Cadastre-se grátis

Ações de shoppings: veja as melhores empresas para investir na Bolsa

As ações de empresas e administradoras de shoppings disponíveis na Bolsa são: Aliansce Sonae (ALSO3), Iguatemi (IGTI11) e Multiplan (MULT3). No portfólio, estão os maiores e mais frequentados shopping centers do Brasil. Ao investir nessas ações, os investidores podem se beneficiar da força dessas empresas e do potencial de crescimento do setor de shoppings no país.

Quem não aprecia dar uma boa volta em um shopping, olhar as vitrines e fazer umas comprinhas, não é mesmo? Mas você já pensou em também ser dono dos centros comerciais? Saiba que isso é possível ao adquirir ações de shoppings e administradoras na Bolsa de Valores.

Dados da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) mostram o faturamento dos shoppings, em 2022, cresceu 20,5%, totalizando R$ 191,8 bilhões.  

Logo, quem não gostaria de ter ações de um setor que movimenta tanto dinheiro, mesmo em tempos de crise, certo? É isso que iremos abordar no conteúdo de hoje. Você conhecerá quais são as principais empresas administradoras de shoppings do Brasil e como comprar suas ações na Bolsa de Valores, bem como os motivos que justificam investir nesse segmento.

Nova call to actionAproveite o jeito mais fácil de investir agora mesmo Faça seu cadastro grátis na Toro

Como é o mercado de shoppings no Brasil?

Segundo dados da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), os dados do setor são sólidos no país. O Brasil possui hoje:

  • Mais de 620 shoppings.
  • Mais de 17 milhões de m² de Área Bruta Locável (ABL).
  • Mais de 115 mil lojas em shoppings centers.
  • Mais de 3 mil salas de cinemas.
  • Mais de 440 milhões de visitantes por mês.
  • Aproximadamente 1 milhão de empregos gerados.

Na distribuição regional, ainda de acordo com números da Abrasce, a divisão ocorre da seguinte maneira: 

Região Nº de shoppings (%) do total ABL (m²)
Norte 29 5% 900.521
Nordeste 107 17% 3.142.797
Centro-Oeste 66 10% 1.552.619
Sudeste 322 51% 9.426.786
Sul 104 17% 2.486.738
TOTAL 628 100% 17.509.461

Fonte: Abrasce (Dados de Maio de 2023)

Além de serem centros de compras e utilidades, os shoppings no Brasil também têm a característica de serem locais de lazer e entretenimento, que muito significa para o aumento das suas receitas.

Tendências: o que esperar dos shoppings?

O ramo dos shoppings center foi um dos mais afetados pela pandemia do Covid-19 no Brasil, uma vez que suas unidades precisaram ficar fechadas durante o isolamento. Na retomada econômica com a reabertura e a vacinação, o mercado enxerga um bom potencial de crescimento para o setor e para a demanda reprimida.

Além disso, é preciso observar como os shoppings vão se comportar perante o crescimento do e-commerce e que estratégias pretendem adotar para não perder espaço. Alguns já estão se movimentando para realizar ações como:

  • Lançamento de aplicativos exclusivos.
  • Atração de lojas e marcas exclusivas.
  • Oferecer mais serviços de utilidade.
  • Marketplaces B2B.
  • Eventos especiais em datas comemorativas.
  • Programas de fidelidade.
  • Aprimorar e ampliar espaços de alimentação.
  • Ampliação de opções de lazer e entretenimento.

Quais são as melhores ações de shoppings?

Nesta seção do artigo, vamos conhecer quais são as alternativas entre as melhores administradoras de shoppings disponíveis ao investidor na Bolsa de Valores. As principais empresas do setor, com as respectivas ABLs, são:

Empresa Código  Área Bruta Locável (ABL) total**
Aliansce Sonae
ALSO3 2.222.178 m²
Iguatemi SA IGTI11 723.445 m²
Multiplan MULT3 926.418 m²

Fonte: B3 e Relações Com Investidores das companhias
**Dados dos RIs das empresas em 2023

As ações de shoppings são muito comentadas no mercado pela sua importância, apelo e demanda. O resultado das empresas de shoppings também são bons indicativos de como anda o nível de consumo da sociedade.

