Quem está começando no mercado financeiro já deve ter visto a sigla CETIP, pois esse termo vira e mexe aparece quando o assunto é investimento, especialmente de renda fixa. E é por isso mesmo que você precisa saber o que é CETIP, pois ela é uma instituição importante para o país, sendo considerada como uma integradora do mercado.

Isso porque, antes dela, as operações e liquidações financeiras de títulos eram executadas de forma física, ou seja, eram emitidas em papel, havendo liquidação por meio de cheque. A CETIP trouxe mais agilidade a essas movimentações, uma vez que, graças a ela, passaram a ser executadas em um ambiente eletrônico.

Além disso, essa entidade tem relação com a taxa CDI, que serve de referência para empréstimos entre bancos e também é um indicador utilizado por muitos investimentos. Que tal saber mais sobre a importância da CETIP?

O que é CETIP

A Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos Privados (CETIP) foi fundada em 1984, mas só entrou em funcionamento em março de 1986. Ela mantém uma infraestrutura e tecnologia essenciais para o mercado funcionar, sendo que diversas operações, como aplicações em ativos, créditos imobiliários e financiamento de veículos também transitam por ela.

Essa organização beneficia tanto companhias do segmento financeiro, quanto pessoas que realizam investimentos intermediados por ela. São mais de 17 mil empresas, clientes e outros participantes, como por exemplo:

  • Corretoras de valores
  • Bancos
  • Fundos
  • Concessionárias
  • Fundações
  • Seguradoras

Em março de 2017, ela se juntou à BM&F Bovespa, dando origem à B3 e se tornando a 5º maior Bolsa de Valores, em valor de mercado, do mundo. Na época, ela chegou a valer aproximadamente US$13 bilhões. Mesmo assim, após a fusão, a CETIP manteve todas as suas atividades.

Ela se estabeleceu como uma central depositária, oferecendo soluções para depósito, registro, negociação e liquidação de ativos. Entre os principais deles, podemos destacar Certificados de Depósitos Bancários (CDB), Letras de Crédito do Agronegócio (LCA) e Letras de Crédito Imobiliário (LCI).

Suas atividades são regulamentadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e fiscalizadas pelo Banco Central do Brasil. A CETIP ainda conta com uma estrutura de autorregulação, que supervisiona e fiscaliza operações, atividades da própria instituição e o mercado, para verificar se tudo está em ordem.

Apesar de ter começado a atuar mais com renda fixa, tendo se tornado referência nessa área, ela, hoje em dia, trabalha com outros títulos, como:

  • Derivativos de balcão
  • Certificados de Operações Estruturadas (COE)
  • Cotas de fundos de investimento

Além disso, ela é a maior câmara de ativos privados do país e a maior depositária de títulos privados de renda fixa da América Latina.

Outro ponto importante que vale a pena destacar é que esta instituição também é responsável por calcular a taxa DI-Cetip, também conhecida como CDI. Quer entender isso melhor? É o que você vai ver a seguir.

Quer aprender tudo sobre renda fixa e Tesouro? Curso grátis

Entenda a relação da taxa CDI e CETIP

Agora que já ficou claro o que é CETIP, é interessante tirar uma dúvida que quem investe pode ter sobre a relação dela com a taxa DI. Como falamos no começo deste artigo, esse índice é usado pelos bancos como referência para movimentações financeiras realizadas entre eles.

Isso porque essas instituições são obrigadas por uma norma do Banco Central a fecharem o dia com saldo positivo. Então, elas realizam transferências de valores umas para as outras por meio de Certificados de Depósitos Interbancários (CDI) para equilibrarem suas contas. Também chamados de Depósitos Interfinanceiros (DI), eles são feitos com prazo curtíssimo, durando normalmente apenas um dia entre o empréstimo e o pagamento.

Essa necessidade de recursos ocorre quando há mais saída de valores dos bancos, por meio de saques e transferências, do que entrada de dinheiro por depósitos ou pagamentos. Nesses casos, a taxa DI é usada como base para o pagamento de juros entre os bancos.

