A digitalização das plataformas de investimentos e o crescente número de novos investidores ingressando no mercado vêm impulsionando as profissões da área financeira, entre elas, o Agente Autônomo de Investimentos (AAI). 

Segundo levantamento recente, em apenas 4 anos, o número de AAIs credenciados mais do que triplicou, passando dos 17 mil profissionais.

O elevado número de vagas oferecidas pelas corretoras é o principal motivo da rápida expansão da área. Neste conteúdo, vamos destrinchar tudo o que você precisa saber sobre esse profissional e suas funções, passando por tópicos como:

  • O que é um Agente Autônomo de Investimentos (AAI).
  • Quando ganha um Agente Autônomo de Investimentos.
  • O que faz um Agente Autônomo de Investimentos.
  • Como ser um Agente Autônomo de Investimentos.
  • Regras da Ancord e CVM para os AAIs.

Vamos lá?

Aprenda a investir com aulas grátis e quem entende do assunto.

Dê seus primeiros passos no mercado pelo caminho certo Veja aulas grátis agora

O que é um Agente Autônomo de Investimentos (AAI)?

Afinal, o que é um Agente Autônomo de Investimentos (AAI)? Muitas vezes, há a confusão conceitual entre os AAIs, os Assessores e os Analistas de Investimentos. Mas essa é uma diferenciação que vamos trazer ao longo do artigo. Primeiro, vamos conhecer o AAI.

O Agente Autônomo de Investimentos é o profissional que realiza o trabalho de intermediação entre investidores e os produtos financeiros do mercado.

Logo, seu trabalho é prospectar clientes (investidores) para explicar e apresentar como funcionam os principais tipos de investimentos de Renda Fixa, Variável, Fundos, derivativos, contratos futuros e outros. Ou seja, atuará como uma ponte entre clientes e corretoras.

Eles são chamados de Autônomos, pois em geral não possuem vínculo empregatício com uma corretora de investimentos ou instituição financeira, mas atuam por meio de um contrato de distribuição.

Esse trabalho pode ser realizado por meio de pessoa física, pessoa jurídica, sociedade ou firma individual, desde que constituída exclusivamente para isso. 

Os AAIs são extremamente relevantes para o mercado, uma vez que ajudam na educação financeira da população e facilita o seu acesso às melhores alternativas de investimento para a construção de um patrimônio rentável.

O que diz a CVM sobre os AAIs?

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) possui uma instrução normativa que detalha e dispõe sobre as atividades, direitos e deveres dos Agentes Autônomos. Confira o documento no link abaixo:


Além das regras definidas por essa instrução, é obrigatório que os AAIs sejam profissionais credenciados corretamente para exercer essa profissão. Falaremos em detalhes sobre o credenciamento no decorrer do conteúdo. 

Salário: quanto ganha um AAI?

Um dos questionamentos mais frequentes de quem se interessa por atuar como AAI é sobre a remuneração. Seus ganhos médios anuais variam, geralmente, entre 0,6% e 1,5% do total obtido na sua atividade de prospecção.

Lembrando que isso não é uma regra, mas apenas uma estimativa média. Tenha atenção que, por não ter vínculo CLT, o AAI não recebe um salário fixo todos os meses.

Sua remuneração será determinada pelo contrato firmado entre o AAI e a instituição, pela receita que o produto contratado pelo cliente gerar e por sua habilidade de captação de novos investidores.

Portanto, quanto mais investidores captados e mais receita que os produtos comprados pelos clientes gerarem, mais o Agente Autônomo vai receber. Note que a remuneração total também está diretamente ligada ao perfil dos investidores que o Agente vai captar.

Além disso, o AAI também terá algumas despesas no seu trabalho que geralmente incluem custos com telefone, computadores, energia, escritório, alimentação e similares. 

New Call-to-action

O que faz um Agente Autônomo?

Na prática, como é o dia a dia de um Agente Autônomo? Como adiantamos no primeiro tópico, esse profissional existe para ajudar seus clientes a entender as possibilidades de aplicação, investir e orientar os investidores para que consigam organizar e diversificar suas carteiras.

Segundo a instrução 497 da CVM que citamos anteriormente, as atividades do Agente Autônomos de Investimentos incluem:

👔 I - prospecção e captação de clientes.