Além disso, elas fazem parte do Índice de Small Caps na B3, isto é, as empresas com menor valor de mercado, mas com enorme potencial de crescimento. Confiraum conteúdo em vídeo especial com um de nossos Analistas para entender um pouco mais sobre isso:

{%module”module_16555104457841731″path=”/Toro2022/Tema_Artigos/modules/youtube”, video=”41R62jCmPA4″ %}

Agora, vamos entrar em detalhes sobre as principais e melhores ações de administradoras de shoppings da Bolsa:

1. Ações da Aliansce Sonae (ALSO3)

A Aliansce Sonae surgiu em 2019 como resultado da fusão de duas companhias: a Aliansce Shopping Centers e a Sonae Sierra Brasil. Ela é a maior administradora de shoppings do Brasil com um portfólio de vários empreendimentos nas cinco regiões (sejam próprios ou de administração em propriedade de terceiros), informa o Relações com Investidores da empresa.

No total, tem mais de 2 milhões de m² de Área Bruta Locável (ABL) total. Na maioria dos seus shoppings, exerce tanto as funções de administração quanto de participação. Entre os mais conhecidos, destacam-se:

  • Boulevard Shopping (MG)
  • Boulevard Shopping (ES)
  • Parque D. Pedro Shopping (SP)
  • Shopping Grande Rio (RJ)
  • Shopping Leblon (RJ)
  • Shopping da Bahia (BA)
  • Boulevard Shopping de Brasília (DF)
  • Boulevard Londrina (PR)

Suas ações estão listadas no Novo Mercado − o mais alto segmento de governança da Bolsa − e possuem cerca de 51% de free float, o percentual de ações em circulação livre na Bolsa de Valores.

Recentemente, anunciou a combinação de negócios com a brMalls, expandindo ainda mais os números acima.

2. Ações da Iguatemi (IGTI11)

A Iguatemi é uma companhia fundada em 1979 e faz parte do Grupo Jereissati. A Área Bruta Locável (ABL) total, segundo dados do RI da empresa, passa dos 710 mil m². Portanto, ela tem cerca de 66% de propriedade do seu portfólio de shoppings.

A companhia detém participação parcial ou total em mais de 20 shoppings muito conhecidos e bastante frequentados, tais como:

  • Iguatemi (SP)
  • Pátio Higienópolis (SP)
  • Iguatemi Campinas (SP)
  • Iguatemi Ribeirão Preto (SP)
  • Iguatemi Porto Alegre (RS)
  • Iguatemi Brasília (DF)
  • Fashion Outlet Novo Hamburgo (RS)

Em 2021, o Grupo Jereissati (JPSA3), que detém 51% das ações da Iguatemi, propôs uma reestruturação societária na administradora de shoppings. A holding incorporou 100% da Iguatemi, assumindo o seu nome e negociando as ações da IGTA3 como units. Portanto, ela saiu do Novo Mercado. As novas ações IGTI11 estrearam em novembro de 2021 na Bolsa. 

3. Ações da Multiplan (MULT3)

A Multiplan é uma empresa existente desde 1975 e realiza um serviço full-service, isto é, o planejamento, desenvolvimento, propriedade e administração de shopping centers no Brasil. De acordo com dados da área de Relações com Investidores da empresa, o portfólio atual contém dezenas de shoppings com área bruta locável total que se aproxima dos 1 milhão de m².

No portfólio de empreendimentos da Multiplan estão shoppings de primeira linha, tais como:

  • Pátio Savassi (MG)
  • Diamond Mall (MG)
  • Barra Shopping (RJ)
  • Morumbi Shopping (SP)
  • ParkShoppingBarigüi (PR)
  • Ribeirão Shopping (SP)
  • Parque Shopping Maceió (AL)
  • ParkShopping Canoas (RS)
  • Park Shopping (DF)

Além dos centros comerciais já desenvolvidos, também possui torres de escritórios (Corporate) para aluguel e outros shoppings já em fase de desenvolvimento.

