Fazer a declaração do Imposto de Renda 2019 é um processo que soa muito complicado para várias pessoas. A Receita Federal exige que você informe com detalhes todos os rendimentos e as despesas que você teve ao longo do ano. Dessa forma, a Receita consegue controlar e garantir que a tributação está sendo paga corretamente.

Se você possui investimentos, pode ter mais dúvidas para declarar seu imposto, afinal, é preciso especificar uma série de detalhes.

Porém, não é um processo impossível de ser realizado, ainda mais quando falamos sobre os títulos de renda fixa. Por isso, neste artigo, vamos te mostrar como declarar seus títulos de CDB no Imposto de Renda.

Como declarar CDB no Imposto de Renda 2019

Mesmo que você não tenha a obrigação de pagar mais imposto pelo seu investimento em CDB, afinal o IR já vem descontado, você deve saber todas as informações porque vai precisar declarar esse rendimento na declaração do Imposto de Renda.

Isso vale tanto para os títulos de CDB que você resgatou ao longo do ano, quanto para os títulos que você investiu, mas que ainda não foram resgatados.

Na hora de declarar no Imposto de Renda o CDB, você vai precisar das informações apresentadas no Informe de Rendimento. Esse documento é enviado pela sua corretora de valores ou banco, e deve conter todos os dados referentes aos seus investimentos.

CDBs que ainda não foram resgatados

Com essas informações em mãos, entre no aplicativo ou programa da Receita Federal e procure a aba “bens e direitos”. É nessa parte que você precisa informar os seus rendimentos e investimentos realizados em CDB ou em outros títulos de renda fixa.

O próximo passo é separar os seus títulos de acordo com a entidade financeira que emitiu os títulos.

Se você investiu pela Toro, por exemplo, nessa parte você deve informar que a entidade que possui a custódia do seu título é a Toro.

Após o preenchimento dessas informações, você precisa procurar a opção “Aplicação de renda fixa (CDB, RDB e outros)”, que também pode ser encontrada rapidamente por meio do código 45.

Depois disso, basta você informar o saldo e as datas correspondentes dos seus investimentos. E então estará pronta a sua declaração do Imposto de Renda de CDB.

Veja os dados e os campos que você deve preencher para declarar CDB no Imposto de Renda:

  • Código: 45
  • Localização (país): 105 - Brasil.
  • CNPJ: informar o código do banco ou corretora que possui a custódia do título.
  • Discriminação: nome do banco ou instituição que possui a custódia do título.
  • Situação em 31/12/2017 (R$): neste campo você deve preencher o saldo que havia nesta data. Se você declarou o CDB no Imposto de Renda no ano passado, é possível que a informação apareça automaticamente.
  • Situação em 31/12/2018 (R$): informar o saldo nesta data.

CDBs que foram resgatados ao longo de 2018

Se, ao longo de 2018, chegou ao fim o período de vencimento de um título de CDB, ou você precisou resgatar o dinheiro antecipadamente, é necessário realizar um procedimento um pouco diferente.

Para isso, você deve seguir os seguintes caminhos:

Primeiro de tudo, você deve procurar a aba “Rendimentos Sujeitos à tributação Exclusiva/Definitiva”. Ao encontrá-la, preencha os seguintes campos:

  • Tipo de Rendimento: 06 - Rendimentos de aplicações financeiras.
  • Tipo de beneficiário: selecionar titular ou dependente.
  • CNPJ da fonte pagadora: informar o código do banco ou instituição que possui a custódia do título.
  • Nome da fonte pagadora: nome do banco ou instituição que possui a custódia do título.
  • Valor: informar o rendimento deste investimento.

Vale lembrar que, nesses casos, o IR
já foi retido na fonte, isto é, foi pago no momento do resgate do título.

Viu como declarar Imposto de Renda CDB não é tão complicado quanto muita gente pensa? Esse é um exemplo legal sobre a declaração de um investimentos de renda fixa. Mas você sabia que existem outras opções bastante interessantes também?