👔 II - recepção e registro de ordens e transmissão dessas ordens para os sistemas de negociação ou de registro cabíveis, na forma da regulamentação em vigor.

👔 III - prestação de informações sobre os produtos oferecidos e sobre os serviços prestados pela instituição integrante do sistema de distribuição de valores mobiliários pela qual tenha sido contratado.


Assim sendo, no seu cotidiano, eles trabalham prospectando clientes, apresentando o mercado financeiro para os investidores – instruindo sobre o funcionamento, tributação e regras de cada aplicação –, recebendo ordens e as transmitindo para as plataformas de investimentos das corretoras

O que o AAI não pode fazer?

Como toda profissão, há algumas limitações na atuação dos AAIs que não podem ser infringidas, extrapolando as atividades regulamentares.

Em resumo, um Agente Autônomo não pode:

  • Manter contrato com mais de uma instituição.
  • Atuar em nome do cliente como administrador de carteira.
  • Dar recomendações de quais produto específicos comprar, como fazem os Analistas.
  • Escrever relatórios indicando compra ou venda de ações, FIIs, ETFs ou qualquer outro ativo.
  • Atuar como consultor de valores mobiliários.
  • Usar senhas ou assinaturas eletrônicas de uso exclusivo dos clientes para transmitir ordens.
  • Elaborar e enviar extratos de operações realizadas ou em aberto.

Perceba que ele pode educar os clientes sobre cada tipo de investimento e como eles são usados para montar uma carteira vencedora, mas não pode dar sugestões de qual comprar. O assessor também não vai administrar o portfólio do investidor, somente os gestores de carteiras podem fazer isso. 

Agente Autônomo x Assessor x Analista: veja as diferenças

Como dissemos, é importantíssimo tanto para os profissionais da área quanto para os investidores saberem distinguir as diferenças nas funções de Analistas, Assessores e Agentes Autônomos de Investimentos. Basicamente, podemos sintetizar em:

Analista de Investimentos Assessor de Investimentos Agente Autônomo de Investimentos
Trabalha com o estudo de empresas e do mercado em geral, realizando análise técnica, interpretações de balanços, tendências, leituras analíticas cenários macro e microeconômicos a fim de indicar ou não a compra/venda de ações e outros ativos financeiros, como ETFs, Fundos de Investimentos, produtos de Renda Fixa, etc. Precisam certificação específica para isso.  Não pode realizar recomendações de compra ou venda de ativos específicos. Trabalha para uma instituição oferecendo sugestões de alocação de carteira, bem como identifica falhas na diversificação e oportunidades que poderiam ser aproveitadas por meio da adaptação do portfólio de modo que estejam mais alinhados com os seus objetivos de vida e apetite por risco do cliente. Também não analisa e recomenda produtos do mercado. Trabalha de modo a captar novos clientes, oferece educação financeira sobre investimentos e auxilia as pessoas em suas aplicações, intermediando seu contato com a corretora, sua plataforma e com os ativos que são indicados pelos Analistas. 

 

Os Assessores e Agentes Autônomos têm um contato mais estreito com os clientes, auxiliando-os a atingir o sucesso nas aplicações. Os Analistas estão mais focados em descobrir quais são os melhores investimentos dado o cenário atual e as perspectivas futuras.

Então, quando os Analistas identificarem uma oportunidade para investir, os Agentes podem informar os cliente desse estudo e ajudá-los a entender se a indicação é coerente com o seu perfil. 

Note que todos eles precisam ter conhecimento profundo sobre o que se passa na atual conjuntura econômica, os principais conceitos do mercado e produtos do mercado e dos investimentos.

O Agente Autônomo vai se destacar dos demais ao interpretar corretamente os objetivos dos clientes, ler a sua carteira atual e indicar as melhores oportunidades identificadas pelos Analistas, bem como apontar momentos ideais para realocação de portfólio.


Por falar em Assessores de Investimentos, confira um vídeo especial sobre esse profissional com o nosso head de Assessoria, Felipe Borges:

Dê seus primeiros passos no mercado pelo caminho certo Veja aulas grátis agora
Como ser um Agente Autônomo de Investimentos?

Para quem deseja se tornar um Agente Autônomo de Investimentos, qual é o caminho a seguir? É isso que trataremos nesse tópico final do conteúdo.