Assim como as anteriores, também é uma empresa listada no Novo Mercado e as ações da Multiplan aparecem várias vezes nas listas das carteiras recomendadas das principais instituições financeiras, como bancos, corretoras, casas de análise, etc. 

Por fim, essas são as principais possibilidades para quem quer investir no setor de shopping centers na Bolsa brasileira, constituindo uma carteira variada de propriedades em vários locais do país.

Antes de terminar, é importante dizer que as ações  apresentadas não são recomendações de compra nem necessariamente expressam a opinião dos especialistas da Toro.

Para fechar este tópico, confira um conteúdo em vídeo sobre a importância de uma carteira de investimentos completa e vencedora:

{%module”module_16555104457841731″path=”/Toro2022/Tema_Artigos/modules/youtube”, video=”zEmh8A280zs” %}

Vale a pena comprar ações de shoppings centers?

Como vimos no decorrer do artigo, as ações de shopping estão em alta e passaram por excelente valorização nos últimos anos, inclusive acima do Ibovespa, o principal índice da Bolsa de Valores.

Inicialmente, lembre-se de que as rentabilidades do passado não são garantia de que o mesmo retorno ocorrerá no futuro.

As ações desse setor incluem algumas vantagens para a carteira dos investidores, sobretudo aqueles que acumulam patrimônio no longo prazo, tais como:

Diversificação

Investir em ações de administradoras de shopping é uma possibilidade de aumentar a diversificação da sua carteira de ações.

Elas são consideradas empresas de crescimento, isto é, vão priorizar o reinvestimento dos lucros na própria empresa para continuar a expandir do que a remuneração por meio de dividendos, embora algumas delas paguem bons proventos aos acionistas.

Receita em crescimento

O aumento da locação dos espaços e volta da circulação de pessoas pode impulsionar a visitação aos shoppings, favorecendo suas receitas e lucros. Além disso, contratos de longo prazo com lojistas podem dar mais tranquilidade aos administradores. 

Potencial de evolução

Com o crescimento urbano e o aumento do poder de compra da população, o setor de shoppings tem potencial para expansão. Administradoras bem-sucedidas podem se beneficiar do aumento da demanda por espaços comerciais e dos lucros provenientes de novos empreendimentos.

O desempenho das administradoras de shoppings reflete a saúde do setor de varejo e o comportamento dos consumidores. Portanto, investir nessas empresas permite aos acionistas acompanhar as tendências de consumo e a evolução do mercado.

Proteção inflacionária

O valor dos aluguéis e dos imóveis tende a acompanhar a inflação ou mesmo superá-la em períodos de crescimento econômico. Isso significa que as administradoras de shoppings podem oferecer uma proteção efetiva contra a desvalorização do dinheiro no longo prazo, mas é claro que outros riscos devem ser considerados. 

No entanto, é importante ressaltar que investir em ações de administradoras de shoppings também possui riscos, como a concorrência acirrada, mudanças nos hábitos de consumo, impactos econômicos e a possibilidade de vacância de espaços comerciais. Portanto, é fundamental realizar uma análise cuidadosa e considerar os objetivos e o perfil de risco antes de investir em qualquer ativo.

Riscos associados

O principal risco associado a esse tipo de investimento é que os shoppings são muito suscetíveis ao aquecimento e desaquecimento dos níveis de consumo das pessoas. Ou seja, se as pessoas estão consumindo mais, elas vão mais aos shoppings.

Em momentos de crise e aperto econômico, o faturamento tende a retrair. Por isso, é necessário avaliar também o que ocorre no longo prazo para saber se a empresa se mantém resiliente, continua crescendo e se seus shoppings não perderam qualidade.

Por fim, como falamos anteriormente, além do consumo, os shoppings no Brasil também tem a característica de ser um centro de lazer e entretenimento. Por isso, esse fator também pesa na escolha de uma boa empresa administradora de shoppings, pois seus espaços também devem ser atrativos além das lojas.

Qual é a diferença de comprar FIIs de shoppings?

