Você provavelmente já ouviu falar da BM&F, certo? Muitas pessoas já viram ou escutaram algo a respeito da BMF e Bovespa, mas não sabem exatamente do que se trata. A Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) ou Bovespa BMF, como você já deve imaginar, está diretamente ligada à Bolsa de Valores.

A história dessa instituição tem grande importância para o mercado financeiro. Se deseja investir suas economias e quer saber mais sobre esse assunto, leia o texto até o fim. Você encontrará muitas informações sobre o que é BM&FBovespa e como a Bolsa de Mercadorias e Futuros pode ser útil para você.

O que é BM&F?

BM&F significa Bolsa de Mercadorias & Futuros. Ela também é chamada pelos jornais e noticiários de "Bolsa de Valores" ou apenas de "a Bolsa".

De acordo com o Banco Central do Brasil (BCB), ela é uma associação privada e civil.

O seu maior objetivo é registrar e negociar operações financeiras. É por isso que ela é tratada como o grande símbolo do mercado financeiro. Pode parecer complicado à primeira vista, mas, na prática, é bem simples.

Nela, são negociadas por exemplo ações, cotas de fundos de investimento, preços de bens agrícolas e recursos naturais (commodities), além de títulos públicos e privados.

Para entender melhor, imagine uma loja com inúmeros vendedores e produtos. Você entra nesse lugar e pode comprar o que quiser, em diferentes quantidades. Mais do que isso: você pode acompanhar as mudanças nos preços e vender o que comprou por um preço maior e, assim, ganhar dinheiro.

Apesar de cheio e aparentemente confuso, esse grande mercado é bastante organizado: tudo é negociado com rapidez e muita transparência. A BM&FBovespa tem autonomia financeira, patrimonial e administrativa. Suas atividades são fiscalizadas pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Aprenda a investir na Bolsa de Valores em menos de 1 hora. Assista grátis

Saiba como funciona a BM&F

A BM&F é responsável por possibilitar diversos tipos de investimentos. Por meio dela, é possível negociar commodities agropecuárias, minerais, recursos naturais, moedas, taxas de juros e assim por diante.

Se a sua ideia é comprar as ações de uma grande empresa, saiba que a Bolsa é a instituição que vai regulamentar essa aquisição e acompanhar a variação dos preços.

Ou seja, voltamos ao exemplo usado no começo do artigo: a Bolsa é um mercado com vários produtos, vendedores e preços. Você tem a opção de comprar o que quiser e também pode vender quando achar mais interessante.

Todas as negociações são realizadas com o máximo de segurança e agilidade.

Nessa loja enorme, você encontra diversas tabelas que ajudam a entender quais compras e vendas valem a pena no momento.

Para negociar na BM&F, você pode comprar um contrato futuro. Eles são acordos de compra e venda negociados pela internet. Essas negociações são realizadas a partir de um "lote mínimo", além de terem um preço combinado com antecedência. Cada contrato tem seu próprio código de identificação e data de vencimento.

É o caso por exemplo dos contratos futuros de dólar, índices, café, boi gordo e milho, por exemplo. Vale lembrar que, para investir em uma dessas opções, você precisa primeiramente de uma conta em uma corretora de valores. Ela será a ponte que vai te conectar à Bolsa.

Invista nas melhores oportunidades da Bolsa com um clique. Veja agora

Os contratos futuros na BM&F

Os contratos futuros são ativos negociados em um ambiente da Bolsa de Valores que poucos conhecem: o Mercado Futuro. Esses contratos são divididos em derivativos financeiros e derivativos agropecuários. Conheça os principais:

Antes de tudo, é válido entender o que são derivativos: são instrumentos financeiros com valores que derivam de outros ativos. Eles são utilizados com dois objetivos diferentes: para se proteger da variação no preços ou realizar lucros.

Em termos resumidos, os derivativos financeiros são aqueles que se relacionam a índices, taxas de juros ou moedas. Alguns exemplos disso são:

  • Dólar americano
  • Índice Bovespa
  • Índice S&P 500

Os derivativos agropecuários, como o nome já entrega, são o que estão ligados ao agronegócio. Por isso, são exemplificados por:

  • Milho
  • Café
  • Boi Gordo

Enfim, nem todo mundo conhece esse segmento da Bolsa de Valores. Apesar disso, quem já sabe o que é BM&F e como ela funciona poder ter bons resultados, porque consegue investir de forma inteligente aproveitando boas oportunidades.

Aprenda a investir na Bolsa de Valores em menos de 1 hora. Assista grátis

A história da BM&F

Em 26 de outubro de 1917, empresários paulistas ligados à exportação, ao comércio e à indústria criaram a Bolsa de Mercadorias de São Paulo. Ao longo dos anos, ficou conhecida pela negociação de contratos agropecuários, envolvendo bens como café, boi gordo e algodão.

Em julho de 1985, surgiu a Bolsa Mercantil & de Futuros. Em pouco tempo, conquistou posição de destaque diante das principais Bolsas de commodities do mundo.

Em 1991, a Bolsa de Mercadorias de São Paulo e a Bolsa Mercantil & de Futuros se uniram sob a sigla BM&F, aliando tradição e dinamismo. No ano de 2002, a BM&F adquiriu os títulos patrimoniais da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro (BVRJ) e deu início ao seu processo de expansão.

A fusão da BM&F e Bovespa

A BM&FBovespa faz parte da principal Bolsa de Valores do Brasil, que já chegou a ter 9 Bolsas. Porém, nada se compara à sua relevância em território nacional.

Ela se originou a partir da fusão entre BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros) e Bovespa Holding, que ocorreu em 2008. Depois dessa união, se tornou a maior referência da América da Latina. Além disso, ela também tem importância no mercado internacional.

A história da Bovespa: A Bovespa foi fundada em 23 de agosto de 1890, graças a Emílio Pestana. Em 1895, foi reaberta com o nome de Bolsa de Fundos Públicos de São Paulo. Nesses tempos, as negociações eram registradas em enormes lousas e as cotações eram gravadas com giz.

Em 1967, se tornou uma instituição, transformando-se em uma associação civil e sem fins lucrativos. É nesse contexto que surgiram as corretoras de valores e os operadores. Depois disso, a Bolsa passa a ser chamada de Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).


Hoje em dia ela faz parte da B3 (Brasil, Bolsa, Balcão) resultado de uma nova fusão, dessa vez com a CETIP (Central de Custódia e Liquidação Financeira de Títulos Privados), em 2017.

Aprenda a investir na Bolsa de Valores em menos de 1 hora. Assista grátis