Os ETFs que replicam índices do mercado americano que podem ser comprados na Bolsa de Valores do Brasil (B3) são: IVVB11, SPXI11, SPXB11, NASD11, DNAI11, MILL11, HTEK11, TECK11,  SHOT11, USTK11 e WRLD11.

Diversificar os seus investimentos por meio de ETFs americanos é uma boa maneira de conferir mais segurança e menos volatilidade à sua carteira. Além disso, essa modalidade de investimento tem se tornado uma das preferidas dos investidores nacionais. 

Mais de 400 mil brasileiros investiam em ETFs em maio de 2021, um aumento de 64% em relação a dezembro de 2020, aponta pesquisa. 

A referida pesquisa da B3 destaca ainda que as reduções nas taxas de juros (Selic) durante a pandemia destravaram o desenvolvimento do mercado de capitais, incluindo os ETFs. Outro levantamento destacou que esses Fundos já movimentaram mais de R$150 bilhões somente no primeiro semestre de 2021. 

As pessoas físicas. por sua vez, respondem por 20% de participação do volume investido (em custódia) em ETFs. A Bolsa também facilitou o acesso do pequeno investidor a esses Fundos, reduzindo o lote padrão de 10 para 1 unidade, o que permitiu o rápido crescimento.

Além do mais, novos ETFs são lançados constantemente, oferecendo possibilidades de acesso a carteiras de ativos não apenas nacionais, mas também fora do Brasil. Neste artigo, abordaremos quais ETFs dão ao investidor acesso ao mercado americano e conhecer um pouco mais sobre eles. Vamos lá?


Nova call to actionAproveite o jeito mais fácil de investir agora mesmo Faça seu cadastro grátis na Toro

O que são ETFs?

Inicialmente, vamos lembrar o que são os ETFs para garantir que todos estejam na mesma página para o restante da leitura do conteúdo desse artigo.

Essa sigla é a abreviação de Exchange Traded Fund ou, em termos mais simples, são Fundos de Investimentos negociados em Bolsa que captam recursos para adquirir ativos e montar uma carteira que siga algum índice do mercado como referência. Esses índices podem ser como, por exemplo, o Ibovespa, o Small Caps, índices das Bolsas americanas, europeias, etc.

Ou seja, quem investe em ETFs não está interessado em analisar e escolher as ações, mas sim em se expor a uma carteira de ativos como forma de ganhar com a valorização geral do mercado, além de ser uma forma de investir em várias empresas de uma única vez por meio do Fundo. Atualmente, a B3 tem quase 40 ETFs listados, sendo a maioria deles de investimento em renda variável. 

ETFs com maior número de investidores no Brasil

Confira abaixo uma lista com os maiores ETFs da Bolsa de Valores do Brasil em relação ao número de investidores:

Nome Código Índice Exposição
iShares S&P 500 IVVB11 S&P 500 EUA
Hashdex Nasdaq HASH11 Nasdaq Crypto Index (NCI) Global
iShares Ibovespa BOVA11 Ibovespa Brasil
Trend ETF MSCI China XINA11 MSCI China China
iShares BMF Bovespa Small Cap SMAL11 Índice Small Cap Brasil
Trend ETF LBMA Ouro GOLD11 LBMA Gold Price Global
It Now PIBB IBrX-50 PIBB11 IBr-X 50 Global
It Now IDIV DIVO11 Índice Dividendos Global
Trend ETF MSCI Europa EURP11 MSCI Europe Europa
It Now Ibovespa BOVV11 Ibovespa Global

Fontes: B3 e Valor Investe com dados até maio de 2021

Como você pode perceber, o ETF que acompanha o índice da Bolsa americana S&P 500 é o preferido no mercado nacional. A seguir, vamos falar um pouco mais sobre ele. Mas antes, confira um vídeo especial de como você pode adquirir ETFs na plataforma da Toro investimentos com enorme facilidade:

Veja quais são os melhores ETFs para investir agora Acesse grátis

ETFs americanos na Bolsa de Valores do Brasil (B3)

Neste tópico, vamos conhecer alguns ETFs com exposição ao mercado americano e como eles são compostos, sobretudo se você ainda não tem algum investimento desse tipo e está pensando em fazer suas primeiras aplicações atreladas ao mercado externo.

É importante lembrar que, ao investir em ETFs americanos na B3, seu dinheiro não necessariamente sai do Brasil.

O valor total das cotas dos ETFs representa o patrimônio total do Fundo que, então, vai adquirir os ativos no exterior, posições em dólar, no mercado futuro ou BDRs de ações estrangeiras para compor a carteira.

Todos os investimentos que você realiza pela sua corretora brasileira ficam registrados na B3 e não na Bolsa americana.  Logo, na B3, estará inscrito que você é dono de um ETF no Brasil, o que é diferente de comprar um ETF direto nos EUA, pois são ativos diferentes.

Por isso, quando um investidor compra uma cota de ETF, ele não está injetando mais dinheiro no Fundo, está apenas adquirindo direito de participar dos resultados deste. Novos recursos só entram nos ETFs se eles emitirem mais cotas para vender na Bolsa. 

Por isso, é importante lembrar que boa parte dos ETFs são Fundos de Investimentos em Ações (FIAs), ou seja, você compra cotas para acessar uma carteira de ações específica. No caso dos ETFs, a maioria tende a ser Fundos de gestão passiva. Isto é, visam replicar o desempenho dos índices de referência no longo prazo.

Lista de ETFs americanos na B3

Abaixo, temos a lista com os principais ETFs americanos que o investidor pode comprar na B3: 

Nome Código de negociação Índice de referência
iShares S&P 500 IVVB11 S&P 500
S&P500® Net Total Return SPXI11 S&P 500
BTG S&P 500 SPXB11 S&P 500
Trend Nasdaq 100 NASD11 Nasdaq 100
It Now MSCI USA - Genomic Innovation Select 50 DNAI11 MSCI USA IMI Genomic Innovation Select 50
It Now MSCI USA - IMI Millenial Select 50 MILL11 MSCI USA IMI Millenials Select 50
It Now MorningStar US Healthcare HTEK11 MorningStar US Healthcare
It Now Russell® 1000 Green Revenues REVE11 Russell® 1000 Green Revenues 50
It Now NYSE Fang+ TECK11 NYSE Fang+
It Now S&P® Kensho® Moonshoots SHOT11 S&P® Kensho® Moonshoots
Investo ETF MSCI US Technology USTK11 MSCI US Investable Market Information Technology 25/50 Index
It Now S&P® Kensho Hydrigen YDRI11 S&P® Kensho® Hydrogen
Investo FTSE Global Equities WRLD11 FTSE Global All Cap

Fonte: B3

Ainda pode estar um pouco nebuloso o que cada um representa, não é mesmo? Então, vamos conhecer alguns mais detalhes sobre eles:

IVVB11

O IVVB11 é um ETF lançado em 2014 e administrado pela gestora BlackRock. Possui mais de R$5 bilhões em patrimônio que são investidos em uma carteira composta por 99,9% de cotas do ETF americano IVV (também pertencente à BlackRock), que é negociado nos EUA e visa replicar o desempenho do índice S&P 500 − as 500 maiores empresas americanas.

Desde o lançamento, obteve um retorno de mais de 450%, apontam os dados da gestora. Esse ETF cobra uma taxa de administração de 0,23% ao ano.

SPXI11

Este é outro ETF que visa replicar o desempenho do índice S&P 500. O Fundo determinou em sua política de investimento que aplicará, no mínimo, 95% do patrimônio em cotas do VOO S&P 500  − um ETF que também visa acompanhar o principal índice da Bolsa americana. O restante do patrimônio do ETF é aplicado em posições compradas de outros ativos que não fazem parte do S&P 500.

Foi lançado em 2015 e alcançou uma valorização acumulada de mais de 300%, de acordo com dados da B3. A taxa de administração é de 0,21% ao ano.

SPXB11

O terceiro ETF negociado na B3 que acompanha a flutuação dos preços das companhias que compõem o S&P 500 é o SXPB11. Sua administradora é a BTG Pactual Asset Management e ele começou a ser negociado em setembro de 2021. Sua taxa de administração é de 0,20% ao ano.