Se você já investe na Bolsa de Valores, sobretudo em Fundos Imobiliários (FIIs), deve estar se perguntando qual é a diferença entre as ações de shoppings e os FIIs de shoppings, não é mesmo?

A princípio, saiba que não são investimentos excludentes. Isto é: ter ações de shoppings não impede que o investidor também compre FIIs de shoppings. Isso pode ser justificado pelos seguintes motivos:

  • São tipos e qualidade de shoppings diferentes: os FIIs e empresas administradoras de shoppings podem possuir shoppings de diferentes características, tais como: localização, qualidade dos shoppings, nível de renda dos frequentadores, variedades e marcas de lojas, etc. Assim, com os dois tipos de ativos, é possível aumentar a diversificação.
  • São modelos de negócios diferentes: as ações de empresas de shoppings podem oferecer o serviço de administração do centro comercial. Os FIIs, além disso, normalmente distribuem 95% do resultado aos cotistas, o que as ações não têm obrigação de fazer.
  • Diversificação: ao ter tanto FIIs quanto ações, você aumenta ainda a possibilidade de diversificação da carteira, com shoppings diferentes em regiões diferentes, diminuindo o risco da exposição ao setor.
  • Número de imóveis: como vimos, as empresas de shoppings possuem diversos imóveis. Os FIIs podem ter em seu portfólio um número inferior de shoppings, de acordo com o tamanho do patrimônio do Fundo. 
  • Volatilidade e valorização: os Fundos Imobiliários tendem a ser menos voláteis por característica geral do ativo. As cotações das ações, por outro lado, se mexem mais e, por isso, podem se valorizar em percentuais mais altos, uma vez que o risco associado também é superior.

Lista dos melhores e mais procurados FIIs de shoppings

Por fim, entre os Fundos de Investimento Imobiliário de shoppings que estão entre FIIs mais rentáveis e procurados pelos investidores, é possível destacar:

Nome do FII Código
Grand Plaza Shopping ABCP11
General Shopping Ativo FIGS11
General Shopping e Outlets GSFI11
Hedge Brasil Shopping HGBS11
HSI Malls HSML11
Malls Brasil Plural MALL11
Vinci Shopping Centers VISC11
Votorantim Shopping VSHO11
XP Malls XPML11

Fonte: B3

Lembrando que as ações e FIIs citados nesse conteúdo não são recomendações de compra nem necessariamente expressam a opinião dos Analistas da Toro. 

Antes de passar para o próximo tópico, confira um vídeo com o passo a passo para encontrar e investir nos melhores FIIs:

{%module”module_16555104457841731″path=”/Toro2022/Tema_Artigos/modules/youtube”, video=”hNmw_tVKGrE” %}

Como comprar ações de shoppings?

Para finalizar esse artigo, vamos tratar de como comprar as suas ações de shoppings, com os passos necessários para isso. Confira um tutorial completo no infográfico abaixo e um resumo logo na sequência:

  1. O primeiro passo é abrir e ter uma conta ativa em uma corretora. Assim sendo, valorize as mais modernas, digitais e que tenha Corretagem Zero, como a Toro Investimentos.
  2. O segundo passo ocorre quando você transfere o dinheiro da sua conta no banco para a sua conta da corretora. Ao escolher a ação de shopping, calcule a quantidade e o valor necessário conforme a cotação do dia.
  3. Por fim, o terceiro passo se dá ao buscar na plataforma da Toro a ação que você vai comprar pelo código de negociação. Os códigos são os que apresentamos acima: ALSO3, IGTI11 ou MULT3. Daí, basta configurar a quantidade, conferir o valor e fazer a confirmação.

Viu só como é fácil investir em ações de shopping pela Toro Investimentos? Para facilitar a sua vida, também preparamos esse conteúdo em vídeo para te auxiliar no processo de compra: 

{%module”module_16555104457841731″path=”/Toro2022/Tema_Artigos/modules/youtube”, video=”FHQofcV26DU” %}

Deixe um comentário

Gostou do artigo? Deixe um comentário sobre o que achou do conteúdo!