A forma de declarar cada um deles é muito parecida, mudando alguns detalhes aqui e ali. E o mais legal é que existem oportunidades que são isentas de Imposto de Renda e podem render mais que a Poupança.

Compare todos os investimentos e escolha o melhor para você.
Simule grátis

Tributação do CDB no Imposto de Renda

O CDB, ou Certificado de Depósito Bancário, é um dos principais tipos de títulos de renda fixa que você encontra ao procurar alternativas para investir dessa forma. Esse investimento funciona como uma espécie de empréstimo que você faz aos bancos, de um jeito que ao final do período combinado, você recebe o valor que investiu somado aos juros.

Esse investimento faz parte do grupo de aplicações tributáveis, aquelas que possuem uma determinação específica e obrigatória.

Sendo assim, quando você resolve investir em CDB, é preciso lembrar que terá que pagar uma porcentagem para a Receita Federal na hora de resgatar seu dinheiro.

Essa taxa é descontada diretamente do seu investimento e deve ser recolhida pela corretora de valores ou pela instituição financeira responsável pela custódia do título. Desse jeito, você já recebe o valor do investimento com o desconto do Imposto de Renda na sua conta.

O valor do Imposto de Renda cobrado quando você resgata um CDB tem como base as regras de tributação estabelecidas para os investimentos tributáveis de renda fixa. A alíquota que deve ser aplicada é regressiva, ou seja, diminui à medida em que o tempo da aplicação aumenta.

Veja a tabela do Imposto de Renda e saiba qual alíquota incidirá sobre seu investimento em CDB:

Alíquota de IR Tempo de investimento
22,5% Até 180 dias
20,0% De 181 a 260 dias
17,5% De 361 a 720 dias
15% Acima de 720 dias

 

Como falamos há pouco, também existem opções que não pagam IR e também podem trazer resultados positivos para quem investe. É o caso das Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio. Que tal descobrir tudo que elas podem oferecer?

LCI e LCA: conheça os investimentos isentos de Imposto de Renda.
Veja agora

Prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda 2019

Agora que você já sabe como declarar CDB no Imposto de Renda, é importante que você saiba também um outro detalhe muito importante: o prazo para envio da declaração do Imposto de Renda em 2019.

O prazo para envio da declaração começou no dia 07 de março e vai até o dia 30 de abril de 2019.

O importante é que você não deixe para a última hora. Contar a sorte pode não ser a melhor saída, já que na hora de declarar você pode sentir falta de algum documento ou precisar de uma informação que não tem em mãos no momento.

Por isso, o planejamento é a melhor estratégia. Se você se organiza durante o ano todo, juntando os recibos de informes importantes, na hora de declarar o processo será muito mais fácil.

Além disso, deixar para fazer tudo no último dia pode trazer dor de cabeça caso o sistema da Receita fique fora do ar ou congestionado, com tantos acessos acontecendo ao mesmo tempo.

Perder o prazo também não é uma boa ideia. A multa para quem não envia a declaração ou atrasa o envio pode ser bem “salgada”.

Se você não enviar a declaração do Imposto de Renda até o dia 30 de abril, terá que pagar multa com valor mínimo de R$165,74 e valor máximo de 20% do valor do imposto devido.

Outro lado muito legal do planejamento é que você já pode se programar para pagar os valores que faltam para a Receita ou ir pensando no que fazer com o dinheiro que receber de restituição. Com esse dinheiro extra no bolso, que tal investir? 

Para pensar no seu futuro e dar um passo mais perto dos seus sonhos, basta começar. Pense em tudo que você deseja conquistar e trace um plano para chegar lá. Nada é impossível se você souber exatamente onde quer chegar. Por isso, conte sempre com a Toro para te ajudar nessa jornada rumo ao sucesso.

Encontre oportunidades para valorizar seu dinheiro.
Teste grátis