NASD11

Este é um Fundo recém-lançado na Bolsa. Suas cotas começaram a ser negociadas em junho de 2021. Ele tem como objetivo o investimento que replique o desempenho médio do índice Nasdaq-100 − as cem maiores empresas não-financeiras listadas na Bolsa Nasdaq. Fazem parte dessa lista companhias como Apple, Google (Alphabet), Facebook, Intel, Starbucks, PepsiCo, Netflix, Microsoft e muitas outras. A taxa de administração é de 0,30% ao ano. 

DNAI11

O DNAI11 visa investir em ativos financeiros que replicam o índice MSCI USA IMI Genomic Innovation Select 50, de empresas focadas em sequenciamento genético na área de saúde e agricultura (exemplos: Moderna, Illumina, Regeneron Pharmaceuticals e Thermo Fisher Scientific).

Segundo a política de investimento do Fundo, o ETF poderá aplicar "até 95% de seu patrimônio em posições compradas no mercado futuro de dólar. Nos restantes 5% de sua carteira, o ETF poderá deter outros ativos não incluídos no Índice". A taxa de administração é de 0,50% ao ano. 

MILL11

Este também é um ETF bastante recente na Bolsa brasileira. Lançado em junho de 2021, o MILL11 visa replicar o índice MSCI USA IMI Millenials Select 50, índice composto de companhias americanas que oferecem produtos e serviços consumidos pela geração millenials (Exemplos: Nvidia, Adobe, Apple, Microsoft, Amazon, Netflix, Disney e outras).

A política de investimento é similar ao DNAI11 e a taxa de administração também é de 0,50% ao ano. 

HTEK11

Outro ETF lançado em meados de 2021, visa replicar o desempenho do índice da MorningStar US Exponential Technologies Healthcare que, por sua vez, reflete a performance das companhias americanas que se beneficiam do uso de tecnologias inovadoras de bioinformática, medicina e neurociência. Aqui, falamos de empresas como: Tenet Healthcare, Charles River Laboratories, Waters Corp, Biogen e Illumina. 

Por ser da mesma gestora, a política de investimento é a mesma dos dois anteriores, assim como a taxa de administração de 0,50% ao ano.

REVE11

O REVE11 concede ao investidor acesso a 50 empresas do índice Russell® 1000 Green Revenues 50, calculado pela Frank Russel que tem na sua composição companhias engajadas em uma transição para a economia verde. Entre elas: Tesla, Danaher Corporation, Cisco Systems e Waste Management. A taxa de administração também é 0,50% ao ano.

TECK11

Mais um dos ETFs novatos de 2021 que surgiram no aquecimento do mercado para esses produtos. Este Fundo reflete a performance deo índice NYSE Fang+, que foca nos setores de tecnologia e consumo, bem como ADRs de alto crescimento do setor de tecnologia, tais como: Twitter, Apple, Facebook, Amazon, Tesla e outras. A taxa de administração é de 0,25% ao ano. 

SHOT11

Também de lançamento recente, é um ETF focado em replicar o desempenho do índice S&P® Kensho® Moonshots, da Standard & Poor's, que reflete a perdomance das 50 empresas que estão em estágio inicial de inovação, tais como: Asana, Virgin Galactic Holdings, Varonis Systems e BigCommerce Holdings. A política também estabelece que até 95% esteja aplicado em posições no mercado futuro de dólar e os 5% restantes em ativos que não fazem parte do índice. A taxa de administração é de 0,50% ao ano.

USTK11

Lançado em 2021 pela gestora Investo, o USTK11 é um ETF que replica o ETF internacional VGT (Vanguard Information Technology) listado em Nova Iorque. Esse ETF americano investe em mais 350 empresas e tem quase US$50 bilhões sob gestão. Então, quem comprar cotas desse Fundo na Bolsa brasileira acompanhará o desempenho do ETF na Bolsa dos EUA, que investe tanto em gitantes da tecnologia (Adobe, Apple, Oracle, Intel, Microsoft, etc) quanto em empresas emergentes (PayPal, Zoom, DocuSign, Salesforce, entre outras).