Aliás, a média dessa taxa se tornou referência para vários tipos de empréstimos e títulos no mercado financeiro.

É comum encontrar instituições financeiras que oferecem títulos que pagam determinada porcentagem do índice, por exemplo, 108% do CDI. Mas aí você pode perguntar: o que a Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos tem a ver com isso?

A resposta é simples. Por ser responsável pelo registro, de forma eletrônica, de milhares de negociações, entre elas o CDI, essa instituição é capaz de calcular a média dessa taxa. Por causa disso, a CETIP se tornou a responsável por divulgar o índice para o restante do mercado.

Para descobrir o valor da taxa DI do momento, você pode acessar o portal da instituição, pois ela divulga o número de forma atualizada diariamente.

Calculadora CETIP para comparar os rendimentos das aplicações

Quem quiser saber a rentabilidade das aplicações ou contratos atrelados à taxa CDI, pode usar uma ferramenta gratuita: a calculadora da taxa DI CETIP. Para usar a calculadora CETIP, o processo é simples. Você vai precisar inserir:

calculadora cetip taxa di

  • O valor investido.
  • A data inicial da aplicação.
  • A data final da aplicação.
  • O percentual da taxa DI.

Além do acesso a informações úteis e da disponibilização de uma calculadora, a Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos também possui um aplicativo para Android e iOS. Dessa forma, você pode fazer consultas direto do seu smartphone.

A garantia dos investimentos na CETIP

A entidade ainda oferece o CETIP Certifica, um selo que dá maior transparência e segurança aos investidores em relação às suas aplicações. Ele funciona como um certificado, que valida uma aplicação indicando que ela está registrada, em seu nome e CPF (ou CNPJ), na CETIP.

Para obtê-lo, a instituição financeira precisa estar cadastrada no CETIP Certifica. Após isso, ela poderá gerar certificados para os principais títulos registrados pela Central. Veja só alguns deles:

Renda fixa — tipo de investimento que podem ter o rendimento determinado no momento da aplicação, como por exemplo:

  • CDB
  • LCI
  • LCA
  • Letras Financeiras
  • Recibo de Depósito Bancário (RDB)
  • Nota Comercial (NC)
  • Depósito a Prazo com Garantia Especial (DPGE)
  • Debêntures
  • Letra de Arrendamento Mercantil (LAM)
  • Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI)
  • Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA)
  • Letras de Câmbio (LC)

Certificado de Operações Estruturadas (COE) — título emitido por instituições bancárias, que reaplicam parte do dinheiro na renda fixa, como LCI ou CDB. Outra parte vai para um investimento de renda variável, como ações nacionais ou internacionais, taxas de juros, moedas, etc.

Derivativos — são ativos com valores finais que derivam, de maneira parcial ou total, de outros títulos, como juros e moedas. Há derivativos listados e de balcão. Por exemplo:

  • Contrato a Swap.
  • Contrato a Termo.

Fundos de investimentos — esse tipo de investimento é administrado por um gestor que aplica os valores disponíveis em diferentes títulos do mercado. Um fundo corresponde a um tipo de aplicação coletiva, como um condomínio, que administra recursos de pessoas que investiram nele, por meio de cotas.

  • Cotas de Fundos
  • Cotas de Fundos Abertos (CFA)
  • Cotas de Fundos Fechado (CFF)

Vale reforçar que, na hora de investir, é importante que você tenha atenção ao selo CETIP Certifica, que pode ser consultado no próprio site da Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos. Com esse cuidado, você passa a ter a confiança de que está fazendo investimentos mais seguros.

Como você pode perceber, saber o que é a CETIP é vital para quem quer investir, pois ela é uma entidade importante para o mercado econômico brasileiro.

Graças à sua atuação, milhões de transações de empresas e de pessoas são feitas com agilidade e segurança. Dessa forma, você aplica seu dinheiro contando com a CETIP para te ajudar a fazer bons investimentos.

Aprenda a criar o seu futuro com investimentos. Curso grátis



Artigos relacionados: