar ações, ela ainda pague a você uma quantia extra referente aos JSCP. O quão bom isso seria? É o sonho de muitos investidores, certo?

Já para as empresas, o benefício está mais do que claro. Ao pagar os juros sobre capital próprio para seus investidores, além de manter a alegria entre os acionistas e incentivar a compra de mais papéis, a principal vantagem está na questão tributária.

Quanto mais lucros a empresa pagar aos seus acionistas na forma de JSCP, menor será o imposto que ela pagará, já que a parcela do Imposto de Renda vai incidir sobre uma quantia menor.

Essas vantagens fazem muitos investidores se interessarem por empresas que distribuem seus lucros aos acionistas com frequência. Mas você sabe identificar quais oportunidades são realmente interessantes?

Se sua resposta é não, saiba que você pode contar com a Toro para te ensinar como começar a investir e te ajudar a caminhar rumo ao sucesso.

Aprenda como se tornar um investidor de sucesso na Bolsa
Acesse o curso gratuito

É possível investir em juros sobre capital próprio?

Infelizmente, não é possível investir somente em juros sobre o capital próprio. Para estar apto a receber esse benefício, você deve primeiro investir em ações de alguma empresa que pague o JSCP aos seus acionistas.

Para saber quais empresas são essas, você pode acessar o site da B3 e verificar o histórico de pagamento de JSCP de cada uma delas.

Os juros sobre capital próprio podem render a você bons retornos, que vão além do desempenho das empresas no mercado financeiro.

Por isso, é uma boa pedida incluir tais companhias na sua carteira de ações. Inclusive, existem investidores que preferem focar apenas nesse tipo de ação.

Entretanto, vale lembrar que o principal segredo para o sucesso no mundo dos investimentos é a diversificação do seu portfólio de investimentos. Por isso, evite aplicar todo o seu capital em renda variável e, mais do que isso, aplique-o em empresas diferentes e não foque apenas naquelas que pagam juros sobre capital próprio e dividendos.

Fazendo isso, você pode se proteger melhor das oscilações do mercado financeiro e poderá aumentar as chances de ter bons retornos com suas aplicações ao longo do tempo.

E para atingir seus objetivos, conte com a Toro para andar ao seu lado.

Nossa equipe de profissionais está sempre disposta a te ajudar a trilhar um caminho de sucesso com seus investimentos.

Monte grátis sua carteira de investimentos. Teste grátis