YDRO11

Este ETF tem como propósito acompanhar a variação do Índice S&P Kensho Hydrogen, calculado pela Standard & Poor's. Por meio dele, o investidor tem acesso a cerca de 20 empresas especializadas na produção, armazenamento e transporte de hidrogênio, tais como: Plug Power, Chart Industries e Ballard Power Systems. Sua taxa de administração é de 0,50% ao ano.

WRLD11

Com estreia em outubro de 2021 também da gestora Investo, o WRLD11 é um ETF que replica o desempenho do ETF americano VT (Vanguard Total World Stock), listado em Nova Iorque. O intuito desse Fundo é seguir um índice composto por mais de 9 mil empresas mundo afora: FTSE Global All Cap. Ou seja, quem comprar cotas desse ETF verá seu dinheiro ser aplicado em cotas do VT e acompanhará o desempenho econômico geral das empresas do mundo pelo efeito "cauda longa", isto é, investir em países ricos, mas também em empresas de países emergentes, que incluem nomes como (Tesla, Danone, Ford, L'Oreal, Nike, Nestlé, etc). Sua taxa de administração é de 0,38% ao ano.

É importante dizer que os ETFs apresentados no artigo não são recomendações de compra nem necessariamente expressam a opinião dos especialistas da Toro.

Outra possibilidade de aplicar em ativos relacionados aos investimentos no exterior é realizar a compra de BDRs. Confira um vídeo especial para entender mais sobre o assunto:

Veja quais são os melhores BDRs para investir agora Acesse grátis

ETFs de mercados internacionais para investir na B3

Agora que você já conhece os ETFs americanos, deve estar imaginando se há outras opções de Fundos para outros mercados mundiais, certo? A resposta é sim! Na Bolsa de Valores aqui do Brasil, existem cinco ETFs que focam no mercado internacional. 

Lista de ETFs internacionais

Além dos ETFs que focam no mercado americano, há também disponíveis para os investidores aqui no Brasil os seguintes Fundos de Índice de outros mercados internacionais:

Nome Código de negociação Mercado ou índice de referência
Trend MSCI ACWI ACWI11 Índice MSCI ACWI
Trend MSCI Asia ex-Japão ASIA11 Mercado asiático, exceto Japão
Trend MSCI Mercados Emergentes EMEG11 Mercados emergentes
Trend MSCI Europa EURP11 Índice MSCI Europe
Trend MSCI China XINA11 Índice MSCI China

Fonte: B3

Veja quais são os melhores ETFs para investir agora Acesse grátis

Os ETFs americanos na B3 pagam dividendos?

Não. No caso dos ETFs de mercados americanos que apresentamos nesse artigo e são negociados aqui no Brasil, os dividendos são reinvestidos pelo Fundo para reforçar suas posições, sendo ao final refletidos no valor da cota. 

Se você quer saber como encontrar as ações livres e boas pagadoras de dividendos, veja o vídeo abaixo:

Veja como montar uma carteira diversificada com ETFs, BDRs, FIIs  Assista aulas grátis

Quais são os ETFs mais procurados da Bolsa dos EUA?

Para terminar, todos os ETFs que foram apresentados anteriormente no artigo são os que podem ser comprados na Bolsa brasileira. No entanto, alguns brasileiros preferem comprar ETFs direto nas Bolsas americanas. O Valor Investe realizou um levantamento de quais foram os 10 ETFs mais negociadas por brasileiros em junho de 2021 lá nos EUA:

Posição ETF (Código de negociação)
1º lugar ProShares Ultra VIX Short-Term Futures (UVXY)
2º lugar ETFMG Alternative Harvest (MJ)
3º lugar Gold Trust iShares (IAU)
4º lugar Global X SuperDividend REIT ETF (SRET)
5º lugar S&P 500 Vanguard ETF (VOO)
6º lugar Global X Uranium ETF (URA)
7º lugar S&P 500 ETF Trust SPDR (SPY)
8º lugar REIT Vanguard ETF (VNQ)
9º lugar Invesco QQQ Trust Series 1 (QQQ)
10º lugar Global X NASDAQ 100 Covered Call (QYLD)
Fontes: Stake / Valor Investe
Nova call to action

Aprenda com quem realmente entende do assunto Veja aulas gratuitas do básico ao avançado