Qual é o perfil para ser um AAI?

Como você aprendeu, os AAIs trabalham para uma corretora, intermediando a captação e a aplicação dos clientes nos produtos oferecidos por ela. Ou seja, seu trabalho se resume em contato constante com os clientes. Assim sendo, seu perfil precisa estar alinhado a isso.

Em geral, os AAIs apresentam habilidades empreendedoras, comerciais, educacionais e consultivas. 

Desse modo, é fundamental que o Agente tenha excelente talento de comunicação e relação interpessoal, além de capacidade de construir uma rede de relacionamentos para captar novos investidores com dinheiro e dispostos a investir.

Ademais, também precisa de conhecimento técnico, amplo e gostar dos assuntos econômicos e produtos mercado financeiro.

Preciso fazer cursos e ter graduação completa para ser um AAI?

Muitos Agentes são formados em cursos como Administração, Economia e Ciências Contábeis. Eles geralmente decidem empreender como autônomos por terem parte do conhecimento técnico necessário para a profissão.

Contudo, não é necessário ser graduado para trabalhar como AAI, mas apenas ter concluído o ensino médio e não ter antecedentes criminais.

Você pode estudar sozinho e desenvolver as habilidades de captação de clientes e auxiliá-los a investir seguindo as suas orientações, sempre baseadas nas indicações dos Analistas da corretora que você estará sob contrato.

Além disso, a Ancord (Associação Nacional das Corretoras de Valores) oferece cursos à distância sobre os assuntos que você precisa dominar para ser um AAI.

Assim sendo, é fundamental ter conhecimento pleno e técnico sobre o mercado, o funcionamento dos investimentos, conseguir demonstrar para seus prospectos e clientes que domina o assunto, realizar reuniões explicativas e educacionais e construir a sua credibilidade no mercado.

Para quem está começando e ainda não tem uma carteira de clientes grande ou não conhece muitas pessoas com dinheiro para prospectá-las, é relevante ter uma reserva financeira para arcar com os custos dos primeiros estágios da profissão. 

Ancord: certificação e credenciamento dos AAIs

Para trabalhar como Agente Autônomo de Investimentos, é obrigatório ser aprovado no exame da Ancord, a única instituição autorizada pela CVM a oferecer certificação para AAIs no Brasil.

Você pode realizar a prova da Ancord em casa ou de modo presencial. 

O exame é realizado em 2h30 e composto de 80 questões de múltipla escolha (4 alternativas), em que o candidato precisa de 70% de aproveitamento nos temas:

  • A atividade do Agente Autônomo de Investimentos.
  • Lei nº 9.613/98; Circular BACEN 3.978/20; Resolução CVM 050/21 e Resolução 30/21.
  • Noções gerais de economia, Sistema Financeiro Nacional, instituições e intermediadores financeiros e administração de risco.
  • Mercado financeiro, de derivativos e de capitais: produtos, modalidades operacionais e liquidação. 
  • Fundos de Investimentos, securitização de recebíveis e clubes de investimentos.
  • Matemática financeira.

Para prestar o exame, é necessário realizar os seguintes passos:

✅ Inscrição: realizar a inscrição no site da Ancord.

✅ Taxa de inscrição: pagar a taxa de inscrição no valor de R$460,00.

✅ Agendamento: em até 60 dias após a inscrição e o pagamento, agendar a data e local onde deseja realizar a prova.

✅ Prova: estudar e prestar o exame em casa ou em locais homologados pela Fundação Getúlio Vargas, obtendo ao menos 70% de acertos.

✅ Certificado: se aprovado, solicitar o certificado de credenciamento no site da Ancord.

Após ser aprovado no teste, o AAI ainda não está habilitado para trabalhar. Além disso, é preciso realizar o credenciamento na CVM. Feito isso, basta aderir ao código de conduta da profissão e ao código de autorregulação do mercado. Tudo isso poderá ser feito pelo site da Ancord.

Para terminar, sempre que tiver alguma dúvida, consulte a instrução da CVM e o regulamento do exame da Ancord. Nesses dois documentos, você encontrará em detalhes tudo o que precisa saber sobre a prova, a certificação e o credenciamento dos profissionais.

Nova call to action

Que tal assistir a um curso gratuito para iniciantes feito por um expert? Comece agora mesmo