Os BDRs pagam dividendos aos seus acionistas desde que a empresa gere lucro e decida fazer a remuneração. Os descontos ocorrem por tributação (30% na fonte e 3% a 5% para o custodiante). Além disso, é preciso declarar os dividendos recebidos no Imposto de Renda.

Investir no exterior e em empresas estrangeiras parecia, até pouco tempo, algo inalcançável para o pequeno investidor pessoa-física brasileiro. No entanto, algumas mudanças nas regras e produtos da B3 favoreceram o acesso desse investidor a novos mercados.

A principal delas foi a suspensão da regra que possibilitava as aplicações em BDRs apenas a investidores qualificados (com mais de R$1 milhão em patrimônio). Agora, esses ativos estão disponíveis para qualquer investidor ativo na Bolsa de Valores. Após essa mudança, o interesse e a busca por BDRs só aumentaram.

Uma pesquisa recente apontou que quase 200 mil investidores já aplicam em BDRs na Bolsa de Valores do Brasil.

A mesma pesquisa, realizada pelos BDRs não patrocinados da própria B3 e publicada na revista Forbes, indicou um forte volume de negociações em que foram movimentados R$ 12,4 bilhões em BDRs nos primeiros três primeiros meses de 2021. Desde outubro de 2020, quando os pequenos investidores passaram a ter acesso a essa modalidade de aplicação, o interesse só cresce.

Tal evolução favorece o mercado que ganha mais liquidez e fica mais forte e aquecido. Para o investidor, além de ganhar com a valorização das cotações, também pode potencializar seus rendimentos com os dividendos recebidos. É este último ponto que vamos abordar no artigo de hoje.

No decorrer desse artigo, você vai aprender:

  • O que é um BDR e suas vantagens.
  • Como funciona o dividendo em BDRs.
  • Com que frequência os BDRs distribuem dividendos.
  • Por que empresas podem gerar lucros, mas não distribuir dividendos.
  • Exemplos de BDRs que pagam dividendos.

Nova call to actionAproveite o jeito mais fácil de investir agora mesmo Faça seu cadastro grátis na Toro

O que é um BDR?

Inicialmente, vamos lembrar de maneira rápida o que são os BDRs. Essa é uma sigla para Brazilian Depositary Receipts, que funcionam como recibos de ações de empresas estrangeiras que são negociados na Bolsa brasileira.

As ações de diversas empresas são compradas e depositadas por um custodiante no exterior. Fica a cargo deste custodiante, por sua vez, emitir recibos para essas ações e estes recibos serão negociados na B3.

Os BDRs são uma forma de ter acesso a investimento em ações de empresas estrangeiras por meio da bolsa brasileira e comprando em reais.

Como dissemos na introdução do texto, agora, essa modalidade de investimento está aberta para todos os investidores ativos na Bolsa. Sendo dono de um BDR, você tem um recibo que te garante o acesso às melhores empresas do exterior. 

Além disso, o investidor em BDR, como os recibos estão atrelados às ações das empresas, também tem acesso a uma parte dos lucros gerados pelas companhias, os chamados dividendos. Vamos entender isso com mais detalhes na próxima seção.

Para fechar este tópico, entenda melhor o que são os BDRs em um vídeo especial dedicado ao assunto:

Veja quais são os melhores BDRs para investir agora Acesse grátis

Os BDRs pagam dividendos?

Você, se já tem alguma experiência em investir em ações de empresas brasileiras, provavelmente já recebeu dividendos ou juros sobre o capital próprio (JSCP) dessas companhias das quais se tornou sócio. Os dividendos são parcelas do lucro líquido gerado pela empresa e distribuídos aos acionistas de tempos em tempos.

Pelo fato de os BDRs não serem as ações da empresa e sim títulos lastreados nelas, geralmente surge a dúvida se os donos de BDRs recebem os dividendos pagos pela companhia.

Quem compra um BDR tem direito sim a receber os dividendos pagos pela empresa. 

Primeiramente, para receber os proventos é necessário que a empresa tenha lucro e decida distribuir parte desse resultado entre os sócios. Se os sócios americanos receberem os dividendos, os donos brasileiros dos BDRs também recebem. Essa é uma decisão que varia de empresa para empresa, assim como o valor que será pago.

Portanto, os BDRs também são ótimas opções para compor carteiras diversificadas que também contém ativos que geram remuneração recorrente. 

Como funcionam os dividendos em BDRs?

Além de a empresa decidir remunerar os acionistas, é preciso que o investidor tenha o BDR na sua carteira na data determinada. Então, no dia estabelecido, o valor determinado por ação é creditado em reais na sua conta na corretora aqui no Brasil.

É importante dizer que os dividendos pagos pelos BDRs têm uma mecânica tributária diferente dos proventos de empresas brasileiras (dividendos, juros sobre o capital próprio e bonificação de ações).

Qual é a tributação envolvida?

No Brasil, até o momento, o sócio das empresas listadas na B3 não pagam impostos sobre os dividendos recebidos, apenas sobre os JSCP. Esse é um dos pontos, inclusive, que está em discussão na Reforma Tributária. Então, vale a pena ficar de olho no noticiário econômico que envolve esse assunto.

No exterior, especialmente nos EUA, os dividendos têm um tributo cobrado na fonte. Em outras palavras, 30% do valor dos dividendos vai ser retido na fonte como forma de imposto.

Além disso, há uma taxa que varia de 3% a 5% sobre o pagamento que fica retida no custodiante, ou seja, a empresa financeira que gerou os BDRs. Então, de 65% a 67% restante do valor é o que chega ao seu bolso. Por fim, há ainda a tributação no Brasil. Essa será contabilizada no momento da declaração anual do Imposto de Renda

Com que frequência os BDRs distribuem dividendos?

Assim como a decisão de optar ou não por pagar os dividendos, as empresas não obedecem a mesma regra quanto à frequência de pagamento. Ou seja, cada companhia vai deliberar em assembleia quando e quanto vai pagar. 

Podem ocorrer diversas frequências de pagamento, mas as mais comuns são as mensais, trimestrais, semestrais ou uma vez por ano. De toda forma, a companhia comunica a decisão com antecedência ao mercado, de acordo com o seu plano de negócios.

Por que empresas podem gerar lucros, mas não distribuir dividendos?

Outro ponto importante que o investidor deve estar atendo quanto ao pagamento de dividendos pelos BDRs é que as empresas podem ou não decidir por distribuir os lucros. Isso varia de acordo com os planos da direção e as estratégias de mercado.

Algumas empresas podem optar por não pagar dividendos e reinvestir os lucros para fazer a empresa crescer mais.

Companhias como Apple e Google passaram anos, até mesmo décadas, sem pagar dividendos. Ou seja, todo o lucro que era gerado era imediatamente reinvestido (em tecnologia, pessoas, compras de outras empresas, redução do endividamento, etc) para tornar o crescimento da empresa exponencial.

Portanto, o fato de uma empresa não pagar dividendos, não quer dizer que ela seja ruim, mas que os planos de negócio delas estão orientados para um crescimento forte. Então, ao escolher um BDR, é preciso se informar sobre o negócio e em que momento de crescimento a empresa está.

Falando em compor uma carteira diversificada e vencedora, confira um vídeo que traz dicas fundamentais sobre esse tema:

Veja como montar uma carteira diversificada com ETFs, BDRs, FIIs  Assista aulas grátis

Exemplos de BDRs que pagam dividendos

Como dito anteriormente, a deliberação por pagar ou não dividendos vai de acordo com o que a empresa planeja para o seu futuro. Em casos de companhias já consolidadas no mercado e grandes geradoras de caixa e lucro, pode haver uma maior predisposição a remunerar os acionistas.

Uma boa forma de descobrir quais são os BDRs que mais pagam dividendos é seguir como referências as listas chamadas Dividends Aristocrats e Dividend KingsA primeira diz respeito às empresas do índice americano S&P 500 que pagaram dividendos crescentes aos sócios nos últimos 25 anos. A segunda são as que remuneraram dividendos também crescentes nos últimos 50 anos.

Dividend Aristocrats

Vamos conhecer abaixo alguns exemplos de BDRs entre os Dividends Aristocrats e seus códigos de negociações na B3:

  • At&T (ATTB34)
  • Caterpillar (CATP34)
  • Chevron (CHVX34)
  • ExxonMobil (EXXO34)
  • IBM (IBMB34)
  • McDonald's (MCDC34)
  • Medtronic (MDTC34)
  • PepsiCo (PEPB34)
  • Target Corporation (TGTB34)
  • Walmart (WALM34)

Dividend Kings

Agora, confira algumas empresas que compõem a lista dos Dividend Kings que também têm BDRs listados na Bolsa de Valores do Brasil:

  • 3M (MMMC34)
  • Coca-Cola (COCA34)
  • Colgate-Palmolive (COLG34)
  • Johnson & Johnson (JNJB34)
  • Lowe’s (LOWC34)
  • Procter & Gamble (PGCO34)

BDRs que mais pagaram dividendos em 2020

Recentemente, a Economática realizou um levantamento, publicado no portal E-Investidor, que apontou os dez BDRs do índice BDRX que mais pagaram dividendos no ano de 2020, em relação ao Dividend Yield. Foram as seguintes:

Empresa  Código Dividend Yield (%) 
Costco Wholesale  COWC34 5,86
Altria Group MOOO34 5,76
Telefonica TLNC34 5,72
AT&T ATTB34 4,44
Exxon Mobil  EXXO34 4,28
Kraft Heinz KHCB34 4,28
Itl Business Machines IBMB34 4,13
Abbvie ABBV34 4,08
Unilever ULEV34 3,86
Chevron  CHVX34 3,63

Fonte: Economática/E-Investidor

Por fim, é importante destacar que os BDRs listados acima não são recomendações de compra nem necessariamente expressam a opinião dos especialistas da Toro Investimentos. 

Antes de fechar essa página, confira um vídeo especial e veja como você pode investir em BDRs pela plataforma da Toro:

Veja quais são os melhores BDRs para investir agora Acesse grátis